Olhar Direto

Sábado, 21 de setembro de 2019

Notícias / Política MT

Governador decreta situação de emergência em Mato Grosso por conta de queimadas

Da Redação - Wesley Santiago

10 Set 2019 - 07:40

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Governador decreta situação de emergência em Mato Grosso por conta de queimadas
O governador Mauro Mendes decretou situação de emergência em Mato Grosso por conta dos incêndios florestais que atingem o Estado. A motivação para decretar a situação é pelo aumento no número de queimadas e pelas condições climáticas propiciarem a propagação do fogo.

Leia mais:
Incêndio de grandes proporções em prédio da Seduc destrói livros didáticos; fotos e vídeos

O decreto tem duração de 60 dias. Segundo o Executivo, com a medida, o governo está autorizado a adotar ações necessárias à prevenção e combate aos incêndios e à manutenção dos serviços públicos nas áreas atingidas pelas queimadas.

Mauro Mendes também levou em conta as previsões do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), que mostram que não há previsão de chuvas para os próximos 20 dias. 

Pelo decreto, está autorizada, entre outras medidas, a aquisição de bens e materiais mediante dispensa de licitação, conforme preceitua o artigo 24, IV, da Lei Federal nº 8.666, de 21 de junho de 1993, respeitados os requisitos constantes do artigo 26 da mesma lei, entre outros. O decreto tem duração de 60 dias podendo ser prorrogado por igual período.

Além disso, outro fator que agrava ainda mais essa situação é que o Estado passa por um período de estiagem de 4 meses, em diversas regiões, como é o caso do Vale do Rio Cuiabá.

Somado a isso, há o registro de baixa umidade relativa do ar no período, variando entre 7% e 20%, situação que é considerada crítica e que aumenta o risco de incêndios florestais, danos a saúde, sobretudo de jovens e idosos.

Atualizada às 07h52.

8 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Sol vermelho
    11 Set 2019 às 09:57

    Floresta! Vc disse que menos de 3 por cento da smultas´por queima sao pagas, vc deve ser do escalao, entao ja deve saber o quanto o governo de Mato Grosso e o federal recebem por cada arvore derrubada e seus galhos, pq sao cobradas taxas de reposicao florestal, altissima, por cada arvores se paga o valor de 7 X1 derrubada, essas taxas sao pra investir na recuperacao de rios e demais projetos de recupercao e cuidar do meio ambiente! Essa Gestao na Secretaria de Meio Ambientye tinha que estar dando a cara a tapa e ela sendo responsabilizada por nao estar cuidando do qu esta sendo paga pra cuidar! Isso e motivo de demissao por incopetencia, quem tem resolver sao os dois Orgaos responsaveis nao??? Queria ver a cara dela enfumacada e ela descer do salto. No parque De Chapda tinha uma chefe que ela e os seus fiscais iam ajudar a apagar o fogo, todos se envolviam. Mutuca era o ponto de apoio com o PREVFOGO. Agora cade o IBAMA, o chefe de la, o PREVFOGO.....ta tudo queimando e eo BOLSONARO que incita??? Tinham que aproveitar que o Novo Chefe do IBAMA ja foi fucnionario indicado da SEMA, o que ele ta fazendo??? Incopetencia GERAL

  • Floresta
    10 Set 2019 às 12:13

    Menos de 3% das multas por queimadas ilegais são pagas. Os proprietarios alegam que não foram os responsáveis, mesmo tendo se beneficiado com o fogo para limpeza de suas áreas. enquanto isso não for tratado com seriedade pelo Estado, essa novela não terá fim. Ainda mais com o Bolsonero incitando esse ato!!

  • Domador de elefantes
    10 Set 2019 às 11:53

    Como será questão os elefantes do parque ...??? Acho que nunca sentiram tanto calor ....!!!!

  • Moacir
    10 Set 2019 às 10:28

    Deveria ser responsabilizado por não dá suporte a sema para prevenções. E não multar ricos da agropecuária, responsáveis por essa situação. Incompete.

  • Indignado.
    10 Set 2019 às 09:14

    Vai passar os 4 anos governando por decretos de calalimdade,emergência etc.?Quando começará a assumir e enfretar os problemas e gerir este grandioso estado?

  • MARIA TAQUARA
    10 Set 2019 às 08:52

    Ótimo, com um mês de atraso mas antes tarde do que nunca.... Afinal, o governador esteve ocupado no último mês trocando xingamentos com o prefeito de Cuiabá nas páginas dos jornais

  • Henrique
    10 Set 2019 às 08:27

    Que no ano que vem, faça um verdadeiro trabalho PREVENTIVO, para que não se repita o que está acontecendo agora e em anos interiores. SOS. É preferível gastar com grandes equipes para evitar incêndios do que para apagar o fogo.

  • Raimundo
    10 Set 2019 às 07:54

    O Estado só sabe arrecadar, e os políticos roubar. Enquanto isso a população sofre em razão de falta de estrutura do poder público, desde pessoal até de equipamentos. Enquanto isso as verbas vazam pelo ralo, basta olhar os repasses de duodécimos aos poderes milionários de MT.

Sitevip Internet