Olhar Direto

Quinta-feira, 28 de maio de 2020

Notícias / Política MT

Estado prevê queda de arrecadação em 50% e suspende cobrança de tributos no primeiro semestre

Da Redação - Isabela Mercuri

02 Abr 2020 - 15:29

Foto: Rogério Florentino Pereira/ OD

Estado prevê queda de arrecadação em 50% e suspende cobrança de tributos no primeiro semestre
Somente o Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) deve sofrer uma queda de 40 a 50% no mês de abril. Em maio, o rombo pode ser ainda maior. Os números foram anunciados pelo governador Mauro Mendes durante uma transmissão ao vivo na tarde desta quinta-feira (2). Além disso, tributos como ICMS e IPVA e renovação de alvarás serão suspensos no primeiro semestre de 2020.

Leia também:
Governador cobra recursos do Fundo Amazônia de vice-presidente 'para fazer economia girar'
 
O ICMS, por exemplo, não será cobrado das micro e pequenas empresas, que são tributadas pelo Simples Nacional, nos meses de abril, maio e junho. “Será prorrogado inicialmente por 90 dias, e Mato Grosso está defendendo junto ao Comitê Gestor Nacional que isso possa chegar a 180 dias”, explicou Mendes.
 
Outro imposto que não será cobrado nos próximos meses é o Imposto Sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). O governo já havia suspendido os vencimentos dos meses de março e abril e, agora, incluiu também o mês de maio.
“O IPVA que venceu março, abril e maio ficam prorrogados por mais 60 dias, dando folego para evitar o pagamento desse tributo”, disse o governador.
 
As certidões das empresas que tinham vencimento previsto para estes meses do primeiro semestre serão prorrogadas por 60 dias, e os alvarás do Corpo de Bombeiros ficam, todos, com o vencimento para o dia 31 de julho.
 
“Teremos grandes dificuldades pela perda de receita, pela queda de receita a partir do mês de abril e em maio ainda maiores”, lamentou Mauro. Segundo o governador, na segunda-feira (7) a Secretaria de Fazenda vai soltar o primeiro boletim mostrando o movimento nas ultimas semanas em vários setores.

9 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Olga Pontes
    03 Abr 2020 às 09:11

    Vemos fazer panelaço pra Emanuel adiar IPTU. Até Lucimar adiou de Várzea Grande e Emanuel finge e desconversa.

  • RENATO
    02 Abr 2020 às 22:32

    E o Detran fechado, e a Sefaz apenas em sistema on line e os cartórios fechados, como vai entrar imposto governador .... Esta na hora de começar fazer a gestão ne governador. Agora que se vê realmente que sabe administrar crises, mas não parece existir, TJ nadou em mais 124 milhões

  • Raimundo
    02 Abr 2020 às 18:48

    Não aguento nem olhar mais para a cara desse cidadão.

  • Bell
    02 Abr 2020 às 17:46

    Servidores, por favor, não gastem no comércio local. Segurem qualquer dinheiro que entrar. Quero ver se esse rei aguentará a pressão do comércio, pois não basta só fazer caridade com o ICMS. Segurem seu dinheiro. Não gastem! Deixem os produtos encalhar, já que ele não se importa com a nossa sobrevivência e tampouco em fazer justiça cobrando contribuição dos poderes. Quero ver fazer justiça de cima pra baixo, pois é mais fácil agir de forma ditatorial e prejudicar os menos favorecidos para deixar intocável a elite do funcionalismo público.

  • Jose2
    02 Abr 2020 às 17:13

    Isso aí Mauro Mendes vai entrando na pilha de João Doria para ver no q vai dar. Todo mundo vai se fud**.

  • joaoderondonopolis
    02 Abr 2020 às 16:33

    O governador faz tudo que quer, libera dinheiro como suplementação ao TJ, se caso não der certo a liberação, qualquer coisa desconta nos servidores do executivo, principalmente nos servidores da educação. Vocês vão ver o que vem contra os servidores.

  • Teka Almeida
    02 Abr 2020 às 16:17

    O que vai confirmar ou não a queda da arrecadação é o IMPOSTRÔMETRO. O Mauro MENTE governo FAKE NEWS não tem credibilidade nenhuma.

  • Cidadã
    02 Abr 2020 às 16:13

    E a suplementação de 124 milhões pro Judiciário?! Mesmo em crise, os amigos do rei sempre são favorecidos.

  • joao
    02 Abr 2020 às 15:47

    Pois fechou as rodovias, fechou os comércios. Este é o resultado, e sei que o bom cabrito não berra. Agora aguenta!!!

Sitevip Internet