Olhar Direto

Sexta-feira, 13 de dezembro de 2019

Notícias / Política BR

Deputado pede audiência pública para destravar internacionalização do Marechal Rondon

Da Redação - Patrícia Neves

16 Nov 2019 - 11:52

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Deputado pede audiência pública para destravar internacionalização do Marechal Rondon
Com o impasse envolvendo a liberação burocrática para a permissão de voos internacionais, com saída e chegada ao Aeroporto Marechal Cândido Rondon, em Várzea Grande, o deputado federal, José Medeiros (Pode/MT), protocolou requerimento na Comissão de Desenvolvimento Urbano – CDU, da qual é vice-presidente, nesta semana, para que todos os atores envolvidos no processo participem de uma audiência pública, em Brasília. Na última segunda-feira (11), confrome divulgado pelo Olhar Direto,  a Receita Federal foi apontada como a ‘vilã’ para que a novela envolvendo a internacionalização. Diversas exigências foram feitas, sendo que a última envolve a ampliação de uma das salas do órgão de 51 m² para 180 m². 

Leia Mais:
Falta de internacionalização tirou voos de Cuiabá para Miami e Fort Lauderdale

Segundo a assessoria do parlamentar, a intenção de Medeiros é que as arestas sejam definitivamente aparadas e a classe política, que parece ser a mais interessada em dar fim ao imbróglio, além da população, consiga saber ao certo qual o nó que ainda precisa ser desatado. “É muito angustiante quando temos uma pauta que o estado quer e obviamente que nós parlamentares também, o Executivo se mostra disposto, mas a técnica engessa a coisa”, comentou.

No requerimento, o vice-líder do presidente Jair Bolsonaro (PSL) na Câmara Federal inclui o chamado a um representante da Secretaria Nacional da Aviação, da Agência Nacional de Aviação Civil – ANAC e um da Receita Federal, além de um profissional responsável pela Empresa Consórcio Aeroeste, que este ano assumiu a gestão do aeroporto de Várzea Grande, Sinop, Rondonópolis e Alta Floresta. Além dos parlamentares federais de Mato Grosso.

Na justificativa para a audiência pública, que deve ser realizada ainda em 2019, Medeiros afirma que comercialmente já há uma inclinação de várias empresas aéreas a implantaram novas rotas, inclusive um processo avançado da AZUL para voo direto para Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia. “Existe um interesse mútuo do Mato Grosso em expandir esse mercado do turismo internacional e das aéreas. Temos Nobres, Chapada dos Guimarães e tantos outros potenciais turísticos, que infelizmente vemos limitados por este tipo de entrave. Essa questão da Bolívia se arrasta desde a Copa de 2014”, criticou Medeiros.

“Temos rodovias carentes em infraestrutura no nosso estado que já possuem projetos aprovados, dinheiro garantido, mas esbarramos no componente indígena e outros caprichos, enquanto isso o povo sofre. O mesmo vale para esta questão da expansão do aeroporto e alfandegamento. A Receita Federal exigia uma sala de alguns metros maior e depois altera em outro documento. O que nos anima é que o Governo Bolsonaro quer, tanto quanto nós, acabar com isso”, garantiu.  
Sitevip Internet