Olhar Direto

Quarta-feira, 22 de janeiro de 2020

Notícias / Política MT

Governador diz que consumidor não irá cair em ‘joguinho’ de comerciantes e poderá fazer compras fora de MT

Da Redação - Vinicius Mendes / Da Reportagem Local - Érika Oliveira

13 Jan 2020 - 09:35

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Governador diz que consumidor não irá cair em ‘joguinho’ de comerciantes e poderá fazer compras fora de MT
O governador Mauro Mendes (DEM) classificou como ‘joguinho’ a decisão de comerciantes de vários setores (como supermercados, combustível, farmácia) em aumentar os preços dos produtos após as mudanças na cobrança do ICMS, oriundas da Lei Complementar nº 631/2019. De acordo com Mauro, o consumidor mato-grossense é esperto e poderá comprar tais produtos fora do Estado, caso os preços continuem altos. Ele acredita que o mercado irá se autorregular.
 
Leia mais:
Produtos de supermercado terão aumento de até 10% e medicamentos de até 37% após mudança do ICMS
 
A Lei Estadual Complementar nº 631/2019 traz alterações na cobrança do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias (ICMS). De acordo com a Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz), Mato Grosso é o único Estado brasileiro que ainda não trabalhava neste modelo.
 
A lei ainda excluiu alguns incentivos, concedidos sem devida aprovação do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz). De acordo com Mauro, alguns destes incentivos foram vendidos pelo ex-governador Silval Barbosa a alguns setores do comércio em Mato Grosso.
 
“Existe uma inverdade colocada aí quando dizem que houve aumento de ICMS, teve redução de incentivo fiscal. Nós estamos reduzindo incentivos fiscais dado ao comércio, diga-se de passagem, já falamos isso claramente, alguns deles, foi confessado por um ex-governador, que foram vendidos a determinados setores aqui do Estado de Mato Grosso, então eu não vou manter incentivo fiscal que foi comercializado para determinados setores, não é para todos, mas isso está lá na delação, quem quiser tirar dúvida é só ler e ver os processos que tramitam na Justiça”.
 
Varejistas do setor de produtos farmacêuticos, produtos de supermercado, materiais de construção e de combustíveis anunciaram ainda no ano passado que já a partir de janeiro de 2020 haveriam aumentos em decorrência nas mudanças do ICMS. Os aumentos, nos diversos setores, variavam entre 8% a 37%. O Grupo Aldo, dos Postos Aldo Locatelli, inclusive, anunciou o fim da venda de etanol em suas unidades após a mudança.

O governador Mauro Mendes classificou estas decisões como ‘joguinho’. Segundo ele, o consumidor mato-grossense é esperto o suficiente para buscar os melhores preços, inclusive fora do Estado, se for necessário. Ele afirma que quem mantiver os preços altos “vai dar com os burros n’água”.
 
“Há sempre uma forma das pessoas questionarem e espernearem, agora, o mercado se autoregula, o Governo tem seus órgãos de controle, qualquer abuso o Procon e órgãos de controle podem ser acionados, mas isso é a própria regulação do consumidor. Esta conversa passa, o mercado é competitivo, as pessoas compram pela internet, compram fora do Estado, hoje consumidor é muito sabido, então quem quiser fazer este ‘joguinho’ de aumento de preço vai dar com os burros n’água porque o consumidor está muito esperto e é muito fácil você pesquisar preço aqui em Mato Grosso e em todo o Brasil, então é bom as pessoas não fazerem ‘joguinhos’ porque pode dar com os burros n’água”, disse Mauro.

31 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Iandro
    15 Jan 2020 às 12:17

    Sou do ramo da indústria, mais especificadamente da indústria de saneantes. Nunca tive qualquer benefício .incentivo ou benefício fiscal... E sim a tributação no que se refere no nosso caso das indústrias sofreram um alimento muito grande no cálculo final do imposto.. ex uma NF no valor de 21.000.00 a st era 800.00 e agora a mesma NF a st ficou 2.560.00.... se isto não e aumentar o quer e então?? Isso porque o governador e empresário e conhece de perto as dificuldades ..pois até recuperação judicial ele tinha requerido....

  • indignado é pouco
    14 Jan 2020 às 23:17

    Ele diz comerciante que está agindo de má fé más não é bem assim trabalho com supermercado e estou assustado com os preço que vem cotando para fazer reposição da loja a situação em que almentaram até 35 a 40 % nós produtos não sei nem que falar aos clientes pois vou precisar repor as mercadorias Sei que apezar deste imposto ST ter influenciado aumento fornecedores estão Sim aproveitando da situação para aumentarem os preços !!

  • indignado é pouco
    14 Jan 2020 às 23:17

    Ele diz comerciante que está agindo de má fé más não é bem assim trabalho com supermercado e estou assustado com os preço que vem cotando para fazer reposição da loja a situação em que almentaram até 35 a 40 % nós produtos não sei nem que falar aos clientes pois vou precisar repor as mercadorias Sei que apezar deste imposto ST ter influenciado aumento fornecedores estão Sim aproveitando da situação para aumentarem os preços !!

  • Elias
    14 Jan 2020 às 17:11

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Eleitor 2020 VOTE NOVO
    14 Jan 2020 às 14:09

    Se aumenta o imposto, aumenta o preço do produto...SIMPLES ASSIM.... Vce NAO ENGANA A NINGUEM.....

  • jose ricardo
    14 Jan 2020 às 12:22

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • SECULT
    14 Jan 2020 às 11:57

    ALEMÃO DO CPA, da maneira como você escreve, percebe-se claramente porque não gosta de servidor público... pelo visto é porque você é um desses que prefere sentar a bunda amassada pra falar mal a estudar pra passar em algum concurso e ter uma vida melhor!!!

  • Contribuinte
    14 Jan 2020 às 09:46

    A renúncia fiscal de mais de 5 bilhões em 2020 precisa ser paga por alguém. O povo terá que pagar para que os grandes empresários e latifundiários continuem mamando nas tetas do Estado.

  • Maria Alice Pedra 90
    13 Jan 2020 às 18:49

    Mauro Mendes já é o melhor governador da história de MT. Eu estou satisfeita.

  • Edmilson
    13 Jan 2020 às 17:31

    Já faz anos que o comerciante de MT sofre com a cobrança abusiva de ICMS e perde 70% de suas vendas para outros Estados e para o Paraguay e Bolivia e as autoridades fazem vistas grossas à isso, deixando entrar mercadorias à rodos e até incentiva esse Comercio paralelo como o caso do Shopping Popular de Cuiabá. Para mim esse governador não calculou o prejuízo que o Estado pode sofrer na arrecadação, porque o que resta agora é os empresários migrarem para Estados onde tem inúmeros incentivos

Sitevip Internet