Olhar Direto

Sexta-feira, 22 de novembro de 2019

Notícias / Educação

Com melhor nota do Ideb na Baixada Cuiabana, Escola Tiradentes tem 5 candidatos para cada vaga

Da Redação - Fabiana Mendes

06 Nov 2019 - 14:35

Foto: Divulgação - PMMT

Com melhor nota do Ideb na Baixada Cuiabana, Escola Tiradentes tem 5 candidatos para cada vaga
A Escola Militar Tiradentes, localizada no CPA I, em Cuiabá, conseguiu alcançar a melhor nota na avaliação do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb-2017) entre as escolas estaduais da Baixada Cuiabana. A boa reputação faz com que a procura para ingressar na unidade escolar seja grande. Ano passado, por exemplo, foram 200 candidatos vagas para 1100 vagas. Ou seja, cinco alunos para cada vaga. Atualmente são sete escolas militares ativas em Mato Grosso, sendo que algumas delas estão com os processo seletivos abertos.

Leia mais:
Cinco escolas militares de Mato Grosso ofertam 490 vagas; saiba mais sobre processo seletivo

O Ministério da Educação lançou um Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares , em parceria com o Ministério da Defesa, que apresenta um conceito de gestão nas áreas educacional, didático-pedagógica e administrativa com a participação do corpo docente da escola e apoio dos militares. A proposta é implantar 216 Escolas Cívico-Militares em todo o país, até 2023, sendo 54 por ano.     

O Sindicado dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep) emitiu uma nota pedindo esclarecimentos do projeto e alegando que não está claro qual será o nível de interferência na área pedagógica." Por exemplo, não se sabe ainda como o dinheiro anunciado para as escolas será usado, quantos militares haverá por escola ou a quem se recorre se houver algum problema", diz trecho da nota.

A Escola Tiradentes em Cuiabá existe há 32 anos. Na unidade há 12 anos, sendo seis deles como diretora, a tenente-coronel Evandra Caroline Taques Senderski, pontua que a discussão em cima das escolas militares chama atenção por conto ingresso de militares em um setor até então de profissionais da educação. "Devido a esses relevantes índices que todas as escolas [militares] obtiveram, acabou que alguns setores que priorizavam essa reserva de mercado, até certo ponto se sentiram ameaçados", disse.

Apesar da polêmica, a procura para ingressar em uma das escolas é grande. A diretora acredita que a grande procura  se dá por conta da oferta de uma educação pública, de qualidade e gratuita. "Somos o primeiro colocado no Enem e no Ideb na Baixada Cuiabana. Aqui não aderimos ao último movimento grevista. Todas as escolas vão findar 2019 em fevereiro. Nós vamos  terminar dia 20 de dezembro. Aqui é baixa reprovação, não temos absenteísmo, número grande de professores e trabalhadores com atestados médicos, licenças médicas. Por fim, não temos evasão escolar. Dos 1.200 alunos, em 2018, não tivemos nenhuma reprovação por falta", disse.

Segundo a tenente-coronel, o quadro de docentes da escola conta com 90% de especialistas, sendo 30% mestres e doutores. A escola também conta com um regimento próprio, que entre outras coisas, preza pela apresentação pessoal e pontualidade.

"Aqui primeiramente nós pregamos a disciplina e hierarquia. Temos um regimento, regulamento próprio, que prezamos a apresentação pessoal do aluno, a questão do horário de entrada, de saída, cumprimento da carga horária. Principalmente aqui nós aplicamos como em todas as outras escolas a LDB [Lei de Diretrizes da Educação Básica]. Acima de tudo o ECO [ Estatuto da Criança e do Adolescente]. Porque aqui todas as crianças que estudam estão na faixa de 11 a 17 anos e perante a lei são crianças e jovens", afirmou.

Para se ter uma ideia, nos últimos anos, três escolas milites foram criadas em Mato Grosso.  O então governador Pedro Taques instalou as unidades escolares nas cidades de Nova Mutum, Sorriso, Confresa e Juara.  "Essas escolas se expandiram unicamente pelo calor social devido ao fornecimento de uma educação pública, gratuita e de qualidade", acrescentou.

A reportagem do Olhar Direto esteve na escola  e constatou a boa conservação da unidade. "Para deixar bem claro também, às vezes a população confunde, nós sobrevivemos iguais todas as escolas. Não ganhamos nenhuma verba a mais da Secretaria de Fomento das Escolas, verbas extras, porque aqui é uma escola estadual em parceria Sesp, representada pela PM e a Secretaria de Educação", explicou.

Coordenador das escolas Tiradentes de Mato Grosso, o tenente-coronel da PM, André Willian Dorileo, salienta que os alunos não são militarizados. "É importante destacar que as escolas Tiradentes possuem grande devoção aos valores cívicos e morais, ao patriotismo. Aqui os alunos não são militarizados ou militares, eles são sujeitos ou subordinados a uma rotina militar, em que esses valores são arraigados neles, de certa forma proporcionando a formação de cidadãos conscientes, preparados e capacitados para o mercado de trabalho, assim que deixam a escola", afirma.

Como ingressar

O coordenador Willian pondera que a escola é inclusiva e democrática. "Recebemos pessoas de todas as classes sociais, não há discriminação por renda, faixa etária, todas pessoas são bem vindas e aceitas".
Cuiabá

As inscrições para a Escola Estadual da Policia Militar Tiradentes, em Cuiabá, terminaram no dia 18 deste mês de outubro. As provas serão realizadas no dia 25. O resultado final do concurso de admissão será divulgado no dia 21 de novembro.

Nova Mutum

Já para a Escola Estadual Tiradentes Cel PM Celso Henrique Souza Barbosa, em Nova Mutum (242 km de Cuiabá) os candidatos puderam se inscrever até o dia 25, do último mês. As provas serão realizadas no dia 14 de novembro, das 8h às 10 horas para o ensino fundamental e das 14h às 16h para o ensino médio. O resultado final será divulgado no dia 29 do mesmo mês.

Sorriso

Na Tiradentes Cabo PM Antônio Dilceu da Silva Amaral, em Sorriso (398 km de Cuiabá), as inscrições foram até o dia 30 de outubro. As provas serão aplicadas no dia 17 de novembro, das 8h às 10 horas. O resultado final do teste seletivo será divulgado no dia três de dezembro.

Rondonópolis

Na Escola Estadual Tiradentes Major PM Ernestino Veríssimo da Silva, em Rondonópolis (214 km de Cuiabá) as inscrições foram feitas até o dia 24 de outubro. A prova será realizada no dia 27 de outubro, das 8h às 10 horas. O resultado final será divulgado em 18 de novembro.

Confresa

Na Tiradentes Cabo PM José Martins de Moura, em Confresa (a 738 km Cuiabá), as inscrições foram abertas no dia 11 de outubro e seguem até 14 de novembro, das 8hs às 11hs, de segunda a sexta-feira. A prova será realizada no dia 25 de novembro, das 8h às 10 horas. O resultado final será divulgado no dia 9.

Mais informações poderão ser obtidas diretamente nas unidades escolares.

4 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Rodrigo
    07 Nov 2019 às 09:24

    Com processo seletivo a escola acaba promovendo um modelo excludente que visa peneirar os melhores alunos. Com isso a melhoria no IDEB é mais que uma obrigação. Comparem com a Helidoro Capistrano no Parque Cuiabá que não tem seletivo e ainda assim, consegue estar entre um dos melhores índices da Capital. Este tipo de matéria exige um maior aprofundamento nos dados e na realidade das escola, pois do contrário, fica só o senso comum raso.

  • Lucas
    07 Nov 2019 às 08:58

    Falta gestão, recursos existem e são muito mal geridos em diversas áreas, sejam na saúde, educação, etc... Politicagem estraga esse país. Onde já se viu, o governo pagou 2 bilhões em emendas parlamentares para se aprovar a reforma da previdência? Absurdo! A corrupção no Brasil é cultural, isso acaba com nosso país.

  • Ares
    06 Nov 2019 às 15:52

    Parabéns os antis piram

  • jose rubens
    06 Nov 2019 às 15:47

    pelo o jeito o Bolsonaro esta certo mais uma vez, escolas militares sao a solução para um Brasil um pouco melhor , menos direitos e mais deveres para os alunos.

Sitevip Internet