Olhar Direto

Quinta-feira, 28 de maio de 2020

Notícias / Cidades

Quase 80% dos cuiabanos temem perder alguém para o coronavírus

Da Redação - Isabela Mercuri

03 Abr 2020 - 14:17

Foto: Reprodução / BBC

Quase 80% dos cuiabanos temem perder alguém para o coronavírus
O número de cuiabanos com medo de pegar o coronavírus é de 66,1%, contra 27,9% dos que não temem, e 6% que não sabem ou não querem se manifestar. No entanto, quando a pergunta muda para quem tem medo de perder algum amigo ou familiar para a doença, o número salta para 79,2%, contra apenas 16% que não têm medo algum, e 4,8% que não sabem.

Leia também:
Para 88% dos cuiabanos, governantes devem priorizar a vida e depois pensar na economia
 
Nesta sexta-feira (3) foi anunciada a primeira morte em Mato Grosso pelo COVID-19, em Lucas do Rio Verde. Em todo o estado já são 41 casos confirmados e, no Brasil, 8165 (de acordo com as secretarias estaduais).
 
A pesquisa que revela a percepção geral da população de Cuiabá a respeito da pandemia de coronavírus foi realizada pela ‘Analisando – Instituto de Pesquisas e Opinião Pública’, entre os dias 31 de março e 2 de abril. No total, foram realizadas 501 entrevistas, e a margem de erro é de 3 pontos, para mais ou para menos.
 
A análise é da socióloga e analista política Christiany Fonseca, professora de Sociologia no Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), mestre em educação pela (UFMT) com ênfase em Sociologia do Trabalho. Atualmente é doutoranda em Sociologia pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR).
 
De acordo com os números, 88,6% dos cuiabanos acreditam que o coronavírus é uma doença que pode causar muitas mortes no país, enquanto apenas 6,4% pensam que isso é uma notícia falsa, e 5% não sabem ou não querem opinar.
 
Ainda em relação às preocupações da população, 72,1% tem mais medo que as pessoas possam morrer infectadas, e 19,6% têm mais medo do impacto econômico, enquanto 8,4% não sabem ou não querem opinar.
 
Dos entrevistados, 38,9% tem entre 16 e 34 anos, e 61,2% tem mais de 35 anos. Além disso, 51,5% eram mulheres, e 48,5%, homens. A pesquisa foi realizada nas regiões norte, oeste, leste e sul da capital.

10 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Dito Cujo
    04 Abr 2020 às 08:57

    Concordo com você,Luciano.

  • observo
    04 Abr 2020 às 08:26

    pergunta besta...tolerancia ZERO.

  • Tsc tsc tsc
    04 Abr 2020 às 02:19

    Mas não era só uma gripezinha??? Uma histeria, ‘talkey’?? Tá certo????

  • Dudu
    03 Abr 2020 às 21:54

    Se continuar assim o tédio vai matar.mais q esse vírus,ops comunavírus!

  • Lucenar Pinto Prates
    03 Abr 2020 às 18:37

    O MITO FEZ POUCO CASO COM ESSES BRASILEIRO, CUIABANO NAO VOTARAM EM MASSA NO MICO?? NO MESSIAS DO GADO??

  • Olga Pontes
    03 Abr 2020 às 17:12

    O mundo NUNCA mais será o mesmo. Espero que essa geração atual nem nem, nem nem estuda nem trabalha, tome vergonha com a tragédia.

  • Mulher ma
    03 Abr 2020 às 17:03

    Só pra saber a maioria dos idosos da minha família Faleceram há anos Para de fazer terrorismo psicológico com as pessoas. Tudo mundo vai morrer Mas não e pra tanto.

  • luciano
    03 Abr 2020 às 15:58

    Será que o medo de perder um ente querido é somente se a morte for por coronavirus? Quer dizer que se morrer de malária, dengue, acidente de transito, assassinato, nesses casos ta tudo bem né? Ninguem tem medo se perder alguem por qualquer outro motivo. Que enquete mais sem propósito.

  • Vanderlei Borges de Freitas
    03 Abr 2020 às 15:22

    Onde fizeram essa pesquisa ? Ai no escritório do Olhar Direto ? Vamos ser otimistas e não pessimistas

  • O atalaia
    03 Abr 2020 às 15:00

    Claro, estamos diante de um inimigo cruel e pideroso, que pode nos fazer vitimas de sua fúria. Todo cuidado é pouco nesse momento de ameaça constante. Mas a palavra de ordem em época de dificuldade é ESPERANÇA em dias melhores que estão chegando para nós, como a bonança chega depois da tempestade.....

Sitevip Internet