Olhar Direto

Sexta-feira, 03 de abril de 2020

Notícias / Política MT

Secretário de Saúde de MT se diz “estarrecido” com pronunciamento de Bolsonaro

Da Redação - Érika Oliveira

25 Mar 2020 - 12:58

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Secretário de Saúde de MT se diz “estarrecido” com pronunciamento de Bolsonaro
O secretário de Saúde de Mato Grosso, Gilberto Figueiredo, subscreveu carta conjunta de todos os gestores da Saúde dos estados brasileiros repudiando as declarações do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que condenou a quarentena como medida para conter o coronavírus. Mato Grosso foi uma das primeiras unidades da federação a recomendar o isolamento. Para Bolsonaro, o que os governos estaduais estão praticando é um “crime”. 

Leia mais: 
"Vamos continuar a restringir convívio social", diz Mendes após crítica de Bolsonaro em cadeia nacional 

“Assistimos estarrecidos ao pronunciamento em cadeia nacional do Presidente da República, Jair Bolsonaro. É preciso demonstrar ao Brasil as suas consequências e a necessidade de que a população perceba a gravidade do momento que estamos vivendo”, diz trecho da carta. 

Até o momento, em Mato Grosso, já foram impostas uma série de sanções, entre elas o fechamento de estabelecimentos comerciais que não são considerados essenciais, a suspensão de aulas, a permissão do teletrabalho para servidores dos Poderes, a redução da circulação do transporte coletivo e até a proibição de cultos religiosos. 

A tendência é de que o Governo tome medidas ainda mais duras nos próximos dias. Na tarde desta quarta-feira (25) está prevista a publicação de um decreto de calamidade no Estado para que prefeituras e o próprio Executivo estadual ganhe flexibilidade para adotar ações econômicas no combate à doença.  

Questionado sobre a fala de Bolsonaro, o governador Mauro Mendes (DEM) disse que, apesar da importância do equilíbrio fiscal, o isolamento está mantido em Mato Grosso. Também na tarde de hoje o democrata deve participar de reunião com todos os governadores do País para discutir ações conjuntas, após as declarações do presidente. 

“É este o esforço que temos empreendido em defesa de nossa pátria e de nossos irmãos e irmãs brasileiros. É dessa forma, desassombrada e corajosa, na direção correta que queremos seguir na missão de defender nossa gente. Não temos qualquer intenção de politizar o problema. Temos construído, sem dificuldade, independente de colorações partidárias, políticas e ideológicas, consensos para o bem do Sistema Único de Saúde – o SUS e, sobretudo com a saúde do povo brasileiro. Este é nosso compromisso. É isso que norteia nossas ações e esforços”, segue a carta dos secretários. 

Veja a íntegra: 

"Carta dos Secretários Estaduais de Saúde do Brasil após 
pronunciamento do Presidente da República 

Assistimos estarrecidos ao pronunciamento em cadeia nacional do Presidente da República, Jair Bolsonaro.  

É preciso demonstrar ao Brasil as suas consequências e a necessidade de que a população perceba a gravidade do momento que estamos vivendo. 

Temos, juntamente com o Ministério da Saúde, os municípios e a própria sociedade brasileira, empreendido uma intensa luta no enfrentamento da Covid-19. 

Luta que envolve trabalho, sacrifício, solidariedade, empatia, compaixão com o sofrimento das pessoas e que depende de maneira imprescindível do alinhamento de entendimento e de ações, assim como da união de esforços e de uma direção única e firme. 

Todas as decisões e recomendações do Conass e do Ministério da Saúde têm se baseado em evidências científicas, na realidade nacional e internacional e buscado inspiração nas melhores práticas e exemplos de condutas exitosas ao redor do mundo. 

É este o esforço que temos empreendido em defesa de nossa pátria e de nossos irmãos e irmãs brasileiros. É dessa forma, desassombrada e corajosa, na direção correta que queremos seguir na missão de defender nossa gente. 

Não temos qualquer intenção de politizar o problema. Temos construído, sem dificuldade, independente de colorações partidárias, políticas e ideológicas, consensos para o bem do Sistema Único de Saúde – o SUS e, sobretudo com a saúde do povo brasileiro. Este é nosso compromisso. É isso que norteia nossas ações e esforços. 

Já temos dificuldades demais para enfrentar.  

Não podemos permitir o dissenso e a dubiedade de condução do enfrentamento à Covid-19. Assim, é preciso que seja reparado o que nos parece ser um grave erro do Presidente da República. 

Ao invés de desfazer todo o esforço e sacrifício que temos feito junto com o povo brasileiro, negando todas as recomendações tecnicamente embasadas e defendidas, inclusive, pelo seu Ministério da Saúde, deveríamos ver o Presidente da República liderando a luta, contribuindo para este esforço e conduzindo a nação para onde se espera de seu principal governante: um lugar seguro para se viver, com saúde e bem estar. 

Infelizmente o que vimos em seu pronunciamento foi uma tentativa de desmobilizar a sociedade brasileira, as autoridades sanitárias de todo o país. 

Sua fala dificulta o trabalho de todos, inclusive de seu ministro e técnicos. 

Todo o apoio à atuação do Ministério da Saúde e sua equipe, que tem trabalhado técnica e cientificamente em todos os momentos. Com saúde não se pode brincar e nem fazer apostas, diante do risco que corremos. É preciso discernimento, coragem e determinação para liderar, unificar e auxiliar a nação a superar mais este desafio de Emergência em Saúde Pública. 

Temos plena consciência de que o Brasil e o mundo irá enfrentar uma grave recessão econômica, aprofundamento das desigualdades sociais e empobrecimento. 

A economia, com trabalho, disciplina, organização e espírito público, se recuperará. Seremos solidários e trabalharemos sem descanso para permitir uma rápida recuperação da nossa economia. 

Mas é preciso que se entenda, vidas perdidas, não serão recuperadas jamais. 

Que Deus abençoe cada um de nós que temos trabalhado intensivamente e dormido pouco. 

Que Deus abençoe e proteja todos os brasileiros e brasileiras. 

#ficaemcasa  

Secretários de Estado da Saúde do Brasil" 

 

 

7 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Ad
    25 Mar 2020 às 17:00

    Secretário estou estarrecido e vc criticar o Presidente.sua dispensa está cheia imagina qtas peso está sem comida os enfermeiros os médicos os caminhoneiros parar eles tbem pode pegar o vírus o que vc me diz.acho que vc está sendo um hipócrita voltar no jornal e falar outra coisa

  • Toniel
    25 Mar 2020 às 16:53

    Cuidar das pessoas de riscos, com hospitais , equipamentos e movimentação, tudo bem, agora sacrificar a produção/emprego, onde gera renda,consequentemente receita ao estado, é burrice.

  • Dudu
    25 Mar 2020 às 16:46

    Era melhor ter ficado quieto!

  • Chico Bento
    25 Mar 2020 às 15:52

    Estarrecido está o povo de Mato Grosso com o sistema de saúde do estado, que possui apenas 400 leitos de UTI com respiradores, mantidos pelo SUS. Cuida do seu trabalho senhor, antes de ficar falando mal do presidente.

  • Maria José
    25 Mar 2020 às 15:49

    Muito bem Lucelia Pacheco ... vi a comunicação desse secretario colocando terror nas pessoas ... é um crime o que estão fazendo com a economia do país ...

  • José Inocêncio
    25 Mar 2020 às 15:46

    Quando o Estado tiver quebrado você miolo oco vai falar pro mauro mendes pedir ajuda do governo federal ...

  • LUCELIA PACHECO PEREIRA
    25 Mar 2020 às 15:16

    Isso é que dá, colocar um professor para ser Secretário da Saúde. Aprenda com o presidente Jair Bolsonaro , Ministro Mandeta é médico.

Sitevip Internet