Olhar Direto

Quarta-feira, 13 de novembro de 2019

Notícias / Cidades

Aluna residente do Hospital Veterinário da UFMT denuncia professora por agressão

Da Redação - Thaís Fávaro

18 Out 2019 - 16:19

Foto: Yago Oliveira

Aluna residente do Hospital Veterinário da UFMT denuncia professora por agressão
Uma aluna do curso de veterinária e residente do Hospital Veterinário da Universidade Federal de Mato Grosso (Hovet) acusa uma professora do programa de residência de tê-la agredido após uma discussão na quinta-feira (17). A vítima registou um boletim de ocorrência e o caso está sob analise na universidade. O nome das duas envolvidas não foi divulgado.
 
Leia mais
Jaguatirica resgatada não resiste aos ferimentos e morre em hospital veterinário
 
A professora é responsável pelo setor de anestesia dos animais e teria agredido aluna após um desentendimento por volta das 11h, horário de expediente do Hospital Veterinário. A aluna protocolizou a denúncia na UFMT e procurou a delegacia de polícia para registrar um boletim de ocorrência.

De acordo com o professor e diretor do Hovet, Richard Pacheco, a universidade já tomou as providências cabíveis e está averiguando o caso em um processo administrativo.

Após o término do processo e da analise dos fatos é que será determinado qual conduta será tomada em relação as duas pessoas envolvidas no caso e se haverá expulsão de alguma delas.

14 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Anônimo
    21 Out 2019 às 16:32

    Então se realmente o pai dessa aluna for promotor, quer dizer que se ela apanha na rua, na rua não, dentro de uma universidade federal, onde é garantido pelo menos na teoria o direito a liberdade de expressão, ela tem que deixar quieto pq o pai dela é "promotor"?! Interessante esse senso de justiça Maria, ou seja, se você conhece seus direitos e sabe que abuso de poder e assédio é crime, vc está sendo "mimada". Por isso o Brasil caminha do jeito que tá, pessoas com esses tipos de pensamentos pequenos, que acreditam que opressão e intimidação é a melhor forma de lidar com uma situação dessa, ou fazer como todos os outros casos que foram arquivados, pois sabemos que a politicagem entre os professores são bem fortes e que se autoprotegem. Calúnia e difamação também são crimes, se está dizendo é bom que essas pessoas confirmem mesmo os maus tratos, pois pelo que conheço e as coisas que ouvi falar da aluna e da professora, dos animais ela sempre cuidou muito bem, diferente de alguns professores que são negligentes até msm na supervisão de seus residentes e dos animais que lá vão para tratamento.

  • Maria
    21 Out 2019 às 13:10

    É muito fácil inventar MENTIRAS sobre uma pessoa que está lá para aprender, foi agredida e esta sendo difamada! Tal professora já tem histórico de humilhar e ser desagradável com seus alunos! Existem testemunhas oculares que presenciaram o ocorrido então veremos se a poderosa professora irá sair impune.

  • Anonimo
    21 Out 2019 às 12:02

    Não acredito que alguém iria na delegacia se expor se não houvesse veracidade e para os ignorantes que dizem não sabe o que a aluna fez, desde quando uma agressão pode ser justificada? É o mesmo que dizer: ela foi estrupada pq estava de roupa curta. Quanta ignorância e proteção de atos repudiantes e incivilizados.

  • Cristiane Predebon
    21 Out 2019 às 07:57

    Sem tirar o total erro profissional por parte do professor e de todos que se sentem no direito de serem mais do que a profissão lhes exige ( assédio moral de todas as vertentes possessível ). Eu quem já frequentei Universidades Públicas e Particulares posso afirmar : AS DUAS FORMAS DE INSTITUIÇÃO DE ENSINO TEM OS MESMOS PROBLEMAS. Então meus caros que permanecem ignorantemente sub julgando atos assim como esquerdistas lamento dizer mas esses atos são simplesmente DESVIO DE CARÁTER INDIVIDUAL.

  • Aluno anônimo
    19 Out 2019 às 19:44

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • luana
    19 Out 2019 às 17:59

    Essa professora é difícil mesmo , mas a residência é um período de grande aprendizado e saber lidar com situações assim faz parte da vida profissional e pessoal.

  • ALUNO
    19 Out 2019 às 11:20

    Assédio moral e até sexual na UFMT por parte de "professores" é comum, inclusive ja fui vítima de uma professora que se acha a "deusa" mesmo chegando aos quase 60 anos, vive de passado, política e de humilhar alunos que discordam dela. Qto à agressão física não conheço relatos.

  • Mario Toledo
    19 Out 2019 às 09:02

    Mi-mi-mi.

  • Alguem
    19 Out 2019 às 04:11

    "sim quimintiris!!!! Prifissiri igrindindi ilina".... N sabe nem o pq a professora agrediu, vai saber o que a aluna fez. Se n sabe n defende! Alunos agredindo professores têm aos montes, caso a ser averiguado!

  • Indignada. II
    18 Out 2019 às 23:42

    UNIVERSIDADE SEM PARTIDO!!!! O que esperar de uma Laboratorio Público da Esquerda!!!! O PT acabou com as Universidades Públicas! Só não vê quem não quer!

Sitevip Internet