Olhar Direto

Sexta-feira, 25 de setembro de 2020

Notícias / Política MT

Deputado convoca para esclarecimentos delegados pivôs de denúncia de Emanuel contra Mauro

Da Redação - Lucas Bólico

06 Dez 2019 - 17:42

Foto: Rogério Florentino Pereira/ OD

Deputado Lúdio Cabral é autor do requerimento

Deputado Lúdio Cabral é autor do requerimento

Os delegados Lindomar Tofoli e Anderson Veiga deverão ser convocados para prestar esclarecimentos no plenário da Assembleia Legislativa na próxima semana. Eles são pivôs de denúncia protocolizada pelo prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) contra Mauro Mendes (DEM) por uso político da Delegacia Fazendária (Defaz).

Leia também:
Em meio a polêmica, Polícia Civil oficializa mudanças no comando da Defaz e Decor

O requerimento foi apresentado pelo deputado estadual Lúdio Cabral (PT). A convocação deve ser lida e precisa ser votada em plenário na terça-feira (10). Os dois delegados foram transferidos da Defaz para a Diretoria Metropolitana nesta semana. Pinheiro argumenta que a remoção é represália ao fato de eles não terem aberto investigação contra o próprio prefeito, supostamente a mando do Paiaguás.
 
Segundo nota emitida pelo Sindicato dos Delegados de Polícia de Mato Grosso, “a remoção se deu em ato administrativo sem razões fáticas e fundamentação legal”.
 
“O Legislativo não pode se omitir. O prefeito fez uma denúncia grave, acusando o governador de uso político do aparelho policial, e se ele trouxe um documento à Assembleia com esse teor, a Assembleia precisa dar algum encaminhamento. Além disso, na mesma semana, os dois delegados foram afastados da Defaz. Precisamos que eles esclareçam os fatos o quanto antes, para descobrirmos se realmente há uma tentativa de uso político da Polícia Civil”, justificou Lúdio sobre o requerimento.
 
O deputado petista destacou a necessidade de a Assembleia ouvir os delegados ainda neste ano, para que a situação possa ser esclarecida o mais rápido possível, em função da gravidade das denúncias. 

O presidente da Assembleia, deputado Eduardo Botelho (DEM), já afirmou que a denúncia feita pelo prefeito ao parlamento não contém provas e que a AL deve apenas acompanhar o ‘caso’ sem abertura de CPI. Em entrevista recente, Botelho afirmou que não vê tempo hábil para o parlamento ouvir os envolvidos ainda neste ano, por conta do calendário apertado de dezembro, em que ainda precisam ser apreciados projetos como da Lei de Diretrizes Orçamentária e Lei Orçamentária Anual. 

Veja abaixo a íntegra da nota do sindicato citada por Lúdio Cabral:

Os delegados Anderson Veiga e Lindomar Tofolli então lotados na delegacia fazendária, na data de hoje, foram removidos da unidade e lotados na diretoria metropolitana.

Em razão do ato administrativo não possuir fundamentação legal, o sindicato dos delegados de polícia, desconhece as razões que motivaram a remoção dos servidores.

É importante ressaltar que se trata de dois delegados de ilibada conduta, extremamente competentes e experientes no combate ao crime contra a ordem tributária e administração pública, sempre trabalharam com independência e autonomia e nunca se submeteram a pressão externa no exercício de suas funções.

Suas trajetórias foram marcadas pela defesa da sociedade com idealismo e convicção, possuem uma história em mato grosso, construída com muito trabalho e dedicação e, portanto, gozam de irrestrito apoio e consideração de toda a categoria.

O sindicato e associação de delegados de polícia de mato grosso se manterão vigilante em defesa das prerrogativas e dos direitos destes grandes
profissionais.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet