Olhar Direto

Terça-feira, 22 de outubro de 2019

Notícias / Política MT

“São mais de 11 mil ações nos EUA contra o agrotóxico mais utilizado em MT”, alerta Lúdio

Da Redação - Thaís Fávaro

14 Set 2019 - 16:20

Foto: ASSOCIATED PRESS

“São mais de 11 mil ações nos EUA contra o agrotóxico mais utilizado em MT”, alerta Lúdio
O deputado estadual Lúdio Cabral (PT) reafirmou a necessidade de se proibir o consumo do agrotóxico mais utilizado em Mato Grosso, o Glifosato, durante a sessão na tribuna realizada na manhã da última quinta-feira (12), na Assembleia Legislativa. De acordo com o parlamentar, a Organização Mundial da Saúde (OMS) classifica o Glifosato como potencialmente cancerígeno. “Lá nos Estados Unidos existem mais de 11 mil ações judiciais de pessoas intoxicadas e de pacientes com câncer, especialmente com linfoma”, diz.

Lúdio também é autor de um Projeto de Lei que visa proibir a pulverização aérea de agrotóxicos. “Esse é um dos mais nocivos caminhos pelo qual o agrotóxico se espalha para o solo, ar e água”, afirma.

Leia também
“Mato Grosso é campeão em câncer infantojuvenil e má formação fetal por causa dos agrotóxicos”, alerta pesquisador da UFMT
 
Lúdio é médico sanitarista e atua na área de epidemiologia estudando a saúde da doença na população e as condições que estão associadas ao adoecimento. Ele conta com o apoio do Núcleo de Estudos Ambientais e Saúde do Trabalhador (Neast) da Universidade Federal de Mato Grosso, Wanderlei Pignati, onde foi possível constatar que existe uma alta prevalência de determinados problemas de saúde como câncer infanto juvenil, má formação congênita, incidência elevada de abortamento espontâneo e a prevalência aumentada de doenças endócrino associadas à população que vive em áreas onde há um consumo aumentado de agrotóxicos.

“A Organização Mundial da Saúde (OMS) classifica o Glifosato como um veneno potencialmente cancerígeno e existe um princípio na legislação brasileira e existe um princípio na legislação brasileira que é o principio da precaução. Por isso essa ação civil pública proposta pelo Ministério Público do Trabalho, pelo Ministério Público Federal, pelo Ministério Público Estadual por meio da Procuradoria Ambiental buscando na justiça a proibição da utilização do Glifosato no nosso Estado”, alerta Lúdio.

Segundo o parlamentar, existem onze mil ações judiciais contra o produto nos Estados Unidos, entre elas existe uma decisão recente da justiça da Califórnia que puniu a multinacional Monsanto com uma indenização de 1 bilhão de reais, que deverá ser paga para uma pessoa intoxicada cronicamente por esse agrotóxico e portadora de linfoma não Hodgkin.

O parlamentar propôs a proibição do Glifosato por meio de um Projeto de Lei que insere essa proibição na legislação estadual dos agrotóxicos. Além do Glifosato, Lúdio propõe a proibição da utilização do 24D, outro herbicida utilizado em pastagens que é que derivado do agente laranja que era utilizado na época da guerra no Vietnã e tem um potencial nocivo para o meio ambiente e para a população.

Lúdio formalizou e protocolou o projeto de lei estabelecendo limites para a aplicação dos agrotóxicos no Estado. De acordo com ele, nascentes de rios, núcleos populacionais, aldeias, vilas, cidades, escolas rurais, vilas rurais e unidades de saúde em torno de cidades, estabelecendo um limite físico, geográfico de 500 metros para a aplicação de todo e qualquer tipo de agrotóxico ou 200 metros caso seja feita uma barreira verde com arvores em torno da área que receberá os produtos.

O Brasil é o segundo maior consumidor de Glifosato no mundo. Mato Grosso é o maior consumidor de agrotóxico do pais, cerca de 70 litros por habitantes ao ano. “Nós precisamos aprofundar uma reflexão sobre o modelo de desenvolvimento de Mato Grosso que tanto pode ser negativo para o mundo, como também pode se tornar um caminho correto de exemplo positivo. Nós precisamos nos libertar da indústria do veneno que sacrifica a própria agricultura no nosso Estado”, finaliza o deputado.

Agrotóxicos

A palavra 'agrotóxico' passou a ser utilizada para denominar os venenos agrícolas no Brasil colocando em evidência a toxicidade desses produtos ao meio ambiente e à saúde humana. O termo é definido pela Lei Federal n.º 7.802 de 11 de julho de 1989, regulamentada pelo Decreto 98.816 e, posteriormente, pelo Decreto n.º 4.074, de 4 de janeiro de 2002.

Os agrotóxicos são utilizados durante a produção, armazenamento, transporte, distribuição e transformação de produtos agrícolas e seus derivados. Entre os agrotóxicos também estão os desfolhantes, dessecantes e as substâncias reguladoras do crescimento vegetal ou fitorreguladores.

Glifosato

O Glifosato é um herbicida sistêmico de amplo espectro e dessecante utilizado para matar ervas daninhas, especialmente as folhosas perenes e gramíneas que competem com as culturas. A multinacional Monsanto lançou o glifosato no mercado em 1974, sob o nome comercial Roundup, também conhecido no Brasil como Mata-Mato. Atualmente o produto é vendido por vários fabricantes.

4 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Realista
    15 Set 2019 às 12:55

    Radicalismo só na retórica. Na prática o partido dele mostrou que o sistema funciona de forma bem diferente, até porque o grande capital põe no bolso qualquer discurso ideológico.

  • Curioso
    14 Set 2019 às 18:30

    Agora que sujeito tá vendo isso brincadeira isso não?

  • Cidadão cuiabano
    14 Set 2019 às 17:46

    “Nobre deputado” porque o Sr não vai atrás das milhares de toneladas de defensivos agrícolas contrabandeados que vem da China sem nenhum tipo de controle dos órgãos ????? Deixe que eu respondo .... não tem coragem de se meter com os bandidos que trazem isso pro Mato Grosso !!!!

  • Fábio
    14 Set 2019 às 17:27

    Ahhhh... Então agora os EUA virou parâmetro para o PT??