Olhar Direto

Terça-feira, 22 de outubro de 2019

Notícias / Cidades

Governo aponta que 87% dos focos de calor estão em propriedades privadas, terras indígenas e assentamentos

Da Redação - Wesley Santiago

13 Set 2019 - 15:35

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Governo aponta que 87% dos focos de calor estão em propriedades privadas, terras indígenas e assentamentos
Dados divulgados pelo Governo do Estado apontam que cerca de 87% dos focos de calor em Mato Grosso estão localizados em propriedades privadas, assentamentos e terras indígenas. O levantamento se refere ao período entre 1º de janeiro e 8 de setembro de 2019, em que foram registrados 19.711 focos de calor no Estado.

Leia mais:
Chapada decreta situação de emergência e revela prejuízo de R$ 23 milhões com queimadas
 
Dentro das 84 terras indígenas, que correspondem a 16,26% do território estadual, foram registrados 3.009 focos de calor.
 
Durante o período proibitivo de queimadas, Mato Grosso está em quarto lugar em focos de calor por área queimada com 12.261 registros em imagens de satélites fornecidas pelo Instituto Nacional de Pesquisa Espacial (Inpe).
 
Mato Grosso é o terceiro maior estado brasileiro com 903 mil km². Em números absolutos, está em segundo lugar em focos de calor. 
 
A região metropolitana – Cuiabá, Santo Antônio de Leverger, Nossa Senhora do Livramento e Várzea Grande – teve 295 focos de calor desde o início do ano.
 
Nem todos os casos de focos de calor são necessariamente incêndios. Os sensores do satélite registram temperaturas acima de 47°C, por isso, os focos de calor não representam necessariamente incêndios florestais, fogo descontrolado, ou queimadas. Um incêndio, por sua vez, pode ter vários focos de calor.
 
O coordenador adjunto da operação Abafa Amazônia, tenente-coronel Dércio Santos da Silva, explica que os incêndios em terras indígenas são uma questão sensível. “Pelo uso do fogo em rituais indígenas ser uma questão cultural, as equipes da operação não podem apagar as queimadas dentro desses locais, nem mesmo agentes de órgãos federais. A entrada para atuar em ocorrências nas terras indígenas tem que partir das próprias lideranças”, explicou.
 
Operação Abafa Amazônia
 
Nas duas fases da Operação Abafa Amazônia realizadas em agosto e setembro deste ano, cerca de 29 mil hectares foram fiscalizados com estimativa de R$ 43 milhões de multas aplicadas. As ações foram coordenadas pelo Centro Integrado Multiagências de Coordenação Operacional (Ciman), instalado na Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp).
 
A segunda fase da Operação Abafa Amazônia, de 02 a 11 de setembro, ficou focada no médio-Norte e o lançamento foi em Sinop, com a força-tarefa multiagências atuando em União do Sul, Cláudia e Marcelândia. Ao todo foram fiscalizadas 28 áreas, num total de 20.111 hectares e estimativa de R$ 21,8 milhões em multas.
 
A próxima operação será na região Araguaia, mas ainda sem data definida.

Decreto de emergência
 
O governador Mauro Mendes decretou situação de emergência em Mato Grosso por conta dos incêndios florestais que atingem o Estado. A motivação para decretar a situação é pelo aumento no número de queimadas e pelas condições climáticas propiciarem a propagação do fogo.
 
O decreto tem duração de 60 dias. Segundo o Executivo, com a medida, o governo está autorizado a adotar ações necessárias à prevenção e combate aos incêndios e à manutenção dos serviços públicos nas áreas atingidas pelas queimadas.
 
Além disso, outro fator que agrava ainda mais essa situação é que o Estado passa por um período de estiagem de 4 meses, em diversas regiões, como é o caso do Vale do Rio Cuiabá.
 
Somado a isso, há o registro de baixa umidade relativa do ar no período, variando entre 7% e 20%, situação que é considerada crítica e que aumenta o risco de incêndios florestais, danos a saúde, sobretudo de jovens e idosos.

Cuiabá

O prefeito Emanuel Pinheiro decretou situação de emergência pelo período de 60 dias por conta da baixa umidade do ar e aumento dos incêndios florestais. Assinado na quarta-feira (11), o decreto suspende as aulas de educação física, aumenta o período do recreio, e cita a hidratação a cada 30 minutos, além da aquisição de umidificadores de ar para as unidades. Atualmente a rede municipal atende 163 unidades educacionais e 52 mil alunos.

Nesta semana, o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) emitiu alerta vermelho de onda de calor que pode aumentar em 5ºC a média por período maior que cinco dias. Vale lembrar que a temperatura média em Cuiabá é de 34ºC, ou seja, os termômetros devem ficar na casa dos 40ºC. 

Chapada dos Guimarães

A Prefeitura de Chapada dos Guimarães (64 quilômetros de Cuiabá ) decretou situação de emergência, na última quinta-feira (12), por conta da seca e dos estragos provocados pelas queimadas que assolam a região. A estimativa é que dez mil pessoas tenham sido afetadas. O prejuízo com despesas não previstas por conta do fato supera os R$ 23 milhões.
 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.