Olhar Direto

Segunda-feira, 16 de setembro de 2019

Notícias / Cidades

Criminoso é preso em MT suspeito de matar procurador a tiros

Da Redação - Fabiana Mendes

20 Ago 2019 - 16:23

Foto: Reprodução

Detalhe: advogado Sidnei Sotele.

Detalhe: advogado Sidnei Sotele.

Um criminoso considerado de alta periculosidade foi preso, nesta terça-feira (20), na cidade de Comodoro (644 km de Cuiabá), por suspeita de assassinar a tiros o advogado Sidnei Sotele, que era procurador da Câmara dos Vereadores de Cacoal (RO).

Leia mais:
Motociclista morre esmagado por carreta em rodovia

Rogério Favarato, de 48 anos, teve a prisão cumprida em uma operação conjunta das Polícias Civis de Mato Grosso e Rondônia. O suspeito era morador de Cacoal, mas estava escondido há cerca de dois meses na região de Comodoro, com a mulher e duas crianças.

Em Rondônia, Rogério Favarato também é investigado em outros dois assassinatos, tendo como vítimas Antônio Franciele Pivetta, ocorrido em 11 de abril de 2019, e Sérgio Gomes Araújo, morto em 15 de abril de 2019, cujo  o corpo foi encontrado parcialmente carbonizado em 16 de abril, na zona rural de Castalheiras (RO).

“Ele é considerado em Cacoal pessoa de alta periculosidade em razão dos crimes que Já praticou, na sua maioria homicídio”, disse o delegado Gilson Silveira, titular da Delegacia de Comodoro.

A morte do procurador, ocorrida no dia oito de maio, foi flagrada por uma câmera de segurança.

Veja vídeo:


 

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Hildo
    21 Ago 2019 às 07:40

    O da foto é quem? O criminoso ou o mandado cumprido? As instituições não devem ter pessoalidade e nem se utilizar da profissão para aparecer. São servidores públicos. Impessoalidade

Sitevip Internet