Olhar Direto

Quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020

Notícias / Educação

Alunas da rede estadual conquistam mais de 900 pontos na redação do ENEM

Da Redação - Bruna Bom

24 Jan 2020 - 11:27

Foto: Assessoria

Keyt Marrone atingiu 980 pontos na redação do ENEM

Keyt Marrone atingiu 980 pontos na redação do ENEM

Duas alunas da rede estadual de ensino de Mato Grosso se destacaram no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) com notas que chegaram a 980 pontos, número muito superior à média nacional da redação, que foi de 592,9 pontos, de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela aplicação do exame.

As alunas que obtiveram o destaque são Keyt Marrone Barbosa de Lara que obteve 980, uma das maiores pontuações do Estado, Mabily Borsuk Fortes e Nayara Pompilho, alunas de uma escola do campo, que conquistaram 920 pontos.

Keyt Marrone, aluna da Escola Estadual Júlio Muller, no bairro Cristo Rei, em Várzea Grande, relata que fez o exame do Enem de 2019 para provar que seu desempenho seria superior ao do ano anterior, quando conseguiu 600 pontos, suficientes para cursar nutrição da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).

Keyt, que sempre estudou em escola pública, explica que estudou muito em 2018, trabalhou as competências, a estrutura da redação, variou os temas e fez o possível para tirar uma boa nota.

“Fiz tudo de tudo o que podia em 2018, mas não tirei a nota que queria. Então, resolvi fazer novamente no ano passado. Para minha surpresa, quase cheguei aos mil pontos. Foi bom? Foi maravilhoso. Quando olhei a nota nem acreditei”, comemorou a aluna.

A estudante disse não existir receita mágica para conseguir uma nota alta. “Tem que dominar as competências, a estrutura da redação e sempre buscar temas atuais. E, principalmente, escrever bastante e não ficar fechado num tema. Sempre variar”, destacou.

Já a estudante Mabily Borsuk Fortes, que obteve 920 pontos, também concorda que o diferencial para conquistar uma boa nota é estudar com afinco. Ela concluiu o ensino médio na EE Luis Pedroso da Silva, no bairro Capão Grande, em Várzea Grande.

“Acreditava que fosse tirar uma boa nota, mas não tão alta como essa. Foi emocionante ver o resultado final. Graças ao meu esforço e dos professores que se dedicaram ao trabalhar com os alunos do 3º ano”, frisa.

MT no ENEM

O coordenador do Ensino Médio da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Isaltino Alves Barbosa, considerou positivo o desempenho das estudantes, uma vez que a maior parte das notas de redação são superiores à média nacional.

“Embora os resultados prévios do MEC indiquem que Mato Grosso não teve nota 1.000, temos uma média considerável que, em muitos casos, supera os 900 pontos”, destacou o coordenador.

Para melhorar o desempenho dos estudantes da rede estadual de ensino, políticas públicas como o Documento de Referência Curricular (DRC) para a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para o ensino médio estão sendo elaboradas pela Seduc.

“Nossa proposta, com a participação de toda as escolas que oferecem ensino médio, possibilita ampliar todo o potencial de nossos estudantes em relação ao Enem”, complementou Isaltino.

7 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Gonçalo
    25 Jan 2020 às 03:13

    Comentei anteriormente porque, a maior parte das pessoas que vivem em Cuiabá, vieram da zona rural, assim como eu e meus pais, somos do exido rural. Chegamos na cidade sem qualquer perspectiva. Muifos de nossos pais são analfabetos. Logo, coube a cada um de nós seguir e persistir no seu desiderato para alferir a nota ou pontos que é colocação que sonharam. Falo por mim. Hoje exerco a advocacia. Nasci e cresci na zona rural. Vim para a capital e, com apoio moral de minha nobre mãe, analfabeta, cheguei a onde estou é irei mais além. Não precisamos de status. Precisamos de mais incentivos sem publicidades. A base é que nós transforma.

  • Goncalo
    25 Jan 2020 às 02:55

    Publicitar é fácil. Quero ver os pais fazendo esse trabalho em casa, desde o primeiro ano escolar de seus filhos. A maior parte, sequer acompanha seus filhos na escola e em casa. Por isso faço esse trabalho com meu pequeno. Todos nos dias lhe passo um a fazer. TV ou celular somente para programas educativos. Certamente o resultado será como esse da matéria. Mas não posso culpar o restante. Posso assegurar que a maioria dos pais não tem conhecimento suficiente para acompanhar seus filhos. São semi alfabetizados, nem aproveitam a internet por pagam para se auto instruirem e melhorar suas didáticas. Bitolam nas redes sociais o que é uma pena, com tantas possibilidades...

  • Sincera
    24 Jan 2020 às 22:29

    O ensino no Brasil é de baixa qualidade, e em Mato Grosso, precisa melhorar muito, muito mesmo. É triste ver essa empolgação por uma coisa que não tem nada de extraordinária. É basicamente um nivelamento por baixo.

  • Alemão do CPA
    24 Jan 2020 às 20:01

    Não trabalham. Tem vida mansa. Não fazem mais que obrigação.

  • Marta Ceni
    24 Jan 2020 às 14:49

    Grande coisa. 13 estudantes da Bahia conseguiram mil pontos. Isso sim, merece aplausos.

  • Efraim rodrigues
    24 Jan 2020 às 14:25

    Uma otima reportagem, melhor ainda seriam se fossem atrás de uma professora da escola estadual Estevão Alves Correa, cujo esta, realizou um trabalho magnífico junto aos seus alunos. Alunos que deram show em notas acima de 900 pontos. Vale a pena levantar essa história.

  • Aline Fátima LONGO Silva
    24 Jan 2020 às 12:14

    A minha filha tbem tirou 920 Na redação e estudou no ifmt de Várzea Grande

Sitevip Internet