Olhar Direto

Quinta-feira, 12 de dezembro de 2019

Notícias / Política MT

Governador critica aposentadoria de Rogers Jarbas aos 45 anos com salário de R$ 35 mil

Da Redação - Wesley Santiago/Do Local - Carlos Gustavo Dorileo

18 Nov 2019 - 14:02

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Governador critica aposentadoria de Rogers Jarbas aos 45 anos com salário de R$ 35 mil
O governador Mauro Mendes (DEM) criticou a aposentadoria do ex-secretário de Segurança Pública (Sesp) e delegado de Polícia Civil, Roger Jarbas, aos 45 anos. Segundo ele, é inconcebível que um servidor receba R$ 35 mil, enquanto que o trabalhador privado só terá direto a, no máximo, R$ 5 mil, podendo gozar do benefício apenas quando completar 65 anos. “Deixar os municípios e estado de fora da Reforma da Previdência é uma sandice, uma irresponsabilidade”, pontuou.

Leia mais:
Réu por ameaçar colega, Rogers Jarbas consegue aposentadoria aos 45 anos
 
“A Reforma da Previdência é importante. Não pode um país, só este ano, dar R$ 300 bilhões de déficit só neste quesito. O governo tinha R$ 30 bilhões para investir em todo país. Isso precisa mudar. Fizeram a reforma e deixaram o município e os Estados de fora. Isso é uma sandice, uma irresponsabilidade para o país”, disse o governador.
 
Mauro Mendes também citou a aposentadoria do delegado Rogers Jarbas. “Aqui em Cuiabá, tivemos um delegado aposentando com 45 anos de idade, ganhando R$ 35 mil. Como pode isto? A nossa previdência estadual dá, por mês, R$ 115 milhões de prejuízo. Isso sai da onde? Dos impostos que todos nós pagamos”.
 
“Enquanto no mercado privado a grande maioria dos trabalhadores se aposentam com 65 anos de idade e irá ganhar no máximo R$ 5 mil, aqui em Mato Grosso vai se aposentar com 45 e ganhando R$ 35 mil”, completou Mauro Mendes.
 
O governador ainda lembrou que, se o cenário não for alterado, em dez anos o prejuízo com a previdência será de R$ 31 bilhões. Pelas conversas de bastidores que tem ouvido, Mauro acredita que a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) paralela, que deve ser aprovada no Senado, dificilmente será apreciada na Câmara Federal.

Aposentadoria

O governador Mauro Mendes (DEM)  assinou no dia 29 de outubro a aposentadoria do ex-secretário de Segurança e delegado da Polícia Civil (PJC), Rogers Jarbas. A decisão circulou em edição extra do Diário Oficial de Mato Grosso.

A aposentadoria por tempo de contribuição levou em conta 31 anos e 8 meses de trabalho. O ato de aposentadoria também é assinado pelo diretor-presidente da Mato Grosso Previdência (MT-Prev), Elliton Oliveira.
 
Rogers Jarbas nasceu no dia 31 de janeiro de 1974, na cidade de Penápolis, São Paulo. Atualmente com 45 anos, se levado em conta o tempo de serviço averbado, é possível afirmar que o delegado começou a trabalhar com aproximadamente 14 anos.
 
Jarbas se tornou réu recentemente em processo em que é acusado de ameaças contra o colega de profissão, Flavio Stringueta, durante uma discussão no estacionamento de um supermercado de Cuiabá.

Investigado na Grampolândia Pantaneira, o ex-secretário foi preso em 2017, na Operação Esdras, por suposta tentativa de atrapalhar as investigações sobre as interceptações ilegais. As investigações ainda estão em andamento.

Rombo

Levantamento feito pelo governo do Estado, através do MT Prev, aponta que quase 22% dos servidores estaduais em Mato Grosso tiveram a aposentadoria concedida com 50 anos ou menos. A maior faixa é a dos que têm entre 50 e 55 anos, sendo que a idade média é de 56. De acordo secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, se aprovadas, as mudanças não serão suficientes para zerar o déficit previdenciário.

Conforme o levantamento, tiveram concedidas as aposentadorias abaixo de 45 anos 2.073 servidores do Estado, o que representa 7,21%. Já os que começaram a receber o benefício entre 45 e 50 anos são 4.229 (14,72%). Juntos, eles somam 21,93%.
 
A maior fatia dos aposentados começou a receber o benefício entre os 50 e 55 anos, sendo que são 9.580 (33,36%). Ao todo, são 28.716 servidores aposentados pelo Estado.
 
O estudo também mostra que 43,94% dos servidores aposentados pelo Estado recebem entre R$ 5.000,01 e R$ 8 mil, o que representa uma média de R$ 6.997,94. Na segunda colocação aparecem os que ganham entre R$ 8.000,01 e R$ 12 mil (14,60%), com uma média de R$ 9.707,96.
 
Se as regras continuarem as mesmas, a expectativa é que em 2023 Mato Grosso terá mais servidores inativos do que ativos. O déficit financeiro acumulado, até 2029, seria de R$ 31.179.436.

Por isso, o governo defende a reforma da previdência em Mato Grosso, com adesão integral à PEC 06/2019, que modifica o sistema de previdência social, estabelece regras de transição e disposições transitórias, e dá outras providências.
 
A proposta de reforma estadual que prevê mudanças que seguem o molde da reforma da previdência nacional, recém promulgada pelo Congresso Nacional.

46 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • gilberto
    20 Nov 2019 às 07:20

    Pessoas pequenas com essa Luiza justificam toda injustiça de privilégios que enfrentamos livre se de sua cegueira e entenda que são vários zeros apos a virgula a contagem de pessoas que tem oportunidade de ocupar esses cargos que nunca são pro mérito pois ou são hereditários ou vitalícios direta ou indiretamente e alcançados por uma casta de favorecidos sempre os mesmos. Luiza essa pata quada de_ Estudou e tem mais direitos, já está vencida! Ninguém é mais que ninguém direitos iguais, tirar dos desfavorecidos pra privilegiar esses marajás é o cumulo da insensatez!

  • Jader
    19 Nov 2019 às 22:46

    Pagar R$ 35 mil quebra o Estado, mas 4 bilhões de incentivo fiscais não faz nem cócegas.

  • Luiza
    19 Nov 2019 às 17:30

    Se aposentou é porque cumpriu todos os requisitos. Quem está achando ruim que comece a cursar uma faculdade de Direito, forme-se e vá prestar concurso para delegado!

  • Kleber Venâncio
    19 Nov 2019 às 16:05

    Enquanto isso povo trabalhará até não ter forças para ganhar um salário mínimo. Bem feito para quem votou no Bolsonaro.

  • Pau de guarda chuva
    19 Nov 2019 às 16:01

    Merecido o delegado estudou fez concurso passou enfrentou bandidos . Merecia ganhar mais .

  • Teves neves
    19 Nov 2019 às 13:00

    Isso é Brasil..cára cheio de processos...ganhar um salário equivalente a 35 trabalhadores é pra cábá mesmo..e os puxá saco...hooooo procês ..

  • Luiz Carlos Barbosa
    19 Nov 2019 às 10:32

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • João Pinheiro Filho
    19 Nov 2019 às 10:19

    Realmente fica difícilde entender alguns previlégios concedidos para alguns.Enquanto a maioria dos brasileiros aposenta com 65 anos e ganha um salário ou pouco mais, um delegado aposenta com 45 anos e 35.000/mes.Será que tem 30 anos de serviço?Começou a recolher com 14 anos?Será?On de está o Ministério Público para averiguar?

  • D.O.A
    19 Nov 2019 às 07:34

    pura demagogia barata.

  • Rocha
    19 Nov 2019 às 03:17

    Eu não vou pagar essa conta Voteee !! O último a sair apaga a luzzzz .. socorrrooooo

Sitevip Internet