Olhar Direto

Sexta-feira, 05 de junho de 2020

Notícias / Cidades

Cineasta reage a tratamento e deixa UTI, mas segue hospitalizado com COVID-19

Da Redação - Isabela Mercuri

05 Abr 2020 - 14:12

Foto: Reprodução

Cineasta reage a tratamento e deixa UTI, mas segue hospitalizado com COVID-19
O cineasta Bruno Bini reagiu ao tratamento médico e deixou a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neste domingo (5). Ele foi transferido a um quarto isolado semi-intensivo, e segue hospitalizado.

Leia também:
Cineasta cuiabano internado na UTI há cinco dias é diagnosticado com coronavírus
 
De acordo com a família, o tratamento continua até que ele receba alta. Bruno foi internado na sexta-feira (27) em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) com dificuldades para respirar. Ele teve o diagnóstico de coronavírus confirmado na quarta-feira (1). O cineasta apresentou problemas no pulmão dez dias após voltar da Europa, onde recebeu prêmios pelo filme ‘Loop’, que dirigiu e roteirizou.
 
Algumas mensagens associaram a melhora de Bruno ao uso de cloraquina. No entanto, a família preferiu não se manifestar em relação a isso. Apesar de alguns hospitais estarem realizando o protocolo do medicamento, ele deve ser usado com cautela e somente quando prescrito por médicos, em alguns casos graves.
 
“Temos recebido perguntas sobre isso e entendemos que essas informações devem sempre ser fornecidas por profissionais da saúde especializados na área”, afirmou a família, em nota.
 
Bruno está no Hospital Santa Rosa. “Hoje é momento de agradecer a todos que se uniram a nós numa rede de pensamento positivo, orações e gentileza, inclusive o corpo médico do Hospital Santa Rosa. Continuamos focadas no restabelecimento total de Bruno e renovamos o pedido de acolhimento familiar”, completa a mensagem.
 
Bruno passou por Portugal e Inglaterra para participar do Festival Internacional de Cinema do Porto, onde seu longa ‘Loop’ foi o filme de encerramento, e o Festival Internacional de Manchester, onde foi premiado.

Antes mesmo de chegar ao Brasil, ele entrou em contato com a Vigilância Sanitária do município de Cuiabá para tentar fazer o teste do novo coronavirus. Ele não tinha muitos sintomas, apenas pouca tosse. Por precaução, se isolou em um hotel da capital no último dia 17 de março. 

Na ocasião, o resultado do exame para Covid-19 deu negativo e, por este motivo, o cineasta foi para casa, onde mora com a esposa e a filha, de quase dois anos de idade. O segundo teste deu positivo.

Na quinta-feira (27), começou a sentir dores e foi levado ao hospital, onde permanece internado. A esposa de Bruno, Pamela Muramatsu, é assessora da primeira-dama, Virgínia Mendes.

4 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Fernando Roberto
    05 Abr 2020 às 18:47

    Claro. Vamos divulgar o tratamento feito a base de gengibre com conhaque. Muito eficiente. E também produzimos a sua matéria prima.

  • Giupna
    05 Abr 2020 às 16:09

    Carlos Eduardo, pra todas as doenças que você falou a cloroquina tem eficácia ccomprovada. A Covid-19 é uma doença nova, com vários medicamentos sendo testados, quem está com pé na cova está na realidade fazendo parte de experimentos, quando os cientistas afirmarem, nos relés ignorantes poderemos afirmar que a cloroquina é pra Covid-19, assim como paracetamol é pra dengue.

  • Galdencio
    05 Abr 2020 às 15:53

    A imprensa, o congresso, a câmara e o STF, estão mobilizados para derrubar o governo federal mais não vão conseguir. Os militares tomarão o poder e exilará esse bando de desqualificados que querem destruir a nação.

  • Carlos Eduardo
    05 Abr 2020 às 15:07

    Parece que a imprensa não quer que exista remédio para o vírus chinês. Cloroquina é remédio desde 1934 inicialmente usado para tratar malária, depois como hidroxicloroquina usado para outras doenças auto-imunes, só agora merece preocupação os efeitos colaterais desse medicamento. Vale ressaltar que é medicamento que nós produzimos e não precisamos da ajuda de ninguém. Parem de torcer contra.

Sitevip Internet