Olhar Direto

Quinta-feira, 09 de julho de 2020

Notícias / Cidades

Amigos criam vaquinha online para ajudar estudante de medicina com doença rara; veja como ajudar

Da Redação - Thaís Fávaro

19 Set 2019 - 08:02

Foto: Arquivo Pessoal

Amigos criam vaquinha online para ajudar estudante de medicina com doença rara; veja como ajudar
Brunna Silva Almeida, de 23 anos, é estudante de medicina e há pouco tempo descobriu ser portadora de Neuromielite Óptica (NMO), doença inflamatória que ataca o sistema nervoso central e acomete principalmente os nervos ópticos e a medula espinhal, ocasionando diminuição da visão e dificuldade de andar. O custo do tratamento fica em torno de R$ 15 mil. Amigos e colegas do curso criaram uma “vaquinha online” para ajudar na arrecadação do valor. Veja AQUI.

Leia mais
Esposa faz vaquinha para cirurgia que pode aumentar tempo de vida do marido; veja vídeo
 
Desde o semestre passado, a estudante começou a apresentar hematomas em todo o corpo mesmo sem ter ocorrido nenhuma batida. Ao buscar atendimento médico, a jovem foi internada e passou duas semanas fazendo tratamento com corticoides devido a um quadro baixo de plaquetas. Os exames mostraram que as plaquetas da estudante estavam em 20 mil, sendo que o valor normal para um adulto saudável é de 150 mil.  

Durante a internação, a jovem foi diagnosticada com púrpura, uma doença autoimune que se caracteriza pela destruição das plaquetas, células produzidas na medula óssea e ligadas ao processo de coagulação inicial do sangue.
 
Há cerca de duas semanas, a jovem começou a sentir novamente as dores na região do peito e foi orientada a voltar para o médico e foi desta vez foi diagnosticada com Neuromielite óptica. O custo mensal gira em torno de R$ 1,6 mil, além dos custos com fraldas geriátricas, cadeira de rodas e consultas médicas.
 
Para quem quiser e puder ajudar, pode acessar a pagina da Vaquinha virtual e fazer uma doação de qualquer valor. Maiores informações pelo telefone: (65) 99939-0289 falar com Ana Clara.

7 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Kalil Ueda
    19 Set 2019 às 15:16

    Mi-mi-mi. Pede pra Bolsonaro.

  • Silva
    19 Set 2019 às 13:13

    Anônimo fantásticas considerações, concordo contigo 100%... lendo o que você escreveu, ainda sinto esperança de que algumas pessoas são genuinamente boas!!!

  • Anónimo
    19 Set 2019 às 12:31

    Que mundo ruim que vivemos hoje! Falta amor e caridade! Qualquer uma pessoa não está isenta de ser surpreendida por uma enfermidade grave ! Se os colegas estão sendo solidários é porque conhecem o quadro e situação financeira da estudante . Nem todos que estudam na Únic tem condições ! Existem pessoas como é o caso de um familiar que temos , todos colaboram para o pagamento Pobre moça , lutando para ter um futuro melhor , ,vem uma enfermidade grave e recebe críticas de pessoas insensatas desprovidas de qualquer amor humano ...cuidado com as voltas da vida ! Parabéns as colegas de curso pela iniciativa!

  • Anônimo.
    19 Set 2019 às 11:34

    Vamos aos fatos, Brunna tem fies de 100% ( ou seja, não é inexistente) e vive uma realidade extremamente complicada em sua intimidade familiar ( Se a queridíssima pessoa que teceu o comentário acima for procurar se informar mais, verá em outras matérias que a referida estudante de medicina tem uma renda mensal de 2mil reais,pois a mãe tem um hot dog em várzea Grande e o pai tem alzheimer). Antes de propagar um juízo de valor infundado, é importantíssimo procurar informações fidedignas para não propagar mentiras e tecer comentários maldosos. E ainda que isto não fosse uma verdade, que a Brunna fosse uma pessoa de boa condição econômica, creio eu que a empatia e a solidariedade devem ser sobrepostas ao julgamento.

  • L.Gaga
    19 Set 2019 às 10:57

    A matéria não deixou claro, mas em outros sites que a noticia está sendo veiculada, relata que essa garota apesar de ser estudante de medicina na UNIC, ela estuda com FIES 100% (mostra ser esforçada) e os cursinhos preparatórios ela também fez com auxilio de bolsas. Vamos ajudar!!

  • Gabriela Duarte
    19 Set 2019 às 10:25

    Quem estuda numa universidade particular, onde inexiste FIES, para medicina não precisa de vakinha virtual. Tratamento mais barato que uma única mensalidade. Tranca um semestre. Se trate. E volte.

  • Jorge Henrique
    19 Set 2019 às 09:09

    Estudante de medicina podemos arcar com tratamento.

Sitevip Internet