Olhar Direto

Quarta-feira, 27 de maio de 2020

Notícias / Política MT

Emanuel rebate protestos de comerciantes e diz que não vai hesitar em tomar medidas ainda mais duras

Da Redação - Érika Oliveira

03 Abr 2020 - 13:08

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Emanuel rebate protestos de comerciantes e diz que não vai hesitar em tomar medidas ainda mais duras
O prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), que no final de semana passado foi alvo de protestos, não descartou endurecer ainda mais as regras para o funcionamento do comércio na Capital. O gestor se prepara para divulgar um novo decreto, que substituirá as normas em vigência cuja validade se encerra no próximo domingo (05). 

Leia mais: 
Após morte, comércio em Lucas continua aberto e prefeito pede que aumentem rigor na higiene 

“A orientação da Prefeitura é para que fiquem em casa, todos que puderem. O ambiente familiar, a sua casa é o primeiro local que você deve cuidar. Evitem aglomerações, evitem o transporte coletivo, evitem se expor. A Prefeitura está tomando medidas que por vezes são duras, mas que são extremamente necessárias para proteger a vida e a saúde da população. Essas medidas não são vontade pessoal do prefeito, são medidas respaldadas e que seguem o protocolo da OMS, do Ministério da Saúde e que são muito discutidas no Comitê de Enfrentamento que eu presido aqui em Cuiabá. Nossa equipe técnica está em permanente contato com a Secretaria de Saúde do Estado, portanto, o respaldo técnico cientifico é a base de todas as medidas que estamos tomando. E enquanto estiver em jogo a saúde e a vida das pessoas, não hesitarei em tomar medidas ainda mais duras para proteger a população cuiabana”, disse o prefeito, em entrevista ao Olhar Direto

Pelo decreto em vigência, que segue válido até domingo, a Prefeitura autorizou o funcionamento de alguns setores do comércio e de serviços. Distribuidoras de água e gás, oficinas mecânicas e borracharias, além de pet shops, templos religiosos, lotéricas, lavanderias, lojas de cosmético, entre outros, podem permanecer abertos. Veja a lista completa AQUI

O decreto foi editado no dia 23 de março e, quatro dias depois, um grupo de empresários se juntou em uma carreata na porta da casa de Emanuel para exigir que as normas fossem flexibilizadas. A manifestação percorreu as ruas do bairro Jardim das Américas, em Cuiabá, com buzinas e palavras de ordem.  

Para o Governo do Estado, o isolamento social deve ser mantido, mas as atividades econômicas devem ser restabelecidas na Capital. O governador Mauro Mendes (DEM) chegou a determinar isto, também via decreto, mas uma decisão do desembargador Orlando Perri, do Tribunal de Justiça, derrubou parte da normativa, atendendo à um mandado de segurança impetrado por Emanuel Pinheiro. 

Na decisão, o magistrado considerou a possibilidade de "desastre" com o relaxamento das restrições contra o coronavírus, e possível incapacidade do poder público em atender a todos os que necessitarem da saúde pública.  

Na justificativa do Executivo estadual, Mato Grosso ainda apresenta poucos casos confirmados da Covid-19, portanto, o isolamento total dos municípios não se faz necessário neste momento. O Governo, no entanto, não descarta o endurecimento das regras caso a doença avance e optou por não recorrer da decisão de Perri. 

Atualmente, Mato Grosso contabiliza 41 casos confirmados da Covid-19 e 297 pessoas com síndrome respiratória aguda grave. O número praticamente dobrou desde a noite da última quarta-feira (01), quando haviam 28 pacientes infectados pela doença no Estado. 

Na manhã desta sexta-feira (03), o Estado registrou a primeira morte por coronavírus. A vítima era um homem, identificado como Luiz Nunes, de 54 anos, morador de Lucas do Rio Verde (a 332 quilômetros de Cuiabá). 

Cuiabá concentra 25 casos da doença e também integra a lista de municípios com transmissão comunitária confirmada pela Secretaria de Saúde do Estado. Dos casos confirmados até agora, 54% são mulheres e 46% de homens. A média de idade das vítimas é 43 anos. Entre elas está uma criança de no máximo cinco anos.  
 
 

 

 

 

 

 

39 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Olinda
    05 Abr 2020 às 00:26

    Esse povo se eleger esse político é porque merece seu governante está preocupado com vírus que possa chegar até ele!

  • Jose
    04 Abr 2020 às 22:48

    Horário reduzido do supermercado, resultado: mercado lotado e aglomerado de gente nos horários abertos. Cenário perfeito para disseminação da doença. O Mercado, que é um lugar fechado e LOTADO de gente pode ficar aberto, uma loja que recebe poquissimas pessoas ao mesmo tempo não pode. Os escritórios que recebem 1 pessoa por vez não pode... qual o sentido de tudo isso? Não da para entender a lógica disso tudo. Coloque regras para as pessoas e estabelecimentos seguirem e pronto. O cenário daqui é muito diferente dos outros países. Se continuar assim quando chegar a esse ponto de se comparar com o número de casos que temos em outros países nem deveremos mais nos preocupar , pq até lá poucos terão sobrevivido à crise econômica e ao caos que vai virar esse país.

  • waldomiro lopes
    04 Abr 2020 às 18:08

    Cida. J.Américas - Sua dispensa deve estar lotada, ou melhor, talvez nunca tenha precisado trabalhar no duro para poder dar o que comer aos filhos, ou nunca tenha passado necessidade e nem ter que passar o dia inteiro ao sol e chuva, ou mesmo que precisar ir ao mercado e no local não ter o que precisa para comprar.

  • Gean
    04 Abr 2020 às 16:07

    Estou reunindo com meu advogado e entrarei com obrigação ao Municipio de Cuiabá e ao Prefeito da nossa capital Cuiabá fazer a suspensão já do.IPVA sem tempo até acabar este periodo para pagamento do mesmo!!! Pois ou decido pagar imposto/taxa sem.da.onde tirar dinheiro ou levar.comida para dentro de casa!!!!!

  • JUSTO VERISSÍMO
    04 Abr 2020 às 13:50

    Dar exemplo Mané Pinheiro e reduz seu salário dos seus secretários e dos seus assessores comissionados e pede também para a Câmara Municipal de Cuiabá fazer o mesmo.

  • Dudu
    04 Abr 2020 às 09:03

    Simples, não vamos pagar o IPTU, final do ano eles dão desconto de 90% parcelados em 50 vezes!

  • Cida J Américas
    04 Abr 2020 às 08:42

    Parabéns prefeito. Saúde em primeiro lugar. Empresários coxinhas que se virem....

  • arabe
    04 Abr 2020 às 08:29

    essse prefeito so sabe usar decretos e comparar Cuiaba com "MILAO" . ou convivemos com essa pandemia ou haverá mais "mortos" psicologicos por falta de empregos ou comida. nesse momento o isolamento mata mais que doença , as pessoas que trabalham em seus pequenos"botecos" nao suportam mais ficar parados e esse senhor vem dizer que se preocupa com a populaçao ? por que nao joga um balde de agua gelada dizendo :ESTE ANO O IPTU TERÁ ANISTIA PARA OS MAIS SEM CONDIÇAO E PARA TODOS O RESTO 50% de desconto sem restriçoes ou condiçoes !!!! em tempos sombrios o lider deve dar exemplo de humanidade ! e cade cade os vereadores xo mano cade eles???? espero que este veiculo publique

  • Marcio
    04 Abr 2020 às 07:11

    Egoistas insensatos desumanos

  • Jacqueline
    03 Abr 2020 às 22:59

    Irresponsável. ...fazendo politicagem. Ditador......Não aeitaremos q toque em nossa liberdade. O direito de ir e vir está na constituição. As pessoas precisam trabalhar para seu sustento.Onde este ditador vive?Como um pai vai ficar em casa vendo sua família com fome. Vamos às ruas...protestem! Este VÍRUS CHINÊS é uma FRAUDE comunista.

Sitevip Internet