Olhar Direto

Terça-feira, 15 de outubro de 2019

Notícias / Cidades

Agentes apreendem 171 celulares e 352 cadernos de 'contabilidade' do crime; Sesp veta uso de papel moeda

Da Redação - José Lucas Salvani

12 Set 2019 - 17:45

Foto: Christiano Antonucci

Agentes apreendem 171 celulares e 352 cadernos de 'contabilidade' do crime; Sesp veta uso de papel moeda
Durante uma operação de 30 dias, agentes penitenciários apreenderam 171 celulares, sete quilos de drogas, 506 chips, 12 baterias avulsas, armas artesanais e 352 cadernos com anotações feitas pelos reeducandos durante a primeira fase da operação na Penitenciária Central do Estado (PCE). As visitas serão retomadas nesta sexta-feira (13).

Leia mais:
Direção altera datas e retoma visitas a detentos na Penitenciária Central do Estado

Entre os cadernos apreendidos, alguns deles continham informações sobre a aplicação de golpes por sites de compra e venda. Estes materiais serão analisados pelos órgãos competentes. As drogas apreendidas foram encaminhadas para a Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) ao longo da operação, iniciada em 13 de agosto.

“A primeira fase se encerra completados os 30 dias. Agora, passamos para outras atividades, que são os procedimentos internos, como a mudança na data das visitas e a quantidade de alimentos para dentro dos presídios, tudo para termos um melhor controle”, explica o secretário de Estado de Segurança Pública, Alexandre Bustamante.

Confira o vídeo sobre a operação divulgado pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp).


Mudanças internas

Entre as mudanças internas, agora fica proibido a circulação de papel moeda dentro do presídio. Os familiares deverão fazer depósitos, que ficarão como créditos na conta do recuperando junto à cantina da PCE, cuja instalação é prevista pelo Artigo 13 da Lei 7.210/84, que dispõe sobre Execução Penal no país.

Desta forma, os presos não vão poder revender em suas celas o que compravam da cantina por não haver circulação de dinheiro e nem poder vender os créditos para terceiros.

A quantidade de alimentos por preso também foi alterada. Antes era permitido até seis quilos por indivíduo, que podiam ser dispostos em mais de um recipiente. Agora, só é permitido dois quilos por reeducando que devem ser acondicionados em apenas um único vasilhame transparente.

Visitas

As visitas de familiares aos presos tiveram mudanças nas datas durante a semana e a partir de agora serão às sextas-feiras, sábados e domingos. Não haverá mais a visitação nas quartas-feiras.

A direção da unidade informou ainda que a cada mês haverá rotatividade nos dias de visitas nos raios 1, 2, 3 e 4, garantindo que todos os familiares possam ver os presos no dia de domingo. A cada visita, cerca de 600 visitantes ingressam na unidade. Os presos podem receber até dois visitantes devidamente cadastrados, além das crianças.

Atualizada às 18:01.

8 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • silvio lopes de moraes
    13 Set 2019 às 12:13

    Isso ai esta mais para prédio ADMINISTRATIVO D O CRIME.PARABÉNS PELO LIMPA,ISSO QUE ESTA SENDO FEITO DIMINUI EM MUITO A VIOLÊNCIA AQUI NAS RUAS.

  • JOSE NILDO
    13 Set 2019 às 11:24

    ATÉ AS LIGAÇÕES DE VENDA E COMPRA DE TUDO PAROU DE PERTURBAR PAROU OS GOLPES KKK

  • cidão
    13 Set 2019 às 10:07

    "171" é um número bem interessante na cadeia. É muita coincidência. kkkk

  • Chico Bento
    13 Set 2019 às 07:51

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Spciedade
    13 Set 2019 às 00:13

    Preso tem que trabalhar isso sim

  • Polyana
    12 Set 2019 às 22:03

    Vamos cortar também o salário que o estado paga para cada reeducando preso, o estado não tem obrigação de pagar isso. As vítimas somos nós e não esses vermes presos. Vamos economizar milhões pensam bem. Passar bens ????

  • Descrente
    12 Set 2019 às 22:01

    Até quando esses presos irão ficar sem seus celulares?Não seria mais viável colocar o bloqueador de sinal logo?Pois assim os celulares não teria mais serventia para eles.

  • Crítico
    12 Set 2019 às 20:17

    E presidio, não Spar nem motel. SAO PRESOS.

Sitevip Internet