Olhar Direto

Domingo, 20 de outubro de 2019

Notícias / Política MT

Vice-líder de Bolsonaro diz que 'pacote anticrime' de Moro deve ficar para 2020 diante de outras prioridades

Da Redação - Érika Oliveira

06 Out 2019 - 10:32

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Vice-líder de Bolsonaro diz que 'pacote anticrime' de Moro deve ficar para 2020 diante de outras prioridades
O deputado federal José Medeiros (Pode), vice-líder do Governo Bolsonaro na Câmara, afirmou que o ‘pacote anticrime’ elaborado pelo ministro da Justiça, Sergio Moro, só deverá ser votado em 2020, em razão de pautas mais urgentes, citando as reformas da Previdência e Tributária como exemplo. Esta semana, na presença do presidente Jair Bolsonaro (PSL), Moro lançou uma campanha publicitária com o slogan “Pacote anticrime: a lei tem que estar acima da impunidade”.

Leia mais:
Senadores de MT votam a favor de reforma da Previdência e contra endurecimento de regra do abono salarial

“O pacote ainda não está necessariamente na pauta. Vamos colocar assim: não é o que está de boca em boca. O que a Câmara está tratando agora, que o pessoal está muito preocupado, é com a liberação da LOA e do PLN 18, que é o orçamento para os municípios. O que também está muito em voga é a questão da cessão onerosa do pré-sal. E Mato Grosso, que é muito atingido pela Lei Kandir, é fortemente impactado nesse sentido. O projeto do Moro tem sido mais debatido pela imprensa. Eu acho que as discussões sobre isso devem ficar para o próximo ano, porque o Senado vai se debruçar também nas pautas que citei. E tem o 2º turno da Reforma da Previdência, antes do Pacote ainda temos Reforma Tributária...”, explicou Medeiros.

O pacote anticrime enfrenta resistência dos deputados. O grupo que analisa o texto já rejeitou pontos importantes da matéria, como a proposta sobre as saídas temporárias e a execução provisória a condenados no tribunal do júri.

O grupo na Câmara é formado por 15 deputados, que também avalia uma proposta elaborada por uma comissão de juristas integrada, entre outros, pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes.

Segundo o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o texto que sairá do grupo de trabalho, ainda não concluído, será submetido diretamente ao Plenário da Casa. O Governo aposta na apresentação de emendas para reverter derrotas no colegiado, que também excluiu pontos como a permissão para prisões após condenações em segunda instância, um dos mais caros a Sergio Moro, e o excludente de ilicitude em casos com excesso no emprego da legítima defesa, uma promessa de campanha de Jair Bolsonaro.
 
 

9 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • joaoderondonopolis
    07 Out 2019 às 11:00

    Pura enganação, chega 2020, vem a desculpa é ano eleitoral, fica pra 2021. Chega 2021 Bolsonaro está sendo cassado, também não dá. kkkkkkkk é só enganação.

  • sousa pereira sousa
    06 Out 2019 às 15:32

    Prioridade só os projetos que beneficia os interesse deles. só não vou dizer aqui o que eu tenho vontade porque eu sei que vão vetar meu comentário .

  • MARCOS ANTONIO PEREIRA
    06 Out 2019 às 13:57

    Votei nesse camarada mas fui completamente enganado. Agora com essa que segurança pública não é prioridade sendo que votam a vontade assuntos que previlegia somente eles. Chega esse não me engana mais com esse discurso barato.

  • HONESTO
    06 Out 2019 às 13:30

    Para ser sincero sinceramente e honestamente, não deveriam existir Deputados estaduais, Deputados federais, Senadores e Vereadores. Imagina o quanto de economia que teriamos sem esses politicos? As prefeituras possuem secretarias, o governos estaduais também possuem secretarias, e o governo federal possui varios os ministerios, pra que ter esses piliticos? se é para fazer projetos? fiscalizar? temos o ministerio Público para investigar, temos a Polícia federal, e outros orgãos fiscalizadores, mas infelizmente isso não muda, as leis dos homens não mudará, mas a lei de Deus é justa.

  • Aderbal Siqueira
    06 Out 2019 às 13:24

    Eu sei bem quais são as prioridades desses elementos.

  • Moraes
    06 Out 2019 às 13:22

    Pena que não vão publicar oque tenho vontade d dizer,então terei que fazer de conta que esse cara vale alguma coisa,mais sinto vergonha de ter m político desse em nosso estado,um típico político desprezível,mais um dia vc cai cabra,aproveite esse mandato,pq é o último.

  • Revoltado
    06 Out 2019 às 11:27

    A vida desse aí é só falar mal da esquerda, só esquece de fazer alguma coisa para justificar o que ganha

  • Elias
    06 Out 2019 às 11:04

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • valdinei mendes
    06 Out 2019 às 10:36

    Este político deveria sair das redes sociais e trabalhar para valer seu salário. Ate agoda ainda não valeu o voto do povo.

Sitevip Internet