Olhar Direto

Sábado, 07 de dezembro de 2019

Notícias / Política MT

Há onze meses no poder, Mauro tem menos de 30 dias para cumprir promessa e apontar solução para VLT

Da Redação - Carlos Gustavo Dorileo

02 Dez 2019 - 18:10

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Há onze meses no poder, Mauro tem menos de 30 dias para cumprir promessa e apontar solução para VLT
Com onze meses de mandato, o governador Mauro Mendes (DEM) tem até o final de dezembro para anunciar uma solução para a obra do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT), um dos maiores problemas de mobilidade urbana nas cidades de Cuiabá e Várzea Grande, caso ele pretenda cumprir aos seus eleitores uma de suas principais promessas de campanha.

Leia também
Governo contrata estudo de quase R$ 500 mil e não descarta mudança do VLT para BRT


O compromisso de encontrar uma solução definitiva para a obra do VLT, paralisada desde 2014, está no Plano de Governo de Mendes e o prazo de um ano foi estabelecido e amplamente divulgado pelo próprio governador eleito em 2018, durante o período de campanha eleitoral.

Ainda sem nenhum diálogo com os prefeitos de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), e de Várzea Grande, Lucimar Campos (DEM), sobre o assunto, o Governo do Estado chegou a criar, em parceria com a Secretaria Nacional de Mobilidade Urbana, do Ministério de Desenvolvimento Regional, uma comissão no mês de julho, com o prazo estabelecido de 120 dias.

O limite do prazo terminou no último dia 7 de novembro, mas a tão aguardada solução, até o momento não foi apresentada. Como justificativa, o chefe do Executivo afirmou que o Grupo de Trabalho não conseguiu concluir o relatório por causa de ‘mudanças em Brasília’, na Secretaria Nacional de Mobilidade Urbana.

No mês de outubro, o deputado federal Emanuelzinho (PTB) acusou o governador de ‘boicotar’ a criação de uma Comissão Externa para acompanhar o Grupo de Trabalho sobre o Sistema de Mobilidade Urbana da Região Metropolitana de Cuiabá (GT Mobilidade Cuiabá).

O parlamentar ainda declarou que o governador teria orientado o GT a trocar o modal pelo Bus Rapid Transit (BRT), desprezando mais de R$ 1 bilhão já gastos para implantar corredores dedicados apenas para a circulação do modal.

Na semana passada, o Governo contratou empresa para fazer estudo de viabilidade econômico e financeira para a implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) em Cuiabá e Várzea Grande.

O ato, segundo o Estado, foi exigido pela Secretaria Nacional para subsidiar relatório final de Grupo de Trabalho para embasar escolha do modal utilizado. O estudo será realizado pela empresa de consultoria Oficina Engenheiros Associados e custará quase R$ 500 mil aos cofres públicos.

Iniciada em agosto de 2012 e com mais de R$ 1 bilhão já aplicados para o “novo” modal de transporte coletivo de Cuiabá e Várzea Grande, os trilhos que guiariam o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) nos dois municípios quase não existem, e os que já foram construídos estão se deteriorando, juntamente com os vagões que estão estacionados no Centro de Controle Operacional e Manutenção, localizado em Várzea Grande e que, por curiosidade, também está se definhando por falta de manutenção.

Parada desde dezembro de 2014, o projeto do Veículo Leve sobre Trilhos será composto por duas linhas (Aeroporto-CPA e Coxipó-Porto), com total de 22 km de trilhos e terá 40 composições, com 280 vagões. Cada composição tem capacidade para transportar até 400 passageiros, sendo 72 sentados.

Em junho, vereadores de Cuiabá e Várzea Grande fizeram uma vistoria no Centro de Manutenções do modal e apelidaram o local de ‘cemitério de vagões’.

7 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Dejamir
    03 Dez 2019 às 12:54

    Segundo o ex- secretário de gestão de MM na prefeitura de Cuiabá. O mesmo me garantiu que o Governador não tem nenhum interesse neste tal de vlt...usou a seguinte expressão para mim: "VLT? Mauro? Esquece!".

  • Xai
    03 Dez 2019 às 11:28

    Como o outro que veio antes, não vai fazer nada - porque não quer, por "birra", porque não liga para o bem-estar da área metropolitana. Vai inventar mil desculpas, até o material todo estar tão estragado, que não terá mais como aproveitar. É só aguardar e deixar o tempo mostrar...

  • Ajrhasw
    02 Dez 2019 às 21:28

    Vai adiar novamente alegando que o processo está novamente Judicializado. Não poderá nesse momento propor uma decisão. Ou vai dizer que a Auditoria não terminou devido às chuvas recorrentes, atrapalhando o diagnóstico in loco.

  • JOÃO COITE
    02 Dez 2019 às 20:54

    kkkkkkkkkkkkkkkk rsrsrs rsrsrsrsr kkkkkkkkkkk FACIL JABUTI VOAR DO QUE ESSE (((VLT))) FUNCIONAR kkkkkkkkkkkk kkkkkkkkkkkkkkkk kkkkkkkkkkkkkkkk

  • Edmilson rosa
    02 Dez 2019 às 20:12

    Mauro Mendes tem que ver o benefício que Cuiabá e várzea Grande terá com o vlt meio ambiente agradece Cuiabá e várzea Grande mas bonita para o turismo e o mal e esses ônibus dando problemas e poluição no centro histórico.....

  • Juvêncio
    02 Dez 2019 às 20:04

    Fazer estudos novamente? Porque? Nao foifeito antes de lançar o projeto?

  • Charles Lemos
    02 Dez 2019 às 19:30

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

Sitevip Internet