Olhar Direto

Notícias / Política MT

Senado aprova audiência para debater futuro do VLT; governador, prefeito e outros convidados

Da Redação - Wesley Santiago

12 Fev 2020 - 15:06

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Senado aprova audiência para debater futuro do VLT; governador, prefeito e outros convidados
O Senado aprovou a realização da audiência pública para debater a atual situação das obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) em Cuiabá e Várzea Grande, que estava previsto para a Copa do Mundo de 2014 e ainda encontra-se paralisado. O requerimento para o debate foi formulado pelo senador Wellington Fagundes (PL-MT), vice-presidente da CI e presidente da Frente Parlamentar de Logística e Infraestrutura do Congresso Nacional.

Leia mais:
Mauro nega proposta do governo federal para o VLT e diz que dará resposta técnica
 
A data da audiência será definida em comum acordo com os participantes convidados que constam do requerimento. São eles: o governador Mauro Mendes, o ministro Rogério Marinho, de Desenvolvimento Regional; os prefeitos Emanuel Pinheiro, de Cuiabá, e Lucimar Campos, de Várzea Grande; o presidente da Assembleia Legislativa, José Eduardo Botelho; Marco Antônio Cassou, do Consórcio VLT; e um representante da Caixa Econômica Federal.
 
Também devem participar o consultor Jean Carlos Pejo; José Wenceslau de Souza Júnior, presidente da Federação do Comércio do Estado de Mato Grosso (Fecomércio-MT) e João Pedro Valente, presidente do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea-MT). "Eventualmente, outros nomes poderão ser apresentados para esse debate" – disse o senador do PL.
 
Fagundes explicou que as comissões do Senado promovem audiência pública com a participação de autoridades, especialistas ou entidades da sociedade civil para instruir matéria que se encontre sob seu exame, bem como discutir assunto de interesse público relevante. Segundo ele, a questão do VLT na Grande Cuiabá é um tema de grande relevância pública, envolvendo duas das maiores cidades do Estado de Mato Grosso. 
 
"É uma oportunidade para instruirmos posicionamentos e retirar dúvidas. Sobretudo agora, com a mudança ocorrida no Ministério do Desenvolvimento Regional, com a saída do ministro Gustavo Canuto e a entrada de Rogério Marinho" – explicou.
  
Ao defender a realização da audiência, Wellington ressaltou que a mudança no Ministério, inclusive, provocou o adiamento de uma reunião que estava prevista para segunda-feira, dia 10, entre a Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) e o Governo de Mato Grosso. Na reunião, segundo Fagundes, o Governo Federal deveria  apresentar detalhes dos estudos técnicos sobre a viabilidade do VLT, que estão sendo feitos por um Grupo de Trabalho criado pela secretaria governamental. O grupo analisa alternativas para reestruturação do modal. 
 
"Temos uma ferida exposta que precisa ser fechada" – insistiu o senador, ao destacar, inclusive, o impacto que a paralisação representa para o comércio, já que os trilhos estão implantados em meio às duas cidades, em regiões de forte apelo empresarial..  O senador reafirmou a importância da convergência de esforços e considera que os debates são fundamentais. "Precisamos de uma solução" – acrescentou.

VLT
 
A obra foi iniciada em agosto de 2012 e mais de R$ 1 bilhão já foi aplicado no “novo” modal de transporte coletivo de Cuiabá e Várzea Grande. Os trilhos que guiariam o VLT nos dois municípios quase não existem, e os que já foram construídos estão se deteriorando, juntamente com os vagões que estão estacionados no Centro de Controle Operacional e Manutenção, localizado em Várzea Grande e que, por curiosidade, também está se definhando por falta de manutenção.
 
Parado desde dezembro de 2014, o projeto do Veículo Leve sobre Trilhos será composto por duas linhas (Aeroporto-CPA e Coxipó-Porto), com total de 22 km de trilhos e terá 40 composições, com 280 vagões. Cada composição tem capacidade para transportar até 400 passageiros, sendo 72 sentados.
 
A licitação previa 33 estações de embarque e desembarque e três terminais de integração, localizados nas extremidades do trecho, além de uma estação diferenciada onde também poderá ser feita a integração com ônibus.

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Osneide Sales
    12 Fev 2020 às 17:14

    Parabéns pela atitude, Cuiabá e Várzea Grande precisam se modernizarem, estão deixando escapar essa logística tbm por incompetência de nossos governantes aqui no estado, que ficam olhando só no retrovisor, parecendo o Pedro Malvadesa(Taques), passou os 4 anos falando mal ao invés de trabalhar, parecendo aquelas que gostam mais de fuxico do que da verdade e por qualquer descuido tbm fazem coisas erradas....

  • Coxipó-Brazil
    12 Fev 2020 às 16:53

    VLT, V-amos L-ucrar T-udo Quem não sabia disso... e tá dando grana pós grana, agora vão lá no Bairro Jardim Mossoró só lama.. Afff

  • Jose
    12 Fev 2020 às 16:31

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

Sitevip Internet