Olhar Direto

Sábado, 21 de setembro de 2019

Notícias / Cidades

Indígena é preso por agredir a companheira após neto do casal pedir socorro na rua

Da Redação - Fabiana Mendes

11 Set 2019 - 08:17

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Indígena é preso por agredir a companheira após neto do casal pedir socorro na rua
Um homem de 59 anos, identificado como I.L.K. foi preso por agredir fisicamente sua companheira, no município de São Félix do Araguaia (1.200 km de Cuiabá), no último domingo (8). A agressão aconteceu na residência do casal e foi presenciado por uma criança de sete anos, que correu para a rua gritando por socorro. A família é indígena.

Leia mais:
GCCO prende três acusados de extorsão que se passavam por policiais para cometer crimes

De acordo com a Polícia Civil, o suspeito foi autuado em flagrante pela contravenção penal de vias de fato e pelo crime de ameaça no âmbito da legislação penal, combinado com a Lei Maria da Penha. 

A prisão ocorreu na tarde de domingo, quando a escrivã plantonista realizava diligências, e se deparou com um menino de sete anos, em frente a uma casa, chorando e pedindo por socorro. Ele é neto do casal.

De imediato, a policial civil parou para atender o garoto e se aproximou do imóvel que estava com o portão aberto, momento em que avistou o suspeito agredindo a mulher. A vítima estava caída, enquanto o autor a segurava pelos cabelos e desferia golpes com a mão fechada na região da cabeça da mesma.

Diante dos fatos, a policial mandou o suspeito soltar a mulher. Ainda na ocasião, aparentando estado de embriaguez, o suspeito ameaçou e xingou a vítima.

Em seguida, foi solicitado apoio aos demais policiais civis, que foram até o local e efetuaram a detenção do agressor, o qual foi levado à Delegacia de São Félix do Araguaia, interrogado e autuado em flagrante delito.

A vítima, W.K., de 57 anos, foi ouvida e revelou não ser a primeira vez em que foi agredida pelo companheiro. Porém, com medo, não quis denunciar o agressor. Ela também foi submetida ao exame de corpo de delito e representou pelo pedido de medidas protetivas, impostas pela Lei Maria da Penha.

I.L.K. foi interrogado e posteriormente autuado pela contravenção penal de vias de fato, e pelo crime de ameaça no âmbito da legislação penal e na lei da violência doméstica. Em seguida, o conduzido foi apresentado ao Poder Judiciário, sendo sua prisão em flagrante convertida pela Justiça em prisão preventiva.

As investigações continuam para conclusão do inquérito instaurado pela Polícia Civil para apuração do caso e possível indiciamento do investigado.

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • kleber
    11 Set 2019 às 10:35

    SE é indígena, não cabe à policia estadual atuar no caso e sim a PF por intermédio da FUNAI. Veja a complicação. pra mim se bebe pinga e anda de hilux não é índio mais e sim um individuo como os demais sujeitos às penalides da lei

Sitevip Internet