Olhar Direto

Terça-feira, 15 de outubro de 2019

Notícias / Política MT

Virgínia Mendes lembra origem humilde, nega interferência no Governo e fala sobre exposição da vida privada

Da Redação - Érika Oliveira

15 Set 2019 - 07:55

Foto: Caroline De Vita

Virgínia Mendes lembra origem humilde, nega interferência no Governo e fala sobre exposição da vida privada
Uma pesquisa rápida na internet sobre o termo “primeira-dama” traz a seguinte descrição: titulo informal que se dá à esposa de um governante, não possui função oficial, participa de eventos beneficentes e deve ser carismática para transmitir imagem positiva de seus maridos. Embora reúna os adjetivos, a primeira-dama de Mato Grosso, Virginia Mendes, foge do estereótipo. Ela atua com vigor nas atividades do Governo, embora negue interferência, e imprime um estilo diferente do tradicional, se colocando sempre ao lado do marido como protagonista de alguns dos principais projetos da atual gestão.

Leia mais:
Mauro veste cocar e anuncia internet e R$ 1 milhão para escola em comunidade indígena

“Conversamos muito sobre tudo. Mauro gosta de ouvir minha opinião e na nossa família isso sempre foi um hábito. Nós trocamos informações, ideias e é sempre muito produtivo, pois cada um colabora e encontramos juntos a solução para muitas questões. Não vejo isso como interferência, mas sim como parceria e colaboração. É claro que por sermos pessoas diferentes temos divergências, mas nada grave, vejo como natural, inclusive, e é esse balanço que faz as coisas darem certo entre nós. Costumo dizer que às vezes ele é mais razão e eu mais coração. Mas já pensou um corpo sem coração ou sem cérebro? Um complementa o outro e é assim conosco também”, definiu Virginia, ao ser questionada sobre sua assistência quase unânime à gestão do governador Mauro Mendes (DEM).

Esta semana Virginia conversou com exclusividade com a reportagem do Olhar Direto e relembrou algumas das ações em que participou ativamente ao longo dos últimos meses, como a reabertura da Santa Casa de Cuiabá. Foi a partir de um apelo dela que o governador assumiu o compromisso de estadualizar a instituição filantrópica e retomar os atendimentos.

Bastante ativa nas redes sociais, a primeira-dama também falou sobre a exposição à sua vida privada e de seus três filhos, Ana Carolinne, Luis Antônio e a caçula Maria Luiza, e do que pensa caso algum deles, a exemplo do pai, queira seguir carreira política.

Confira a íntegra da conversa:

OD - A senhora recusou o comando da Secretaria de Assistência Social, sob a alegação de que iria se dedicar às empresas da família e aos cuidados com sua filha caçula, Maria Luiza, mas tem tomado a frente dos principais projetos da Pasta. Como tem conciliado a sua rotina com o trabalho no Governo, haja vista o ritmo intenso que envolve, inclusive, viagens para fora do Estado?


Virginia Mendes - Sim, estou à frente dos negócios, uma vez que Mauro está afastado. Graças a Deus eu conto com valiosos colaboradores tanto nas empresas quanto no Governo e na minha residência. Sem a ajuda não seria possível dividir o tempo entre tantos afazeres. Quero agradecer imensamente aos anjos que me ajudam na minha casa, os nossos fiéis e empenhados colaboradores nas empresas e a minha equipe da UNAF, que sem eles não conseguiria dar conta de tudo. Tenho três filhos e procuro dividir o tempo para dar atenção a todos estes setores: família, empresas e as ações de Governo. Não é fácil, mas é possível, pois quando se quer fazer a gente arruma tempo, a gente prioriza.  Agradeço muito o apoio que tenho dos meus dois filhos mais velhos, Ana Carolinne, pela compreensão, e o Luis Antônio, que mesmo estudando e morando em São Paulo, me ajuda bastante nas empresas e sempre que pode vem para Cuiabá participar das reuniões da empresa. A Maria Luiza é bebê ainda e procuramos sempre priorizar os compromissos em família e por isso optei por não assumir um cargo no Governo, para poder dar atenção e estar mais de perto dos meus filhos

OD - O governador Mauro Mendes faz questão de destacar sempre a “assinatura” da senhora nas decisões que ele toma. Até onde vai sua interferência na atuação dele, enquanto chefe do Executivo? Alguma vez vocês já divergiram sobre algum tema? Ele costuma brincar, também, que a senhora dá “broncas” pelo excesso de trabalho. Ainda é possível separar o Mauro governador, do Mauro esposo?

Virginia Mendes -
Conversamos muito sobre tudo, Mauro gosta de ouvir minha opinião e na nossa família isso sempre foi um hábito. Nós trocamos informações, ideias e é sempre muito produtivo, pois cada um colabora com uma ideia e encontramos juntos a solução para muitas questões. Não vejo isso como interferência, mas sim como parceria e colaboração. É claro que por sermos pessoas diferentes temos divergências, mas nada grave, vejo como natural, inclusive, e é esse balanço que faz as coisas darem certo entre nós. Costumo dizer que às vezes ele é mais razão e eu mais coração, mas já pensou um corpo sem coração ou sem cérebro? Um complementa o outro e é assim conosco também. Em relação ao excesso de trabalho, Mauro sempre se dedica muito a tudo o que se propõe a fazer. É assim desde que eu conheço ele, há mais de 24 anos juntos. Ele mergulha e às vezes esquece a hora, mas sempre procura compensar quando está conosco, nos momentos de família. Valorizamos estes momentos, que vejo como essenciais para equilibrarmos as energias. O Mauro é o Mauro em qualquer situação, seja governador ou o marido. Sou casada com o Mauro Mendes. Empresário, prefeito ou governador são, digamos assim, títulos. A pessoa do Mauro é a mesma em todas as situações. Os valores que ele prega e que ele segue são os mesmos em qualquer situação. E independente e acima de qualquer um destes cargos ele cuida da nossa família da mesma forma, com o mesmo amor, carinho e dedicação

OD - A senhora tem dois filhos já adultos e a mais velha, inclusive, demonstra engajamento em causas humanitárias, e já participou de trabalhos voluntários ao redor do mundo. Como a senhora reagiria se eles demonstrassem interesse em seguir carreira política, assim como o pai?

Virginia Mendes -
Eu sempre digo que somos pais abençoados. Deus nos deu três filhos maravilhosos, inteligentes, companheiros, amigos, pessoas honestas e nunca nos deram trabalho. Sou uma mãe orgulhosa do caminho que cada um deles já escolheu seguir. A Ana com as escolhas dela, com o olhar voltado para ações humanitárias, dedicada ao voluntariado e ao desenvolvimento pessoal. Ela tem feito vários cursos de autoconhecimento. O Luis está quase se formando em Direito e tem um perfil empreendedor, voltado para os negócios. E a Maria já se mostra extremamente comunicativa, sociável. Os dois mais velhos cresceram vendo o pai dedicado à nossa empresa e já na adolescência acompanharam de perto sua ascensão e trajetória política, acompanhando as boas práticas políticas. A Maria já chegou quando Mauro era prefeito. Ou seja, a política, a boa política está presente nas nossas vidas, isso é fato. Nenhum deles demonstrou esse interesse ainda, mas uma coisa é certa, o que mais queremos é que tenham saúde e sejam felizes e realizados em todos os aspectos e com as escolhas que fizerem. Sempre estaremos aqui para apoia-los.

OD - Suas redes sociais sempre foram bastante ativas, mas é inegável que a partir da posse do Mauro como governador suas contas têm um alcance muito maior, sendo utilizadas inclusive como parte da comunicação do Governo. Como é lidar com toda essa exposição, principalmente de suas vidas particulares? A senhora filtra o que é publicado pelas assessorias?

Virginia Mendes -
Considero as redes sociais uma ferramenta em potencial tanto para utilização de ordem pessoal como profissional. Estamos vivendo uma era de uso intenso destas mídias e é claro que há uma certa curiosidade sobre como é a vida privada das ‘pessoas públicas’. Vejo até com certa naturalidade, mas eu sou comum como qualquer outra pessoa. Procuro seguir com a minha vida de maneira normal. Não me incomoda as pessoas quererem saber mais sobre o que gosto de comer, onde gosto de ir, as coisas que gosto de fazer. O que me incomoda é a mistura do pessoal com o público e os ataques pessoais ou à minha família. Isso eu não admito. Antes de eu ser primeira-dama eu sou a Virginia. As pessoas às vezes misturam as coisas e fazem ataques de ordem pessoal. Essa é a parte ruim desta exposição, mas o carinho, as orações e as mensagens positivas que recebo diariamente são maravilhosas, são incentivadoras e isso é muito bom. Gosto de estar conectada, mas isso não é minha prioridade. Temos uma vida real que na maior parte do tempo está fora da internet. Antes eu utilizava as redes sociais para interagir com amigos e pessoas mais próximas e hoje, devido ao aumento de seguidores, tenho me dedicado também a compartilhar informações de interesse público, no sentido de colaborar com a comunicação oficial, na transparência e até mesmo no sentido de dar voz a temas tão importantes e necessários como é o caso da doação de órgãos, de falar sobre depressão, sobre voluntariado, combate à violência doméstica, enfim, há tantos assuntos relevantes e que precisam de projeção...

OD - O trabalho de uma primeira-dama, historicamente, se restringe às ações beneficentes da gestão, mas desde quando a senhora exerceu a função em Cuiabá, ainda que não abandone esse perfil, percebemos que sua atuação alcança outras áreas de grande importância, como saúde, segurança e educação. Como a senhora seleciona os projetos aos quais pretende se dedicar e o que pode destacar de avanços neste primeiro ano de Governo Mauro Mendes?

Virginia Mendes - É natural existir uma maior proximidade e maior envolvimento com ações sociais e de cunho filantrópico. Tenho um propósito com Deus de poder me doar um pouco para os que mais precisam. Já passei por momentos difíceis na minha vida, passei anos sofrendo com o problema renal que eu tinha e nestes momentos eu sempre me fortaleci em Deus. Eu e o Mauro também viemos de uma origem familiar humilde, sem muitos recursos, tudo o que temos é fruto de muito trabalho, de muito estudo. Então eu sei o que é passar por necessidade e por isso eu procuro retribuir as bênçãos que tenho na minha vida e da minha família. Minhas ações são realizadas baseadas na minha crença e nos valores que pratico na minha vida. Eu sofri muito com o problema dos meus rins e por isso quando assumimos o Governo uma das primeiras coisas que eu pedi para o Mauro e para o secretário Gilberto, de Saúde, foi a retomada dos transplantes renais, que estão há mais de 10 anos parados e que até o final do ano, com a graça de Deus e o empenho de uma grande equipe, o Governo irá retomar o serviço.

Outra ação que eu também me envolvi diretamente e que tem relação com a área de saúde foi a reabertura do Hospital Estadual Santa Casa, que foi uma grande conquista para a saúde pública do Estado de Mato Grosso. E eu estou imensamente grata por ter tido a oportunidade de participar diretamente disto. Todas as transformações da ala pediátrica do Hospital foram fruto de uma ação solidária, que realizamos no final do mês de maio – dia do seu aniversário –, no evento beneficente “Aniversário Solidário”, onde reunimos centenas de parceiros, amigos, autoridades e colaboradores. Foram arrecadados quase 400 brinquedos e diversos eletrodomésticos, como, por exemplo, 28 televisões, 22 frigobares, 1 ar-condicionado de 60 mil btus, além de 7 mesas interativas repletas de jogos, aplicativos e recursos digitais para as crianças. Foi feita ainda toda a ambientação nas paredes e nos corredores, que ganharam cores vivas e alegres, com desenhos lúdicos e inspiradores, obra do meu querido amigo, o artista plástico Rafael Jonnier.  Além disso, os quartos foram também ambientados com lindos adesivos, alegres e com temas infantis. Foram montadas 3 brinquedotecas, com mobiliário, brinquedos, mesas digitais com jogos e aplicativos. Tudo para que as crianças que estiverem em tratamento tenham um acolhimento digno e possam se recuperar ainda mais rápida. Foram mais de 300 parceiros, entre amigos, familiares, empresários e sociedade em geral. Agradeço imensamente de coração a todos que nos ajudaram nesta ação. Não tenho nem palavras para agradecer. Impossível não se envolver em causas como esta, não, é?! Como mãe eu sei o que é ter filho doente, eu mesma já vivi muito tempo dentro de um hospital, então eu me dedico a melhorar, na medida do que eu posso, os serviços de saúde prestados pelo Estado.

Outra bandeira que também defendemos é o combate à violência doméstica, com ações e parcerias propositivas. Dentro deste tema, temos o Programa SER Mulher, ancorado em três grandes pilares: Superação, Esperança e Respeito. E que já tem como ação imediata a implantação do primeiro Plantão 24 horas de atendimento às mulheres vítimas de violência, já em obras, com previsão de entrega ainda este ano. Há muitas mulheres sendo mortas e isso também não pode ficar para depois, é preciso agir e rápido. Dentro do SER Mulher temos também as palestras, atendimentos jurídicos e psicossocial que estamos levando para os bairros de Cuiabá, Várzea Grande e para o interior, com foco no combate à violência doméstica. Temos dois ônibus equipados para isso e já fomos para o Pedra 90 e este final de semana estaremos em Cáceres. Depois vamos percorrer mais locais com maior incidência de casos de violência. Quero enaltecer e agradecer a parceria da desembargadora Maria Erotides Kneip, coordenadora estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do Tribunal de Justiça, que é uma liderança neste segmento e uma grande referência pra mim.

Também dentro do SER Mulher vamos ofertar cursos de qualificação tanto para as mulheres em situação de medida protetiva quanto para aquelas que são chefes de família e estão em situação de vulnerabilidade social.

Também conseguimos entregar 100 mil cobertores aos 141 municípios. E agora em setembro, entre os dias 17 e 26, vamos realizar a semana estadual em prol da pessoa com deficiência, com a realização do primeiro desfile inclusivo de pessoas com diferentes tipos de deficiência. Aproveito para convidar a todos para prestigiarem este evento, que vai ocorrer no dia 21/09, às 18h, no Shopping Estação Cuiabá. Será um momento especial e único, cujo objetivo é despertar atenção de todos sobre a importância da inclusão das pessoas com deficiência dentro da moda. Você já reparou que não temos roupas confeccionadas para pessoas cadeirantes, ou que não possuem um dos membros? Os provadores de roupas também, em alguns casos, são pequenos e apertados, não cabem uma cadeira de rodas. É este o propósito, levantar esta discussão sobre a importância desta causa. Esta iniciativa está dentro do programa SER Inclusivo, outra ação com a nossa articulação.

Outro público que estamos atendendo e que tenho o maior prazer em estar junto são as comunidades indígenas. Confesso que sou encantada pela cultura indígena e tenho me colocado à disposição para ajudá-los em suas demandas. Estivemos dias atrás na aldeia Halataikwa, da etnia Enawene Nawe, na região de Juína, levando o nosso programa SER Cidadão Indígena, com diversos serviços de emissão de documentos, atendimentos na área de saúde e outras iniciativas que há anos eles reivindicavam. Numa ação inédita promovida pelo Governo naquela região. Já estive também com os Xavantes e com os Paresi e entre as solicitações estão apoio à produção agrícola e mais atenção nas áreas de saúde e de educação. O SER Cidadão Indígena vai atuar dentro destas frentes com as comunidades indígenas.

Recentemente, tivemos uma importante conquista que foi a aprovação do Fundo de Apoio às Ações Sociais de Mato Grosso (FUS/MT), uma conquista nossa e que busquei como referência o Fundo Social de São Paulo. Visitei algumas vezes e tive a oportunidade de trocar informações com a primeira-dama Bia Dória. O objetivo FUS é de investir mais recursos financeiros em ações sociais que vão impactar diretamente na melhoria da qualidade de vida das famílias mato-grossenses.

E todos os meus programas, ações e projetos estão e estarão ancorados no programa SER, cujos pilares serão sempre os da Superação, da Esperança e do Respeito. E irão atender crianças, mulheres, jovens, idosos, pessoas com deficiência, povos tradicionais, como os índios, e os demais públicos em situação de vulnerabilidade.

7 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Mariana C.
    16 Set 2019 às 17:55

    Excelente! Conheço o trabalho da Virginia ha anos, e realmente é essa pessoa que usou de sua posição para melhorar a vida de outras pessoas, e nunca para tirar vantagem própria!

  • Ggm
    15 Set 2019 às 18:20

    Primeira dama! Quando realmente vai comesar os transplantes renais em mato grosso?

  • Ggm
    15 Set 2019 às 18:20

    Primeira dama! Quando realmente vai comesar os transplantes renais em mato grosso?

  • Oto
    15 Set 2019 às 11:20

    Nooooossssa.a página inteira falando do bondoso coração da mulher.

  • TAIS PAULA
    15 Set 2019 às 11:14

    E um exemplo de ser humano a ser seguido, o mundo precisa de amor e solidariedade ao próximo, Dona Virginia desde quando o Senhor Governador era prefeito, ela já fazia um trabalho extraordinário, que Deus a abençoe infinitamente a família.

  • Simone
    15 Set 2019 às 11:07

    Nossos governantes têm muito a melhorar, principalmente em termos intelectuais. A grande maioria de nossos políticos fala mal, e nem possuem nível superior de verdade. Falta refinamento cultural a eles.

  • Paquetá
    15 Set 2019 às 09:18

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

Sitevip Internet