Olhar Direto

Sábado, 31 de outubro de 2020

Notícias / Política MT

Mauro adia apoio ao Senado e quer candidato mais próximo do grupo político

Da Redação - Érika Oliveira

29 Jan 2020 - 17:37

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Mauro adia apoio ao Senado e quer candidato mais próximo do grupo político
Ratificando posicionamento anunciado por seu braço direito, Mauro Carvalho, o governador Mauro Mendes (DEM) afirmou que irá definir seu apoio na eleição suplementar ao Senado após a consolidação de todas as pré-candidaturas, o que só deve ocorrer no momento das convenções partidárias, afastando a possibilidade de “neutralidade” pleiteada por alguns de seus aliados. O democrata adiantou que a análise passará pelo princípio de proximidade do eventual favorecido do grupo ao qual faz parte.

Leia mais:
Presidente do DEM em Cuiabá reforça pedido para que Mendes fique neutro em eleição ao Senado

“Por enquanto eu tenho muitas obrigações e compromissos para me ocupar. Eu tenho dito e repito isso, não é minha prioridade fazer definição de apoio político nesse momento. Mas, assim que o cenário estiver definido e eu souber quem são verdadeiramente os candidatos que vão se inscrever, eu vou analisar internamente com aqueles que estão mais próximos do grupo político que eu faço parte e, aí, tomarei uma decisão. Mas isso só vai acontecer depois que as inscrições estiverem fechadas”, destacou o governador, durante a inauguração do COT da UFMT na noite da ultima terça-feira (28).

A fala de Mendes ocorreu momentos depois que dois de seus aliados – o presidente do DEM em Cuiabá, Alberto Machado, e o pré-candidato ao Senado Júlio Campos – reforçaram o pedido para que Mendes não cravasse nenhum apoio na eleição suplementar, em razão da grande quantidade de pré-candidatos que são ligados a ele.

Além de Júlio Campos e Dilmar Dal’Bosco, do DEM, o vice-governador Otaviano Pivetta (PDT), o chefe do Escritório de Representação de Mato Grosso (Ermat) em Brasília, Carlos Fávaro (PSD), a empresária Margareth Buzetti e Neri Geller, ambos do Progressistas, José Medeiros (Pode) e o deputado estadual Max Russi (PSB) avaliam lançar candidatura à vaga da senadora cassada Selma Arruda (Pode).

Conforme definido pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Mato Grosso, a data final para que os partidos registrem as candidaturas será 17 de março e o início da propaganda eleitoral gratuita nas emissoras de rádio e televisão será no dia 23 de março. O calendário para a eleição suplementar para senador começa já no mês de fevereiro. A eleição será no dia 26 de abril.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet