Olhar Direto

Segunda-feira, 06 de abril de 2020

Notícias / Política MT

"É uma coisa séria o que o presidente fez, jogando por terra o trabalho do ministro", diz secretário sobre Bolsonaro

Da Redação - Vinicius Mendes

25 Mar 2020 - 09:50

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

O secretário municipal de Saúde de Cuiabá, Luiz Antônio Possas de Carvalho, criticou o discurso do presidente Jair Bolsonaro, feito em rede nacional na noite desta terça-feira (24), no qual criticou a postura de governadores e o "confinamento em massa" para a prevenção contra a proliferação do novo coronavírus. Bolsonaro classificou a doença como "uma gripezinha". Possas disse que com este discurso Bolsonaro "está jogando por terra" o trabalho do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que vem fazendo diversas recomendações aos Estados e Municípios.

Leia mais:
Em videoconferência com Bolsonaro, Mauro cobra R$ 1 bilhão do FEX para combater coronavírus

Em sua fala o presidente Jair Bolsonaro desconsiderou o alto índice de contaminação do vírus e citou os efeitos na economia. Segundo ele "raros são os casos fatais de pessoas sãs com menos de 40 anos de idade". 

"O vírus chegou, está sendo enfrentado por nós e brevemente passará. Nossa vida tem que continuar. Os empregos devem ser mantidos. O sustento das famílias deve ser preservado. Devemos sim voltar à normalidade. Algumas poucas autoridades estaduais e municipais devem abandonar o conceito de terra arrasada, a proibição de transportes, o fechamento de comércios e o confinamento em massa. O que se passa no mundo tem mostrado que o grupo de risco é o das pessoas acima dos 60 anos. Por que fechar escolas?".

Bolsonaro ainda disse que "90% de nós não teremos qualquer manifestação caso se contamine" e que "devemos sim é ter extrema preocupação em não transmitir o vírus para os outros".  No entanto, a principal medida para evitar a transmissão do vírus é o isolamento social. 

Ele ainda disse que a mídia criou uma "histeria" em torno do vírus "tendo como carro-chefe o anúncio do grande número de vítimas na Itália". Ele ainda classificou a doença como uma "gripezinha".

"No meu caso particular, pelo meu histórico de atleta, caso fosse contaminado com o vírus, não precisaria me preocupar. Nada sentiria ou seria, quando muito, acometido de uma gripezinha ou resfriadinho, como disse aquele famoso médico daquela famosa televisão. Enquanto estou falando, o mundo busca um tratamento para a doença."

O secretário de Saúde de Cuiabá, Luiz Antônio Possas de Carvalho, que tem atuado diretamente no combate à proliferação do vírus na capital de Mato Grosso, apesar de não ter uma visão pessimista, discorda do ponto de vista do presidente.

"Eu não enxergo o pior dos cenários, mas também não enxergo dos mais alegres, como o presidente da República que veio ontem falar que é uma 'gripezinha', não é uma 'gripezinha', realmente não é isso", afirmou.

Possas disse que é necessário que o poder público tenha muito cuidado na administração dos casos e que é importante as pessoas ficarem em casa "porque a partir do momento que elas não pegarem, elas não vão contaminar mais ninguém, o pico de contaminação vai baixar". Ele também disse que o discurso do presidente "joga por terra" o trabalho que tem sido feito pelo ministro da Saúde.

"É uma coisa séria o que o presidente fez, está jogando por terra o trabalho do ministro Mandetta, que graças a Deus que temos um ministro de visão técnica e profissional, e também centrado como ele é. O ministro agiu da forma certa, está agindo da forma correta com as condições que ele tem", disse.

O secretário, porém, reconheceu que é importante também pensar nos efeitos econômicos que o vírus deve causar. Ele disse que é necessário que os gestores saibam conduzir a situação muito bem para que não ocorram danos muitos graves na saúde nem na economia.

"Agora esta doença tem também um efeito devastador financeiro, o que vai acontecer daqui há 60 dias, com as coisas paradas e fechadas? Então isso é uma 'contraoferta' ao isolamento que é importantíssima. Eu não gostaria de ser gestor numa época dessa, nenhum prefeito ou governador gostaria de estar em uma hora dessas no comando das coisas, porque fica entre a cruz e a espada, tem que saber dosar para que não mate de um jeito, mas também não morre de outro".

24 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Benedito costa
    26 Mar 2020 às 11:22

    ...ou seja! Jogaram bosta na parede.

  • Rubens Tadeu Reynaud
    26 Mar 2020 às 11:03

    Este secretário está desinformado. Acaba de morrer mais dois idosos. Um com 86 anos em Goiás e outro com 66 anos em Santa Catarina. Levanta está porra de quarentena e cuidem só dos idosos. Bolsonaro está certo.

  • Rubens Tadeu Reynaud
    26 Mar 2020 às 10:58

    O Presidente está certo no que fala. O correto seria isolamento vertical e não como está sendo feito. Vai virar um caos econômico e falência geral. Aí vão querer colocar a culpa no Bolsonaro.

  • David
    25 Mar 2020 às 21:56

    Ou esse secretário é seme analfabeto ou não prestou atenção no que Bolssonaro disse. Quando Bolsonaro disse gripezinha tava ironizando o Dr Drauzio Varela , só pode ser petista

  • DELCIO JANKE
    25 Mar 2020 às 20:56

    Comentário totalmente desnecessário e equivocado! O ministério da saúde, está de parabéns, pois está se antecipando ao possível agravamento!

  • Paolo
    25 Mar 2020 às 18:36

    Fica quieto bolinha.

  • Jose
    25 Mar 2020 às 17:47

    Vamos ser bem Sincero... Quem vai se dar bem so os médicos e Donos de Hospital e politico..Eles querem que o Pais quebre e eles tratados como bonzinhos. Mt e clima quente diferente onde esta virus..No Mt nem gripe o povo pega...Vamos trabalhar porque as contas não esperam

  • D cremilda
    25 Mar 2020 às 16:46

    No Japão já estão trabalhando .Como fica os comerciantes autônomos que precisam ganhar p pagar as contas Salário de prefeito ,governador tá na conta todo mês certinho sem atraso

  • Bainho
    25 Mar 2020 às 16:01

    As pessoas de governos e os médicos gostam de aterrorizar ainda mais sempre que tem uma epidemia, por que quanto mais falam, mais dinheiro é alocado o combate. E quem fica como o dinheiro?

  • joaoderondonopolis
    25 Mar 2020 às 15:32

    Pergunte para este secretário o seguinte: Quantas pessoas morrem por ano de gripe comum? Quantas pessoas morrem no país em acidentes automobilístico? Quantas pessoas são assassinadas no país todos os anos? Vamos parar, Bolsonaro é rejeitado por muitos desde o primeiro dia de governo. A intenção de muitos é que aqui vire uma Venezuela. Do jeito que estão querendo, querem quebrar todas as empresas e o país passa a ter 50 milhões de desempregado. A fome vem a todo vapor. A partir de amanhã vou sair de casa e vou trabalhar, se eu ficar em casa ninguém vai trazer as coisa pra mim e minha família, quem vai pagar meu boletos? estão boicotando o nosso presidente. Nos EUA Trump já falou vamos cuidar da gripe, mas não pode parar a economia. Vamos pra frente e vamos trabalhar.

Sitevip Internet