Olhar Direto

Domingo, 20 de outubro de 2019

Notícias / Política MT

Governo fecha setembro com rombo de R$ 69 milhões; segundo menor na gestão de Mauro Mendes

Da Redação - Wesley Santiago

04 Out 2019 - 08:55

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Governo fecha setembro com rombo de R$ 69 milhões; segundo menor na gestão de Mauro Mendes
O governo do Estado fechou o mês de setembro de 2019 com um déficit de R$ 69,6 milhões. O rombo é o segundo menor da gestão de Mauro Mendes (DEM) à frente do Palácio Paiaguás. Na quinta-feira (03), o Executivo anunciou a diminuição do número de parcelas para o pagamento da folha salarial dos servidores, aposentados e pensionistas do Executivo, que passará a ser em duas vezes.

Leia mais:
Governo inicia redução do escalonamento do salário dos servidores
 
Em setembro, o Estado arrecadou R$ 1.379.354.359, valor que foi somado a outros R$ 76.461.323, que constavam no saldo da Conta Única no dia 1º daquele mês. Desse valor, o governo efetuou o pagamento dos salários dos servidores ativos no valor de R$ 308.719.018 e dos inativos no valor de R$ 197.755.982.
 
Somente com repasses obrigatórios aos Poderes, referente ao duodécimo, o valor foi de R$ 198.363.317. Conforme prevê a lei, ao Tribunal de Justiça foi destinada a quantia de R$ 88.215.266; à Assembleia Legislativa o valor foi de R$ 41.395.495; ao Ministério Público R$ 29.184.324; para o Tribunal de Contas do Estado o valor foi de R$ 28.784.198 e para a Defensoria Pública o repasse foi de R$ 10.784.034.
 
Para as 141 prefeituras de Mato Grosso, no mês de maio, o valor repassado foi de R$ 246.338.284.
 
A Educação recebeu de recurso referente ao Fundeb a quantia de R$ 125.484.798, além de R$ 9.335.612 também de repasse obrigatório.
 
À Saúde foi destinada a quantia de R$ 51.735.569 e para o custeio das secretarias de Estado o valor foi de R$ 86.845.399.  
 
O Estado também fez o pagamento de dívidas bancárias na quantia de R$ 135.641.653. Além desses valores, foi bloqueado judicialmente a quantia de R$ 11.756.807 e para as contas especiais (Fundo Estadual de Equilíbrio Fiscal de Mato Grosso, Mato Grosso Saúde e MT Prev) foi repassado o valor de R$ 16.431.156.
 
Em investimentos (excluindo Fethab/financiamentos), o Estado destinou a quantia de R$ 6.722.895.
 
Ainda cumprindo os repasses obrigatórios, o Estado repassou ao Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal), Imad (Instituto da Madeira do Estado de Mato Grosso), Imafir (Instituto Mato-grossense do Feijão, Pulses, Grãos Especiais e Irrigação) e Detran a quantia de R$ 11.123.508.


Meses passados

Em janeiro o déficit foi de R$ 168 milhões (sendo o maior), já em fevereiro foi de R$ 118 milhões, em março de R$ 60,9 milhões, em abril R$ 72,8 milhões, em maio R$ 67,4 milhões, junho de R$ 100,7 milhões, julho de R$ 90,2 milhões e em agosto foi de R$ 123,2 milhões.

Empréstimo

O Plenário do Senado Federal aprovou por unanimidade a concessão do empréstimo junto ao Banco Mundial, no valor de US$ 250 milhões para Mato Grosso.

O Estado tenta desde o início deste ano, contrair o empréstimo para conseguir pagar a dívida com o Bank of América, firmada na gestão do ex-governador Silval Barbosa. A instituição estrangeira na época, comprou parte da dívida do Estado com a União, para aumentar a capacidade de endividamento de Mato Grosso e possibilitar a execução de obras, especialmente as voltadas para a Copa do Mundo de 2014.

O Governo de Mato Grosso deve atualmente US$ 250 milhões para o banco estrangeiro e o pagamento da dívida está sendo realizado em duas prestações de R$ 153 milhões por ano, até 2022.

Com a aprovação do empréstimo, o recurso vindo do Banco Mundial será usado para pagar a dívida do Estado com o Bank of América e deixará o Estado em uma situação mais cômoda, com o pagamento da nova dívida estendido por 30 anos, além de um parcelamento mensal com taxa de 1,5% ao ano.

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Gheraldo Dhorte.
    04 Out 2019 às 16:19

    Quando tem excesso de arrecadação,ao invés de fazerem um colchão financeiro(Poupaça), para momentos de poucas arrecadação,o governo reparte o dinheiro para os poderosos poderes Judiciário,Legislativo,Tribunal de contas e Ministério público.

  • moacir
    04 Out 2019 às 11:17

    para onde o dinheiro da arrecadação está indo?..dinheiro não dá pra um péssimo administrador.

  • Jurandir
    04 Out 2019 às 09:14

    Não é novidade, apesar de bravatas sem parar, os governantes de Mato Grosso sempre ficaram de pires na mão atrás de dinheiro da União e empréstimos sejam nacionais ou internacionais. No final, quem paga o PATO é a federação.

Sitevip Internet