Olhar Direto

Notícias / Cidades

Curva de infecções continua a crescer semanalmente de forma exponencial em Cuiabá

Da Redação - Wesley Santiago

16 Jul 2020 - 07:35

Foto: Reprodução/Ilustração

Curva de infecções continua a crescer semanalmente de forma exponencial em Cuiabá
Dados do Informe Epidemiológico sobre a Covid-19, divulgados na terça-feira (14) pela Prefeitura de Cuiabá, com apoio de pesquisadores da Universidade Federal de Mato Grosso, mostram que a curva de infecções continua a crescer semanalmente de forma exponencial em Cuiabá. Os números compreendem o período de 14 de março a 11 de julho de 2020.

Leia mais:
Mais da metade das mortes por coronavírus em Cuiabá ocorreu nas últimas duas semanas
 
Em relação à semana anterior, o número de casos de Covid-19 em residentes em Cuiabá cresceu 30,5% (1.450 casos), sendo notificados até 11 de julho, 6.205 casos. Nesta semana (SE 28) foram 207,6 casos novos notificados diariamente, valor mais elevado que nas semanas anteriores (SE 37: 194,4; SE 26: 141,7 casos/dia; SE 25: 106,4 casos/dia; SE 24 82/dia; SE 23: 50 casos/dia; SE 22: 43/dia, SE 21: 23/ dia), evidenciando o acentuado incremento do número de casos de coronavírus na capital.
 
Verificamos ainda que entre a semana 19 e 22 os números de casos foram dobrando a cada semana, entretanto, apesar de não ter ocorrido essa duplicação de casos nas semanas seguintes, tão pouco houve a redução, ao contrário, se mantém o crescimento exponencial do número de casos de Covid-19 em residentes na capital.
 
Somente nas duas últimas semanas (28 de junho a 11 de julho) foram registrados 2.811 novos casos, ou seja, 45,3% dos casos notificados desde 14 de março.
 
Do total de casos de Covid-19 em residentes em Mato Grosso (28.394), 21,9% foram de pessoas da capital; esse índice vem reduzindo progressivamente desde o início da epidemia no estado: em 18 de abril, cerca de um mês após o primeiro caso confirmado, Cuiabá concentrava 64% dos casos da doença no estado.
 
A taxa de incidência (1.010,3 casos/100.000 habitantes) cresceu consideravelmente quando comparada com a da semana passada (774,2) e mantendo-se mais elevada que a taxa em Mato Grosso (821,8/100.000 habitantes). Porém com aumento proporcional pouco menor, tendo em vista que no estado o crescimento, na última semana, foi de 40,5% e na capital, 30,5%.
 
Tais informações sobre a incidência reforçam sobre a manutenção do processo de interiorização dos casos de Covid-19 e o crescimento mais acentuado nos municípios do interior de Mato Grosso.

O secretário de Estado de Saúde Gilberto Figueiredo afirmou que Mato Grosso vai conviver com a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) pelo menos até o mês de novembro, por opção da população que não cumpre as medidas de isolamento e os cuidados para não serem infectados.

Gilberto afirmou que a doença avança como uma ‘nuvem de gafanhotos’, vindo do sudeste em direção ao interior do Brasil. Por este motivo, os estados do Centro-Oeste enfrentam aumento exponencial no número de casos e mortes pela doença.
 
“Estancar as mortes não depende de abertura de leito de UTI. Estatisticamente uma porcentagem das pessoas infectadas irão a óbito, como não existe hoje medicamento exclusivo. Pelo menos 40% dos que vão para leitos de UTI acabam não resistindo, principalmente os que tem idade avançada ou comorbidades”, afirmou.

14 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Fernando Mendes
    17 Jul 2020 às 08:15

    Olá bom... porque a surpresa não era isso o esperado???? Por isso que temos que tomar nossos cuidados... principalmente com os tem doenças crônicas que são a maioria dos óbitos tristemente...amor ao próximo sempre...

  • Eleitor
    16 Jul 2020 às 15:34

    Olha os comentários o povo clamando por fiscalização nos bairros, centro da cidade parece que todo dia tem coisa pra fazer uma compra andar ,onde está a fiscalização no centro ônibus, ruas avenidas, estabelecimentos que estão funcionando, laboratórios, clínicas tem que fiscalizar ser se realmente tem necessidade de estar nas ruas é urgente precisa desses trabalhos porque o mas rápido seguirmos as determinações poderemos voltar a anormalidade mas o povo tá nas ruas ,andando circulando e muitas vezes com crianças, fiscais andem o trabalho de vcs é esse ande nas ruas ,avenidas, becos, o centrão tá ai vamos pessoal colaborar pode acreditar vamos sair dessa se respeitar o isolamento o decreto porque senão todos os dias aumento da quarentena e com certeza estaremos dias piores .

  • Dona Sebastiana Arruda
    16 Jul 2020 às 15:09

    alguem vai falar da tal rua pedra preta do cpa 2 ? pq nao aguentamos mais essa conversa dessa tal rua ai

  • Lu
    16 Jul 2020 às 14:51

    O Brasil infelizmente não vai sair tão cedo dessa pandemia, por culpa dos brasileiros teimosos que ainda acham e tratam essa doença como brincadeira. Pode até ser que todas as mortes não seja de covid 19, mais pelo fato de não termos medicamentos ou vacina para tratamento deveríamos ter ao menos os cuidados básicos que está sendo pedido desde o início.

  • Patrícia
    16 Jul 2020 às 13:44

    A fiscalização tem que vim aqui no CPA 4 ,AS aglomeração nas portas das distribuidoras de bebidas e as bocas de fumo que tomou conta do CPA 4. ESSAS PESSOAS QUE NÃO TEM AMOR NA FAMÍLIA, ficam na rua e levam a doenças p os pais , avós ..... Esses que não abodece o isolamento com eles não acontece nada , infelizmente as pessoas estão pagando por falta de respeito dessas pessoas que ficam na porta de bar a noite inteira.

  • Roberto
    16 Jul 2020 às 13:37

    Espero que esse prefeito e seus vereadores não ganhe nem pra síndico mais, os nossos políticos com covid vão pra São Paulo, isso explica tudo e o povo sem remédio nós postos de saúde. Fechar comércio sem ter os medicamentos não adianta nada.

  • Trabalhador
    16 Jul 2020 às 13:16

    Senhores autoridades enquanto não colocar fiscais polícia abordagens verificar se realmente precisa estar as ruas ,precisa fazer as pessoas entender tem que doer no bolso não temos leito ,hospitais lotado precisa fazer uma fiscalização nas ruas ,centro de Cuiabá um exemplo pode andar nas ruas ,becos, avenidas o povo circulando achando que está tudo bem socorro.autoridades.

  • CABRAL
    16 Jul 2020 às 11:23

    /CADE OS KITS DE MEDICACAO QUE O PREFEITO DISSE QUE IRIA ENTREGAR A POPULACAO PARA EVITAR A CONTAMINACAO DO COVID .

  • Celso
    16 Jul 2020 às 10:51

    Infelizmente o povo ainda está desacreditado esse negócio de meia quarentena um pouco abre um pouco fecha doa a quem doer tem que fechar tudo tudo tudo

  • Dr Reiners Moreira
    16 Jul 2020 às 10:28

    Cito um exemplo. Na rua pedra preta CPA 2 tem crianças empinando pipa todos os dias e pais relapsos no celular sem disciplinar filhos. Povo sem consciência aumentou coronavirus. Gilberto Figueiredo tem razão. Culpa do povo.

Sitevip Internet