Olhar Direto

Sexta-feira, 07 de agosto de 2020

Notícias / Política MT

Secretário diz que 50 pessoas aguardam UTI em Cuiabá e hospital de campanha é discutido

Da Redação - Max Aguiar

01 Jul 2020 - 17:22

Foto: Reprodução

Secretário diz que 50 pessoas aguardam UTI em Cuiabá e hospital de campanha é discutido
Está cada vez maior o número de pessoas que estão infectadas pela Covid-19 na capital e, infelizmente, não tem mais leitos de Unidades de Terapia Intensivas (UTIs) para acolher novos pacientes.

Leia mais:
Cuiabá registra 17 mortes em 24 horas e atinge triste recorde do coronavírus

Em declaração para a Comissão de Saúde da Câmara de Vereadores, o secretário Luiz Pôssas de Carvalho confirmou que nesta quarta-feira (1), pelo menos 50 pessoas estão na fila de agendamento aguardando vaga para internação. 

"Hoje, quarta-feira, temos 50 pessoas na fila aguardando uma vaga de UTI e não temos. Lutamos todos os dias para salvar vidas. Mas estamos em período de pandemia. Pandemia é diferente. Precisamos unir forças", disse o secretário. 

Pôssas disse que a expectativa é que até a próxima semana Cuiabá disponibilize mais 40 leitos, sendo todas no Hospital Referência à Covid-19, antigo Pronto-Socorro de Cuiabá. 

"Estamos aguardando a instalação até a próxima semana da instalação de mais 40 leitos. Temos dificuldade para compra de bombas infusão. Esse equipamento é o essencial para criar uma UTI. Mas, esperamos resolver em breve", comentou. 

Segundo o secretário, não foi comprado nenhum respirador por parte da prefeitura, pois os fornecedores estão cobrando 4 ou 5 vezes a mais do valor de mercado e isso o faria responder por processo administrativo.

"Tudo que temos, conseguimos com o Ministério da Saúde. Foi gestão política. Não compramos nenhum respirador. Os preços estão acima e depois o processo vem em nós", comentou. 

Questionado por vários vereadores, o secretário ainda disse que já está em estudo uma possível instalação de um hospital de campanha nas imediações da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Verdão.

"É um coisa que está em estudo, porém será gestão compatilhada, com União, Estado e Cuiabá. Precisamos unir forças, mas a população nesse momento tem que ter consciência. É necessário que todos que puderem, fiquem em casa. Estamos em pandemia, sem cura e sem leitos. Um hospital de campanha é coisa de futuro. Não temos como estalar os dedos e fazer criar um leito", explicou. 

Por último, Pôssas de Carvalho disse que nesse momento, mesmo sem aval dos médicos do Comitê de Enfrentamento ao Covid, o Município já adiquiriu 100 mil kit-covid, que serão disponibilizados nos postos de saúde e policlínicas de Cuiabá. 

"O kit é algo contestado. Estamos indo na contrariedade dos médicos do nosso Comitê. Mas, entendemos que é algo que precisa de procedimento antecipado. Por isso compramos e semana que vem já começa a ser distribuído em Cuiabá", concluiu o secretário.

39 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • MARIASALETE@UOL.COM.BR
    02 Jul 2020 às 12:32

    MAS CUIABA NÃO TEM HOSPITAL DE CAMPANHA?????

  • Emerson
    02 Jul 2020 às 10:40

    Hospital de campanha está sendo discutido? Deveria estar ponto a 2 meses atrás... Políticos bando de irresponsáveis e incompetentes..

  • Sebastião
    02 Jul 2020 às 10:31

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Benedito costa
    02 Jul 2020 às 08:27

    Secretário! Não tem que discutir nada, tem que agir e o momento é agora. Faz logo o hospital de campanha mais com todos os equipamentos indispensáveis para o trato do corona tipo UTI completa e respiradores que são os equipamentos essenciais e sem contar claros, os remédios e equipamentos aos profissionais.

  • Mulher ma
    02 Jul 2020 às 08:18

    Agora que ja morreu um monte de gente Vem a conversinha de hospital de campanha Nao adianta mais secretario o estrago ja esta feito.

  • Moreira
    02 Jul 2020 às 08:10

    Defina a gestão Emanuel Pinheiro. Incompetentes? Corruptos? Marginais? Propineiros? Pelegagem? Todos esses adjetivos, na minha opinião, fazem parte dessa gestão.

  • Moacir
    02 Jul 2020 às 07:39

    Se a justiça da canetaço e árbitra em tudo porque não obriga as fábricas de respiradores produzir e vender no preço que estava antes da pandemia? Ou os juzecos e desebagadorecos não dão canetaço nestes casos? Acabou o poder deles?

  • Gisele
    02 Jul 2020 às 07:22

    Já era para estar pronto!!!Há muito tempo!Piada!

  • cleber
    02 Jul 2020 às 07:17

    isso se chama incopetençia todos estado tem hospital de campanha esse mauro mendes e um inutil

  • Giupna
    02 Jul 2020 às 06:29

    Bozo incentivou o gado a levar uma vida normal, agora muitas pessoas foram contaminadas devido a esse irresponsável.

Sitevip Internet