Olhar Direto

Segunda-feira, 25 de maio de 2020

Notícias / Cidades

Em Cuiabá, casos de Covid-19 começaram em bairros nobres e ‘se alastram’ na periferia; veja estudo

Da Redação - Isabela Mercuri

23 Mai 2020 - 16:25

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Em Cuiabá, casos de Covid-19 começaram em bairros nobres e ‘se alastram’ na periferia; veja estudo
Um estudo realizado pelo departamento de Geografia e de Saúde Coletiva da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) mostra que o novo coronavírus (Covid-19) se iniciou em bairros nobres e, hoje, se alastra pela periferia. Nas três semanas anteriores à publicação, bairros como Jardim Imperial tiveram a maior parte dos novos casos.

Leia também:
Após ser capturado, homem com Covid-19 foge de hospital e é preso novamente 

O estudo foi realizado por Emerson Soares dos Santos, Ana Paula Muraro e Ligia Regina de Oliveira, e tinha por objetivo entender os efeitos da flexibilização das medidas de isolamento e distanciamento físico na capital mato-grossense.
 
Dentre os principais resultados obtidos, estão os que mostram que o isolamento diminuiu consideravelmente entre os dias 21 de março e 2 de maio em todo o estado, e que de 3 a 9 de maio houve aumento do número de notificações e de municípios com pessoas infectadas.
 
Além disso, “A média diária semanal de notificação de novos casos aumentou 95% na última semana em Mato Grosso. Isto é reflexo da diminuição do isolamento social verificada no estado”, afirma o estúdio.
 
Somente em Cuiabá, a média diária semanal atingiu seu maior número desde o dia 20 de março entre os dias 3 e 9 de maio. A maior concentração de casos ocorre na região central da cidade, além de Jardim Imperial, Jardim Itália e Jardim das Américas, surgindo novos casos por várias semanas seguidas.
 
O estudo indica que a doença começou, na capital, em bairros como Florais e Jardim Itália, e chegou ao sul da cidade a partir da 5a semana após o primeiro caso. “Ainda como podemos observar na figura 4, nas últimas três semanas a maior parte dos casos tem ocorrido na região central da cidade (Centro Sul e Bosque da Saúde) e no Bairro Jardim Imperial, o que nos leva a interpretação de que há difusão por contágio na região central da cidade (e arredores), e no Jd. Imperial e entorno. Estas áreas são caracterizadas por possuírem intensa dinâmica comercial local, com a existência de comércio bastante variado, sendo, portanto, importantes centralidades da cidade”, explica.

 

“Começam a surgir casos em bairros da Região Sul de Cuiabá, áreas com maior proporção de pobres, onde até 15% dos trabalhadores (N~7.500) passam até 2 horas dentro do transporte coletivo para chegar ao local de trabalho, o que resulta em grande tempo de exposição a um possível contágio”, completa o artigo.
 
Para ler a íntegra do artigo, acesse AQUI.

6 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Vinicius Denardi Boabaid Rovedo
    24 Mai 2020 às 10:39

    Esses que espalharam o vírus, são os donos dos Hondas e Corollas que querem a reabertura do comércio. Enquanto o povo pega o busão lotado, eles ficarão em casa com seus "Shitzus" .

  • Daniele
    24 Mai 2020 às 09:44

    Ótimo estudo, contudo, ao meu ver o número de casos aumentou pois faz parte da evolução do vírus na cidade mesmo, e depois a tendência será cair os números.

  • Maria
    24 Mai 2020 às 00:45

    Lógico! As pessoas que trabalham lá como doméstico,porteiro.etc são de periferia vcs acham como foi para na periferias?

  • Adriano
    23 Mai 2020 às 20:24

    Então geralmente o tempo de aparecer os primeiros sintomas exatamente 15 dias, entre os dias 21 e 2 do isolamento não condiz com a realidade pois os resultados obtidos nesses dias são de exames feitos a 15 dias anteriores e os números obtidos posterior são referente a estas datas, levando a crer que o isolamento fez aumentar o número de contágio, sendo ineficiente.

  • Sidilene
    23 Mai 2020 às 18:32

    Mesmo com todo desmantelamento ocorrido nas universidades públicas nos últimos anos, essa pandemia vem e nos confirma a grande importância dos espaços acadêmicos... Parabéns aos envolvidos!

  • Fátima
    23 Mai 2020 às 17:24

    Excelente estudo entre, os departamentos de renomada UFMT e esses profíssionais que estão de parabéns pelo trabalho realizado.

Sitevip Internet