Olhar Direto

Notícias / Cidades

Oferta de 38 vagas atrai centenas de pessoas à procura de emprego em Cuiabá

Da Redação - Fabiana Mendes

06 Dez 2019 - 14:40

Foto: Reprodução

Oferta de 38 vagas atrai centenas de pessoas à procura de emprego em Cuiabá
Uma fila imensa se formou na manhã desta sexta-feira (6), em frente a uma empresa  de produtos siderúrgicos, localizada no Distrito Industrial, em Cuiabá, que oferecia 38 vagas de emprego. Conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Mato Grosso tem 345 mil pessoas trabalhando sem carteira assinada, enquanto 148 mil estão desempregados. 

Leia mais:
MT tem 345 mil trabalhadores sem carteira assinada e 148 mil desempregados, aponta IBGE

Conforme publicação da empresa em rede social, as oportunidades não exigiam experiência e eram ofertadas para homens, mulheres e Pessoas Com Deficiência. Das 38 vagas, 33 são para auxiliares de produção, quatro para auxiliares de expedição e uma para auxiliar de almoxarifado.

A empresa também oferecia benefícios como vale alimentação, convênio farmácia, participação nos lucros da empresas, entre outros,  o que pode ter sido atrativo para quem procurava por emprego. Embora os candidatos devessem chegar às 8 horas da manhã, antes mesmo do horário marcado diversos desempregados já estavam em frente ao local, conforme registro de fotos.


Desemprego

O número de pessoas trabalhando sem carteira é referente aos setores privado, público e trabalhador doméstico. Somente no setor privado, o número chega a 186 mil, enquanto no público são 72 mil pessoas. Já o número de trabalhadores domésticos sem carteira chega a 87 mil. Se comparado ao mesmo período em 2018, houve um aumento de 12 mil, 9 mil e 15 mil, respectivamente.

Pessoas que trabalham por conta própria totalizam 437 mil. Deste montante, 354 mil não possuem Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ), contra 83 mil que possuem. Quanto aos empregadores, 63 mil possuem CNPJ enquanto 14 mil não.

2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Luiz Márcio de Oliveira Santos
    07 Dez 2019 às 07:38

    Os governos tem tomar vergonha cara,e exigir das indústria que contratem,o icms e imposto não cobrado das indústria e para ser revertido em empregos,mais pelo que vemos é uma meia dúzia de empregos e os governantes cruza o braço,cadê o dinheiro devolvido das operações tem ser investido em cursos para população.

  • Dora Avent.
    06 Dez 2019 às 15:39

    Tomara que todos consigam um emprego no ano que vem!

Sitevip Internet