Olhar Direto

Sexta-feira, 07 de agosto de 2020

Notícias / Política MT

Deputado pede ajuda da bancada federal para garantir direitos a motoboys e entregadores de aplicativo

Da Redação - Max Aguiar

05 Jul 2020 - 17:00

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Entregadores pararam atividades na semana passada

Entregadores pararam atividades na semana passada

O deputado estadual João Batista (Pros) manifestou, por meio de um ofício, sua preocupação com a categoria de entregadores de aplicativos de todo o país. Sem direito a quarentena e empurrados à informalidade, os trabalhadores realizaram uma paralisação nesta última quarta-feira (1).

Leia mais:
Mendes culpa prefeitos por aumento de casos e critica decisões antecipadas: “não posso fazer um decreto para cada”

A intenção do parlamentar, como consta no ofício, é que os senadores e deputados federais voltem iniciativas para aqueles que, durante o período de pandemia, tornaram a tarefa de “motoboy” como sua principal fonte de renda.

“Vivemos um momento hoje no país, em que todos os direitos sociais estão sendo dilapidados. Precisamos criar mecanismos para proteger os trabalhadores que são ignorados pelo direito, a exemplo da Justiça Trabalhista de São Paulo, que em uma ação civil pública, negou vínculo empregatício entre o aplicativo iFood e os seus entregadores”, apontou o deputado em seu ofício. Medidas protetivas contra roubos e acidentes, assim como o pagamento adequado por quilometragem percorrida são outras demandas apresentadas pelo parlamentar.

De acordo com dados divulgados pelo Instituto Locomotiva, cerca de 5,5 mil pessoas auferiram receitas com aplicativos no ano passado. Com a evolução digital, o trabalho é demandado nas telas dos smatphones por aplicativos de entregas como iFood, Rappi, UBEr, James, entre outros, que se favorecem de uma mão de obra barata, sem patrão ou folha de ponto nessas plataformas.

“Nós como legisladores temos o dever de enfrentar esse debate, construindo ações e projetos que garantam direitos e deveres a todo cidadão trabalhador. Espero poder contar com apoio da bancada federal e estadual, para buscarmos uma resolução para essa questão, que merece todo nosso respeito”, finalizou João Batista.

5 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Cleidson
    06 Jul 2020 às 08:46

    Situação está difícil para todo mundo. Mas esse caminho irá somente prejudicar os entregadores, se a empresa sentir que com a regulamentação ela irá ter prejuízo e com certeza vai ter. Ela simplesmente vai deixar de funcionar e adivinha no que vai acontecer??? Todos eles sem o "emprego informal" Espere e verá!

  • DAILSON SOARES DE OLIVEIRA
    06 Jul 2020 às 08:18

    Vamos cobrar do presidente JAIR Bolsonaro, nós fizemos carreatas na campanha para presidente em 2018,colamos santinhos nos baús da nossas motos e ainda queimei até minha buzina nas carreatas,não quero nem saber, quero meus direitos trabalhistas.

  • Giovanni
    06 Jul 2020 às 08:16

    Lembrando que a formalização traz benefícios porém obrigações com a legislação tributária.

  • Não faz sentido
    06 Jul 2020 às 08:14

    Entendo a luta dos entregadores por melhores condições, porém os tempos mudaram. Vocês são prestadores de serviço de uma plataforma digital, não há vínculo empregatício, trabalham quando quer, vocês mesmo que fazer o horário. Portanto, senhores, é hora de refletir se é bom ou não, se não for, vá para a CLT, tem inúmeras empresas que precisam de entregadores.

  • Jéssica Trans Corintiana
    05 Jul 2020 às 21:08

    Eu não sei o que seria da minha vida sem eles. Até mesmo da minha vida amorosa! Amuuu

Sitevip Internet