Olhar Direto

Notícias / Política MT

Irritado com cobranças, Mauro chama críticos de medíocres

Da Redação - Carlos Gustavo Dorileo

21 Mai 2020 - 07:30

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Irritado com cobranças, Mauro chama críticos de medíocres
Irritado com as várias críticas que vem recebendo desde a semana passada na redes sociais por conta da aprovação do projeto de lei que permite o aumento da gratificação de servidores públicos em cargos em comissão, em um momento de pandemia, o governador Mauro Mendes (DEM) disse que está combatendo a Covid-19 com a criação de diversos leitos e chamou seus críticos de medíocres.

Leia também
Mendes diz que Prefeitura de Cuiabá não abriu leitos de UTI e 'não fez lição de casa'


No discurso feito durante a cerimônia de entrega de 149 caminhonete para as forças de segurança, o governador afirmou que muitos cobraram, e sem conhecimento, para que ele fizesse na Arena Pantanal, o que a prefeitura e o Governo de São Paulo fez no estádio Pacaembu e no Complexo Esportivo do Ibirapuera, criando leitos provisórios para combater o coronavírus, ação que ele reprovou.

“Muitos prefeitos e governadores optaram por construir um hospital de campanha. Quando eu anunciei que ia fazer o Hospital Metropolitano e ampliar 210 leitos, muitos me criticaram nas redes sociais, pediram para eu fazer igual ao Dória, um hospital de campanha na Arena Pantanal. Este é o caminho que a maioria enxerga que consegue tomar, mas nós construímos em 45 dias, e quem esteve lá sabe o padrão de qualidade de uma obra definitiva”, iniciou o chefe do Executivo.

“Eu recebi o orçamento de três empresas e duas delas fizeram estes mesmos hospitais de campanha em São Paulo, que custaram de R$ 15 a R$ 16 milhões. É exatamente o que nós gastamos para fazer uma obra definitiva. É uma obra que está atendendo ao Covid, mas que depois ficará para sempre com qualidade, podendo ser um novo centro de referência de alta complexidade para atender a baixada cuiabana e tantas outras regiões de Mato Grosso. Isso é ir além do senso comum, isso é ir além da mediocridade de algumas pessoas que não enxergam nem o óbvio”, continuou.

Durante o evento, que deveria ser uma comemoração, o governador também disparou contra o prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB), dizendo que ele não criou um leito de UTI para ajudar no tratamento de pacientes infectados e contra o deputado Ulysses Morais (PSL), a quem ele chamou de ‘desrespeitoso’, pela forma como ele fez o enfrentamento ao projeto do aumento da gratificação de servidores em cargos de comissão.

Na semana passada, o governador inaugurou a obra de reforma e ampliação do hospital Metropolitano de Várzea Grande, que foi transformado na unidade referência para o tratamento ao novo coronavírus no Estado. Foram investidos R$ 16, 5 milhões e agora o local conta com 278 leitos definitivos para atender aos pacientes da Covid-19.

O hospital passou a ter 238 leitos clínicos e 40 leitos de UTI definitivos, sendo 210 totalmente novos, dos quais 180 são leitos clínicos e 30 de UTI. As obras começaram em 23 de março, com prazo de conclusão inferior a dois meses.

23 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Ronaldo
    22 Mai 2020 às 22:03

    Cadê o nosso RGA.....não recebemos nem 1% de aumento....e o custo de vida não para de subir

  • Luiz Gonçalo da Silva
    22 Mai 2020 às 15:32

    E por que pagam os médicos e os profissionais da saúde uma mixaria de salário.

  • José
    22 Mai 2020 às 07:20

    Mediocridade, um assunto que o governador entende bem.

  • Líbero Badaró Ximenes
    21 Mai 2020 às 18:35

    Mauro, Emanuel e outros estão fazendo defuntos de palanque e tragédia para ganhar mais dinheiro. Como ? Comprando e contratando tudo em regime emergencial, com a pornográfica dispensa de licitação. Exemplos: contratação de empresa de tv para as aulas on line nas escolas municipais de Cuiabá e construção de mais um raio no presídio do Pacoal Ramos pelo governo do estado. Só dá compadres.

  • Marcos
    21 Mai 2020 às 17:46

    Nao tem controle.emocional.....

  • parasita
    21 Mai 2020 às 16:37

    O secretario de saúde saí na mídia e fala que é para fazer o isolamento social, só que na secretaria de saúde ele faz diferente. Na sede da secretaria de saúde esta tendo reforma com grande número de pessoas se aglomerando. E os servidores não podem nem tirar férias ou licença que tem direito. Também tem várias ambulâncias guardadas no estacionamento esperando somente a definição da data das eleições para serem entregues e fazerem a campanha.

  • PROFESSORA
    21 Mai 2020 às 13:15

    Parem de brigar e vão cuidar do povo!!!! NOS PROFESSORES ESTAMOS DESDE JANEIRO SEM SALÁRIO E VC MAURO MENDES, péssimos gestor que é vai dar aumento pra seus pares. PELO AMOR DE DEUS, TOME VERGONHA E CUIDE DOS PROFESSORES. TENHO CERTEZA QUE SE FOSSE EMANUEL GOVERNADOR ELE NÃO FARIA ISSO CONOSCO

  • Pitty
    21 Mai 2020 às 12:57

    Ele quer desconversar o que fez, daeu aumento para seus amiguinhos sim Sr MM, numa época de Pandemia não era o momento. Agora querendo que ninguém o critique? Volta para sua terra pois ninguém lhe chamou aqui.

  • Cristiane
    21 Mai 2020 às 12:46

    Sr Governador não faz mais que sua obrigação foi eleito para fazer obras pelo povo de MT e quando fizer algo que visivelmente está em desacordo irá ser criticado sim como esse aumento e totalmente sem fundamento se não pode pagar RGA não deveria dar aumento para ninguém é não favorecer apenas uma única classe e restante fica sem aumento

  • Fábio Henrique Macedo
    21 Mai 2020 às 12:14

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.