Olhar Direto

Domingo, 20 de outubro de 2019

Notícias / Política MT

A pedido de indígenas, Galli se reúne com Funai para tratar de autorização de licenciamento de UHE

Da Redação - Carlos Gustavo Dorileo

04 Out 2019 - 14:14

Foto: Reprodução

Rio das Garças

Rio das Garças

A pedido de lideranças indígenas, o ex-deputado federal Victório Galli (Patri) se encontrou com representantes da Funai (Fundação Nacional do Índio) para tratar sobre a autorização do licenciamento da Usina Hidrelétrica (UHE) Boaventura, localizada no Rio das Garças, próximo aos municípios de General Carneiro, Barra do Garças e Pontal do Araguaia, na região do Araguaia, em Mato Grosso.

Leia também
Supremo declara inconstitucional aposentadoria especial para deputados


O procedimento de licenciamento ambiental da Usina Hidrelétrica está suspenso desde o mês de março deste ano, por determinação da Justiça Federal, acatando o pedido do Ministério Público Federal.

A Secretaria de Meio Ambiente do Estado (Sema), inclusive, já encaminhou ofício à superintendência do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), solicitando a delegação de competência para a realização do licenciamento  ambiental da UHE.

A reunião com a Funai, segundo Galli, foi um pedido de indígenas das etnias Xavante e Bororos, que vivem na região e que querem conquistar autonomia financeira com a chegada da UHE.

“Me reuni com o coronel De Calli e foi uma reunião boa. Acredito que logo este impasse envolvendo a Usina Hidrelétrica no Rio das Garças será resolvido. A nova direção do Governo tem esta missão de dar autonomia financeira para os índios e eles me procuraram para tratar esta questão com a Funai”, disse Galli ao Olhar direto.

O projeto de implantação da UHE foi apresentado pela Sema em fevereiro de 2016, com a previsão de alagamento de 1700 hectares, atingindo os municípios de General Carneiro, Pontal do Araguaia e Barra do Garças. A estimativa é que o potencial das turbinas chegue a 38 Megawatts (MW).

A UHE, caso seja implantada, pode gerar cerca de 350 empregos no período da construção. Para a operação, a expectativa é de 25 empregados.

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Elias
    05 Out 2019 às 19:19

    Pior.de tudo e o Galli representando índios.. eu eim..faz me rir

  • TAIRONE LEIGH
    05 Out 2019 às 12:15

    Etnias Xavante e Bororos, que vivem na região e que querem conquistar autonomia financeira com a chegada da UHE????????? O que os indígenas ganharão com essa usina? Sei não... Nesse angú tem caroço.

  • nilton
    04 Out 2019 às 14:50

    fácil só derrubar a decisão judicial tálokay a P. da árvore e a P. da Natureza ninguém quer, querem é a P do minério. TAl Okay pei pei pei e vamos terminar de destruir tudo

Sitevip Internet