Olhar Direto

Segunda-feira, 03 de agosto de 2020

Notícias / Política MT

Fórum Sindical afirma que governo usou "caneta e pressão" para aprovar primeira parte da reforma da Previdência

Da Redação - Max Aguiar

08 Jul 2020 - 07:31

Foto: Reprodução

Fórum Sindical afirma que governo usou
O Fórum Sindical, que representa todos os funcionários públicos de Mato Grosso, acusa o governo do estado de ter usado "pressão e a força da caneta" para poder atropelar as emendas e conseguir a aprovação da primeira parte da Proposta de Emenda Constitucional (PEC-06), que trata da reforma da Previdência no âmbito estadual. 

Leia mais:
Zé do Pátio afirma que a culpa por MT ter mais de 800 óbitos é do Estado e não de prefeitos

Para os sindicalistas, o governador deve manter o mesmo rito para a proposta final em segunda votação. O que irá fazer a PEC ser aprovada sem alteração e negociação. Segundo a presidente do Sisma MT e membro do Fórum Sindical, Ana Claudia Machado, o governador chegou a mexer no tabuleiro de seus aliados para poder garantir que os votos a favor do Palácio Paiaguás fossem maioria e com isso a PEC fosse aprovada em primeira. 

"A nossa expectativa desde o início, dentro do Fórum Sindical e do Conselho de Previdência, era de ter pelo menos 10 votos de deputados que são oriundos do serviço público. Com esses 10 votos, queríamos abrir negociação com o governo. Mas, o governo já prevendo uma derrota no Plenário, tirou dois deputados: Thiago Silva (MDB), e segurou Allan Kardec (PDT) na secretária para que Romoaldo Júnior (MDB) votasse a favor. Além disso, negociou as emendas da categoria da segurança e levou pra sua base o delegado Claudinei (PSL) e o deputado João Batista (Pros), dando a eles a concessão das emendas", disse a sindicalista em entrevista à Rádio Vila Real FM. 

O deputado João Batista também foi ouvido e disse que desde sempre negociou com o governo a possibilidade de votar a favor na primeira parte, para que na segunda ele comandasse a negociação em torno de medidas que ajudassem o servidor. 

"Não sou traidor, sou sindicalista, sei de minha base e sei bem meus valores. O que eu fiz foi aprovar em primeira, para que na segunda parte eu pudesse negociar as coisas boas que o funcionalismo quer. Sabemos que ali [ALMT] nada se aprova sozinho. Nada é feito com um voto apenas. Vou buscar negociações e vamos sim votar com o servidor nessa sgunda parte da reforma", explicou o deputado, que é oriundo do sistema prisional, sendo policial penal de carreira. 

A votação da segunda parte da reforma deve acontecer somente na próxima semana, porém o governo precisa dessa definição até o próximo dia 30. Pois dia 31 a reforma estadual precisará ser apresentada ao presidente Bolsonaro, em Brasília. 

A presidente do Fórum Sindical ainda diz que nesse momento as negociações não avançaram e o governador usou a pressão para aprovar a primeira parte, que é descntar 14% do salário, inclusive do servidor aposentado, para que esse dinheiro seja colocado na previdência do estado. 

"Aposentados passaram a ter 14% do salário recolhido. Isso foi uma grande injustiça, pois a gente queria que a alíquota escalonada, sendo que pra quem ganha mais, paga mais. Quem ganha menos, paga menos. Por pressão do pessoal da caneta ele [Mauro Mendes] aplicou uma alíquota linear, penalizando principalmente os aposentados que ganham abaixo do teto do INSS e vão pagar 14% igual quem tem alto salário. Nesse momento não avançou nada e nem temos voto para derrubar a PEC nem para aprovar as emendas que queremos. Veremos e esperamos que os deputados que debandearam para o lado do governo, que volte e nos ajude", disse Claudia Machado. 

13 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Siqueira
    08 Jul 2020 às 15:00

    O Q FALAR, RENOVOU A CASA DE LEI VÁRIOS DEPUTADOS ORIUNDO DO SERVIÇO PUBLICO, A EX: JOÃO BATISTA-AGENTE PRISIONAL, O QUE ADIANTOU FOMOS TRAÍDO PELOS MERCENÁRIOS.

  • reforma sim
    08 Jul 2020 às 14:59

    MAS O POBRE TRABALHADOR TEM QUE PAGAR E O INFORMAL QUE NÃO TEM TRABALHO TODO DIA TEM QUE PAGAR 20% PARA CONSEGUIR É IMPOSSÍVEL UM INFORMAL QUE TRABALHA DE DIA PARA COMER ANOITE PAGAR INSS , ENTÃO QUEM GANHA 6000 MIL TEM CONDIÇÕES DE PAGAR SIM, AINDA FALA QUE TEM QUE PAGAR PLANO DE SAÚDE, E QUEM TRABALHA DE DIA PARA COMER ANOITE COMO FICA ??

  • Servidor cidadão
    08 Jul 2020 às 14:37

    Que fique bem claro. Taxar salário de aposentado inferior ao teto da previdência (R$ 6.100) é INCONSTITUCIONAL, conforme artigo 40 parágrafo 18 da Emenda Constitucional 103/2003.

  • PAGADOR DE IMPOSTOS
    08 Jul 2020 às 14:24

    A PROFESSORA ESCREVEU QUE TRABALHA PARA APOSENTAR TÁ SÓ ESPERANDO A APOSENTADORIA É ISSO MESMO ? OS SEUS ALUNOS ESTÃO SENDO BEM ENSINADOS SERÁ? AS AVALIAÇÕES MOSTRAM QUE MAIORIA NÃO ESTÃO ENTÃO SUA CLASSE PRECISA MELHORAR A PRESTAÇÃO DE SERVIÇO POIS PESQUISAS MOSTRAM QUE NESSE ESTADO RECEBEM ACIMA DA MÉDIA DAS PARTICULARES , ENTÃO PRECISA MELHORAR OS ATENDIMENTOS TAMBÉM

  • Maria José das Graças Azevedo
    08 Jul 2020 às 12:02

    O senhor governador e os parlamentares deveriam ver com mais carinho a nossa situação. Nós funcionários públicos somos a camada da sociedade que pagamos previdência em dia e não sonegamos IR, como muitos ricaços e industriais etc. Gostaríamos que respeitassem nossa categoria. Sou professora trabalho arduamente para aposentar, não só eu como todos outros servidores públicos do Estado de MT.

  • ANDERSON JONAS GOMES DE ARAUJO
    08 Jul 2020 às 11:55

    Olha acho que esse site devia ter vergonha de comentar isso, pois todos sabemos que o Deputado Thiago Silva se afastou por ter sido infectado com o vírus Covid-19, colocar que o grupo verno fez isso é falta de responsabilidade de quem criou essa matéria.

  • Fernando
    08 Jul 2020 às 11:54

    Lembro-me que no começo dos anos 2000, os fiscais de tributos recebiam aproximadamente R $2.000, em decorrência desse salário baixo, na época apareceram vários casos de improbidade. Para corrigir o salário deles, como das outras carreiras, com intuito de evitar corrupção, porque o mercado lá fora pagava muito mais para profissionais medíocres, enquanto, O servidor público tinha mestrado e muitas vezes doutorado, além disso, governo possuía uma escola criada pelo Gov. Dante , muito boa. Dessa forma, não podia comparar com os salários de profissionais medíocres da iniciativa privada recebendo mais que servidores públicos, capacitados, como aquele que fez seu comentário acima. V A

  • PAGADOR DE IMPOSTOS SEM RETORNO
    08 Jul 2020 às 11:14

    ESSES SERVIDORES TEM TEMPO PARA DAR PRESSÃO NA ASSEMBLÉIA FAZENDO BADERNA ,QUEM TRABALHA E PAGA ALTÍSSIMOS IMPOSTOS NÃO TEM COMO FICAR REIVIDICANDO NADA PORQUE TEM QUE SUSTENTAR ESSE SISTEMA FALIDO ,TEM QUE FAZER A REFORMA E CORTAR AS PENSÕES DA VIÚVAS NOVAS E COLOCAR PRA TRABALHAR MESMO URGENTE O POBRE TRABALHADOR NÃO TA TENDO NEM EMPREGO !

  • Rubens Tadeu Reynaud
    08 Jul 2020 às 11:13

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Chico bento burro
    08 Jul 2020 às 10:19

    Paga nada Chico bento, é tudo sonegador. Só quem paga é quem tem o imposto descontado na fonte.

Sitevip Internet