Olhar Direto

Terça-feira, 12 de novembro de 2019

Notícias / Cidades

Moradores de Chapada dos Guimarães estão sem abastecimento regular de água há 23 dias

Da Redação - José Lucas Salvani

06 Nov 2019 - 17:33

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Moradores de Chapada dos Guimarães estão sem abastecimento regular de água há 23 dias
Diversos moradores de Chapada dos Guimarães (a 65 km de Cuiabá) estão sem água há 23 dias. O problema está acontecendo desde o dia 14 de outubro, quando duas bombas do centro de captação Zelito queimaram. Até o momento, a empresa Sistema Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) liberou 722 caminhões-pipa para suprir as necessidades da população e, por conta do tipo de sua concessão, não pode fazer a manutenção e reparação da bomba.

Leia mais:
Com investimento de R$ 17 mi, novo sistema de abastecimento de água é inaugurado em Chapada

Ao Olhar Direto, o atual diretor da SAAE, Jodenilson da Silva Souza, explicou que o desabastecimento não é geral, mas em alguns pontos da cidade. O diretor não conseguiu estimar quantas pessoas estão sendo atingidas direta ou indiretamente, mas ele afirma que até a última segunda-feira (4), foram realizados 722 atendimentos de caminhões-pipa pela cidade. Extraoficialmente, o número já deve estar próximo de 800 atendimentos, somado aos realizados até esta quarta-feira (6).

A abastecimento desregular se dá pelo fato de duas bombas no centro de captação Zelito terem queimado, além da falta de água em outros dois centros de captação, mesmo com as chuvas recentes.

Como o contrato atual com a SAAE permite somente a operação e não a manutenção, não é possível fazer o reparo dos danos. De acordo com o diretor da concessionária, a SAAE irá acionar a Secretaria de Estado de Infraestrutura de Mato Grosso (Sinfra-MT) para que seja revertido o problema.

Por meio de nota, a Sinfra-MT aponta que “há fortes indícios” de que as bombas teriam queimado por conta de uma falha de fábrica, já que “todos os procedimentos de instalação foram seguidos na íntegra”. Desta forma, a secretaria irá acionar a empresa Hidra, responsável pelos equipamentos, para que informe problemas verificados no conjunto motobombas do Sistema de Abastecimento de Água de Chapada e apresente soluções.

Somente a Zelito captava, sozinha, o equivalente a 300 m³ de água por hora. De acordo com o diretor da concessionária, as outras duas, Quimera e Monjolo, cerca de 400 m³, mas atualmente só conseguem captar, juntas, o equivalente a 140 m³.

Um dos moradores da cidade, que preferiu não se identificar, disse que o problema no abastecimento de água se dá bem antes da queima das bombas. Ele conta que os munícipes reclam diariamente sobre a falta de água e que o problema é praticamente geral na população.

R$ 17 milhões de investimento

Em janeiro de 2018, foi inaugurada a obra de ampliação do Sistema de Abastecimento de Água na cidade, avaliada em R$ 17 milhões. Na época, a promessa era de que a capacidade de fornecimento de água na cidade passaria de 30 litros por segundo para 100.

Os investimentos para universalização da água em Chapada são provenientes de emenda parlamentar da atual prefeita do município, Thelma de Oliveira, recursos do Governo do Estado, via Secretaria de Estado das Cidades (Secid-MT) e Funasa. A construção ficou a cargo da construtora Nhambiquaras.

Leia a nota da Sinfra-MT na íntegra:

Quanto a problemas na obra de ampliação do sistema de Abastecimento de Água do município de Chapada dos Guimarães (65 km de Cuiabá), a Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra) esclarece:

A obra está em processo de entrega definitiva para a prefeitura municipal. Porém, antes da finalização do processo, ocorreu a queima do conjunto motobomba da Estação de Tratamento de Água (ETA) da cidade, que compõem o sistema;

Com base considerações da construtora Nhambiquaras, responsável pela obra, que teve acesso a laudo técnico da Higra (empresa fornecedora do equipamento), engenheiros da superintendência de Mobilidade, Acessibilidade e Saneamento Ambiental, da Secretaria adjunta de Cidades, da Sinfra, avaliam que há “fortes indícios” de que a queima do conjunto motobomba da ETA deve-se à falha de fabricação de peças, uma vez que todos os procedimentos de instalação foram seguidos na íntegra;

Para sanar o problema, a Sinfra está notificando a empresa Higra para que informe os problemas verificados no conjunto motobombas do Sistema de Abastecimento de Água de Chapada e apresente resoluções para as pendências apresentadas pela equipe técnica da pasta, já que os equipamentos do sistema ainda estão em período de garantia;

A prefeitura de Chapada dos Guimarães tem a cessão de uso da ETA desde 2018.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet