Olhar Direto

Segunda-feira, 10 de maio de 2021

Notícias | Política MT

apagando o incêndio

Mauro inicia embargos a desmatadores e se reúne com Bolsonaro para resolver crise ambiental

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Mauro inicia embargos a desmatadores e se reúne com Bolsonaro para resolver crise ambiental
O governador Mauro Mendes (DEM) afirmou que deve começar a aplicar embargos a propriedades onde for verificada a prática de desmatamento ilegal. A medida é resultado do desenvolvimento de um sistema de monitoramento via satélite. Ele ainda afirmou que irá se reunir nesta terça-feira (27) com o presidente Jair Bolsonaro (PSL) para buscar mais soluções para a defesa ambiental.
 
Leia mais:
Mauro Mendes pede a Bolsonaro uso das Forças Armadas para combater incêndios em MT
 
Mauro foi entrevistado na Rádio CBN São Paulo na manhã desta segunda-feira (26). Ele foi questionado sobre a situação das queimadas e do desmatamento em Mato Grosso e afirmou que já foi desenvolvido um sistema que deverá contribuir para a proteção ambiental.
 
“O desmatamento em Mato Grosso, embora na Amazônia como um todo cresceu neste último ano, no Estado de Mato Grosso, neste mesmo período reduziu 17% . Nós estamos agora fazendo um trabalho, que entrou em funcionamento 15 dias atrás, que nós somos capazes de detectar em tempo real, se o cidadão desmatar meio hectare hoje, amanhã o sistema é capaz de pegá-lo. É um sistema com imagem de um conjunto de 120 satélites que orbitam a terra, eles liberam todos os dias imagens, e nós colocamos estas imagens em um sistema, que cruza imagem do dia anterior com do dia subsequente e o desmatamento de meio hectare ele pega”.
 
O governador ainda disse que já identificou algumas propriedades onde ocorreu desmatamento ilegal no Estado de Mato Grosso e já está se mobilizando para aplicar embargos.
 
“Esta semana nós estamos lá já com várias operações, com nosso batalhão ambiental, em parceria até com o Ibama, nós já estamos indo nestas propriedades, que nós já detectamos na semana anterior,  nós já estamos indo para fazer embargos, paralisando. Assim que nós conseguirmos criar uma metodologia de trabalho mais eficiente, que começou a rodar 15 dias atrás, nós seremos capazes de, um ou dois dias após o início de qualquer desmatamento ilegal, chegar e fazer a paralisação, e aplicar aquilo que determina a legislação”, disse Mauro.
 
O governador ainda disse que, sobre as queimadas, houve muita informação falsa sendo propagada nas redes sociais que acabou criando um pânico no Brasil e no cenário internacional, o que pode acabar prejudicando o agronegócio do país.
 
“Isso é muito ruim para a imagem do nosso país, sobretudo para o agronegócio brasileiro, e aí o Estado de Mato Grosso é o maior protagonista deste agronegócio, como maior produtor de várias commodities. Então a nossa preocupação quando aderimos a este programa do Governo Federal, pedindo apoio, é para que preventivamente, com mais recursos humanos e financeiros, nós possamos ser mais rápidos e eficientes no combate de qualquer assunto ligado a meio ambiente, seja queimada, seja desmatamento ilegal, para que possamos dar uma blindagem ambiental ao país, porque se acontecer um embargo ao agronegócio brasileiro, como chegou a ser ventilado na semana passada, isso será muito ruim para a balança comercial, e consequentemente para o Brasil, e será uma catástrofe para o Estado de Mato Grosso”.
 
Mauro disse que foi firmado um acordo e o Exército deve começar a prestar apoio ao Corpo de Bombeiros de Mato Grosso, com recursos financeiros e de pessoal. Ele ainda afirmou que não recebeu nenhuma verba do Governo Federal até o momento, para o combate às queimadas e desmatamento, mas que deve se reunir com o presidente Jair Bolsonaro em busca de soluções.
 
“Nós teremos amanhã uma reunião com o presidente da República às 10h, todos os governadores da Amazônia foram convidados para esta reunião. Devem estar presentes algumas autoridades ligadas aos ministérios, principalmente a esta área de defesa interna, aonde nós esperamos ter um detalhamento destas informações mais objetivas”.
 
Casos
 
Um novo incêndio volta a ameaçar o Parque Nacional de Chapada dos Guimarães (a 64 km de Cuiabá). As chamas começaram na tarde de quinta-feira (22), na margem direita da Rodovia Emanuel Pinheiro, MT-251, também conhecida como Estrada de Chapada.
 
O Parque Nacional da Chapada dos Guimarães é Unidade de Conservação Federal com 33 mil hectares, localizada nos municípios de Cuiabá e Chapada dos Guimarães, MT. Criado em abril de 1989, o parque protege amostras significativas dos ecossistemas locais e assegura a preservação dos recursos naturais e sítios arqueológicos existentes, proporcionando uso adequado para visitação, educação e pesquisa.
 
O Corpo de Bombeiros também combate incêndio florestal no Parque Estadual Águas do Cuiabá, em Rosário Oeste e Nobres (104 e 122 km de Cuiabá), que começou na noite de sexta-feira (23).
 
Desde o início do ano, o Estado registrou mais de 14 mil focos de incêndio, maior índice dos últimos 7 anos.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet