Olhar Direto

Notícias / Cidades

Após protesto, Operário reavalia contratação de goleiro Bruno

Da Redação - José Lucas Salvani

22 Jan 2020 - 12:45

Foto: Reprodução

Após protesto, Operário reavalia contratação de goleiro Bruno
Após protesto na terça-feira (21), o Operário de Várzea Grande anunciou nesta quarta-feira (22) que está revendo a possível contratação do goleiro Bruno, condenado a mais de 20 anos de prisão pelo sequestro, assassinato e ocultação do cadáver de Eliza Samudio, em 2010. Nesta semana, o time também foi desautorizado a utilizar a marca da Eletromóveis Martinello e a cooperativa Sicredi removeu seu logo dos uniformes.

Leia mais:
Manifestantes repudiam contratação do goleiro Bruno pelo Operário

A nota divulgada à imprensa apenas pontua que será revisado a possível contratação do goleiro, mas não destaca sua motivação. Na noite de terça-feira, manifestantes se reuniram no entorno do estádio Dito Souza, instalado no bairro Cristo Rei, em Várzea Grande, onde seria realizada uma partida de futebol do tricolor.

As mulheres estavam vestidas de preto e, além de cartazes, seguravam um cartão vermelho nas mãos, que indica a expulsão de um jogador em uma partida de futebol. O ato organizado pelo Bloco das Mulheres contou também com a presença de homens, que seguravam cartazes com frases do tipo: 'Feminicida não pode ser exemplo'; 'Matar mulher é grave sim'; 'Não compre ingresso, não pague para ver feminicida'; 'Operário sim, assassino não'.

Também na terça-feira, a Martinello anunciou que desautorizou o uso da marca nos uniformes do time e em painéis utilizados em entrevistas. A Martinello alega não concordar “que condenado por crime tão grave e torpe seja elevado ao patamar de ídolo esportivo, pois o esporte é para cidadãos exemplares que cultivam a vida, o respeito ao próximo e o espírito de equipe”.

A Martinello não foi a primeira a desvincular sua marca ao time de futebol. Na segunda-feira (20), a cooperativa Sicredi anunciou que irá retirar sua marca dos uniformes, mas alega que ausência do logo nas camisetas do Operário ocorre em função da estratégia da empresa.

Ao Olhar Direto, a assessoria informou que o Sicredi patrocina a Federação Mato-Grossense para o Campeonato Estadual de Futebol 2020 e não o Operário. Acrescentou ainda, por meio de nota, que não comenta as contratações de jogadores feitas pelos clubes.

5 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Gladston
    22 Jan 2020 às 15:23

    Quero saber se essas vozes que ecoaram contra a contratação desse atleta estarão no estádio dando renda à empresa Operário como essa contratação o faria? Outra coisa, muitos desses que arrotaram contra o "criminoso" Bruno estão em campanha para eleger senador da República um cara acusado de mandar matar duas pessoas em SP, e mesmo assim se acham justiceiros destruindo um homem que diferentemente do "cara" , não é um milionário e precisa recomeçar sua vida. Cinismo puro MT, e dos grandes!!

  • André Guilherme Portocarrero
    22 Jan 2020 às 13:48

    Um fato que chama a minha atenção é que ninguém está considerando ou questionando a lei. O maior argumento a "favor" do goleiro é que ele, perante a lei está sob a égide de um benefício penal, mesmo cumprindo uma pena ridícula de supostos 20 anos de reclusão ante a gravidade e repulsa do crime não cumpriu sequer 10 em regime fechado e já estava faceiro na rua. É um escárnio! Do outro lado as pessoas não admitem isto. Pra mim há que se trabalhar que está situação mostra o ABISMO SOCIAL da nossa legislação penal... é quase uma certeza de impunidade. O criminoso não sente o peso de seus atos e aos demais pretendia assassinos fica está certeza. Enfim, não há um esperado temos como freio a incidir sobre quem se dispõe a der um marginal...um assassino. Amanhã não será Bruno...mas Pedro... Mário... João... José... André! O BRASIL PRECISA DE LEIS CIVILIZATORIAS!

  • LUIZ
    22 Jan 2020 às 13:43

    Este timeco já e uma porcaria, quer botar um criminoso inescrupuloso na sua equipe, se ele ao menos se dignasse a informar onde está o corpo da ex, pelo menos para amenizar a dor dos familiares, que até hoje não tiveram a oportunidade de despedir-se dos restos mortais. Ele cumpriu a pena, porém, não demonstrou ser um ser humano digno de perdão. Creio que não se arrepende do crime bárbaro que mandou executar, e se mostra não temente a Deus. Entendo que os torcedores, pois mais fervorosos que sejam, jamais terão alegrias em suas eventuais vitórias, pois em defesa sob suas suas traves, sempre haverá uma figura desprezível e desumana. Pensem bem, existem muitos profissionais nesta área, pessoas decentes e chefes de família, que necessitam e uma oportunidade para obter o sustento digno. O Bruno teve o mundo aos seus pés, Deus lhe proporcionou um privilégio, e ele simplesmente desprezou esta dádiva divina. Creio que não merece segunda chance, enquanto não revelar o paradeiro do corpo da mãe do seus filho e dar um porco de paz aos familiares que não tiveram a oportunidade de saber o que ele fez com o seu ente querido. Desculpe a minha posição radical, sou pai e marido, fui filho e neto, resumindo sou de familia.

  • KRAWK
    22 Jan 2020 às 13:31

    deixa o cara trabalhar em paz meu, 99 % dessas pessoas que estão protestando nem assistem jogo, quem dirá do Operario.

  • Dona Esmeraldina Placida
    22 Jan 2020 às 13:14

    Agora cabe ao goleiro, processar o clube com uma indenização milionaria, terminar de falir esse clube alegando que foi usado pelo clube para que o clube pudesse ter seus 15 minutos de fama no cenario nacional.Enfim, pior para o clube que teve essa ideia de jerico.

Sitevip Internet