Olhar Direto

Notícias / Educação

Mais de 20 ex-alunos do Colégio Maxi estão matriculados em universidades internacionais

Da Redação - Fabiana Mendes

07 Mar 2020 - 14:08

Foto: Assessoria

Mais de 20 ex-alunos do Colégio Maxi estão matriculados em universidades internacionais
Com mais de 20 ex-alunos em universidades americanas e europeias, o Colégio Maxi é a única instituição em Mato Grosso a oferecer o programa High School, currículo internacional, aulas em inglês com o objetivo de preparar os alunos academicamente com a Universidade do Missouri, nos Estados Unidos. A unidade escolar também oferece outras parcerias que direcionam estudantes para universidades mundo a fora. Em 2020, a unidade espera aumentar o número de alunos aprovados em instituições internacionais, e também ampliar as turmas do Middle e High School, em Cuiabá.

Leia mais:
Vice toma posse como reitor da UFMT e comandará instituição até outubro

Entre os mais recentes destaques está o ex-aluno Guilherme Toyota, que em 2019 foi aprovado em Ciências da Computação na Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA), além de outras seis universidades americanas. O jovem iniciou no programa no 9º ano do Ensino Fundamental II, tendo três anos de estudos com o currículo duplo: brasileiro e americano.

A coordenadora do programa, Daniele Hounsell Breier, destaca que além do diploma internacional, que oportuniza que o estudante ingresse com mais facilidade em universidades do exterior, outra vantagem é a maturidade, confiança e qualificação dos jovens. O ensino globalizado, que integra as áreas de Ciências Humanas à Língua Inglesa é baseado nos temas globais da Organização das Nações Unidas (ONU).

No Colégio, o Middle School é oferecido a partir do 6º ano do Ensino Fundamental, com aulas em inglês no período vespertino e integralmente na língua estrangeira a partir do 9º ano do Ensino Fundamental II, já por meio do High School.

"O High School trabalha ainda outras áreas como Economia, Política, Literatura de Língua Inglesa e habilidades valorizadas no exterior, como a argumentação oral, por exemplo. Isto amplia muito o universo de conhecimento do aluno. As aulas totalmente em inglês, com professores nativos, são uma excelente oportunidade para melhorar a fluência no idioma", completa Daniele.

"Estamos na expectativa do resultado de outros alunos que se candidataram a universidades internacionais para aumentar esta quantidade de jovens brasileiros estudando no exterior", acrescenta a coordenadora do Maxi.

De acordo com a assessoria de imprensa, outra vantagem em ingressar no programa  é a possibilidade de participação em eventos internacionais, como simulações da ONU. Este ano, entre 23 de janeiro e 02 de fevereiro, um grupo de alunos embarcou para os Estados Unidos, onde foram realizadas simulações nas universidades do Yale e Harvard. Na oportunidade, os jovens aprimoraram o idioma, participando de debates sobre temas da política internacional com estudantes de diferentes países. Além das atividades acadêmicas, o grupo também visitou pontos turísticos de cidades americanas.

Mizzou – Com o objetivo de apresentar aos pais de alunos e comunidade em geral interessados em conhecer seus programas internacionais, o Colégio Maxi, recebe em 23 de março (segunda-feira), o diretor de admissões internacionais da Universidade do Missouri, Ryan Griffin. Durante a visita, o representante americano abordará as oportunidades e vantagens do estudo no exterior, as opções de cursos, faculdades e bolsas de estudo para alunos estrangeiros, entre outros temas.

Parceira do Maxi, a Universidade do Missouri, ou Mizzou, foi fundada em 1839 e está entre as melhores instituições de ensino dos Estados Unidos. Ao todo, são mais de 300 cursos oferecidos, entre graduações e pós-graduações. A universidade é conhecida também pelo bom índice de diversidade cultural por receber estudantes do mundo todo, e o time de futebol americano Mizzou Tigers.

8 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • RENATTUS
    09 Mar 2020 às 11:32

    QUEM TEM PÕE QUEM NÃO TEM TIRA SE OS CARAS TEM BOM PARA ELES SE NÓS NÃO TEMOS É SÓ FICAR CHUPANDO DEDO ...

  • Gutierres
    09 Mar 2020 às 07:51

    Jorge cajuru, vc deve ser pobre né? O raça infame. Pq n entraram por merecimento? Filho de gente rica não pode ser dedicado e inteligente? Por atitudes com essa sua que você continua nessa sua situação. Assista ai da pipoca a ascensão dos outros pelo resto da sua vida.

  • Chitara de la Kosta
    08 Mar 2020 às 13:13

    Quanta gente invejosa, qual o problema ser rico, nascer rico? Azar de quem nasceu pobre ou é incompetente para conseguir seu lugar ao sol, afinal ele nasceu para todos! E bem forte em Cuiabá kkkk

  • Jorge cajuru
    08 Mar 2020 às 11:25

    Não entraram por merecimento. Riquinhos que pagam mensalidades pois são universidades particulares.

  • MT mais forte
    08 Mar 2020 às 07:53

    Seria importante destacar que todas essas universidades são privadas e

  • MARIA AUXILIADORA
    07 Mar 2020 às 22:55

    Para conseguir entrar em uma Universidade Americana sem bolsa de estudo basta ter o domínio da língua inglesa e muito do HEIRO para custear os custos. As universidades americanas são todas pagas. Se vc tem muito dinheiro tá dentro. Simples assim....

  • Eduardo
    07 Mar 2020 às 19:35

    Surpresa seria se fosse a periferia. E tem gente ainda que tem a pachorra em falar em "igualdade de condições" aos er contra politica de assistencia aos mais pobres.

  • Ieda Ribeiro de Sousa
    07 Mar 2020 às 17:59

    Coxinhas que não sabem o que é ralar.

Sitevip Internet