Olhar Direto

Sexta-feira, 07 de agosto de 2020

Notícias / Política MT

Deputados criticam política de incentivo fiscal e "falta de sensibilidade" da Sefaz

Da Redação - Max Aguiar

16 Jul 2020 - 09:37

Foto: Fablício Rodrigues - ALMT

Deputados criticam política de incentivo fiscal e
Por falta de isonomia na distribuição de incentivos fiscais para industrias de Mato Grosso, os deputados Max Russi (PSB), Lúdio Cabral (PT) e Janaina Riva (MDB) criticaram duramente a atitude do secretário de Fazenda, Rogério Gallo, por deixar empregos se perderem durante o período de pandemia. A desaprovação do trabalho de Gallo aconteceu durante a sessão Plenária desta quarta-feira (15), na Assembleia Legislativa. 

Leia mais:
Projeto que cria auxílio a profissionais da Saúde é adiado e deputado sugere verba indenizatório

Após ser anunciado que mais de 150 funcionários do Grupo Petrópolis, com sede em Rondonópolis (distante 212km de Cuiabá), iriam ser dispensados do trabalho, o deputado Max Russi, juntamente com o presidente da ALMT, Eduardo Botelho (DEM) chegaram a ir até a Sefaz, mas nada ficou resolvido. 

Na leitura de Russi, Gallo toca o estado sem nenhuma sensibilidade. "Da forma que o secretário de Fazenda quer conduzir, fica dificil. O Gallo conduz com mãos de fogo, sem sensibilidade alguma. Só em Rondonópolis 179 perderam o emprego. Mais 101 vão perder o emprego em Várzea Grande, e agorinha serão mais de 1000 pessoas em Mato Grosso. E isso me deixa muito preocupado. No momento de crise e de pandemia, isso preocupa", disse Russi. 

O deputado ainda explicou que não quer que empresa nenhuma tenha mais ou menos benefícios. O importante é igualdade, a isonomia entre todas para que possam continuar oferecendo emprego. Mesmo que se aconteceu algo no passado, o importante é garantir a tranquilidade do emprego no presente. 

"O que precisamos hoje é igualdade de competição e manter os empregos. Pensar em desenvolver e gerar emprego. E eu não vejo isso por parte da Secretaria de Fazenda. Vejo do governador, vejo da primeira dama, mas não vejo isso no papel do secretário", comentou o parlamentar. 

A deputada Janaína Riva (MDB) comentou que é necessário que todas as competências políticas se unam para lutar por essas empresas. Ela lembrou que a ALMT aprovou o projeto dos incentivos ano passado e isso precisa ser colocado em prática. 

"A gente tem que se atentar a isso. Eu já critiquei muito, mas não pode o governo deixar de oferecer esse incentivo para o Grupo Petrópolis, que já construiu por aqui, escolheu Mato Grosso para investir e agora pode estar se acabando. O importante é uma força tarefa, para evitar que ela feche as portas por falta de incentivo", explicou Janaina. 

O deputado Lúdio Cabral, por sua vez, criticou um possível jogo de interesse nessa posição do governador, que é a verdadeira pessoa a ser criticada.

"Eu acho muito estranho, viu, muito estranho. E vocês sabem, todos, que eu sou muito contra essa política de incentivos que o estado tem, pra mim é política de privilégio para muitos setores. Agora, é muito estranho esse imbróglio com a Cervejaria Petrópolis, sabendo que o Secretário da Casa Civil é empresário do mesmo ramo. Então assim, até que ponto esse imbróglio não teria a ver com os interesses comerciais do Secretário-Chefe da Casa Civil, senhor Mauro Carvalho. Talvez fosse interessante os deputados que estão levantando essa questão fazer esse questionamento formalmente ao Secretário-Chefe da Casa Civil, também subordinado ao mesmo governador, o senhor Mauro Mendes Ferreira”, ponderou Lúdio. 

5 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Cpa
    16 Jul 2020 às 12:40

    O que é imprópria para vocês, mandarem os deputados investigaram os incentivos fiscais. Principalmente do governador. Eu não percebi o governo deve fazer propaganda nesse sítio.

  • CUIABANO
    16 Jul 2020 às 11:54

    E OS PEQUENOS COMERCIANTES QUE TEM QUE PAGAR IMPOSTOS PRATICAMENTE ADIANTADO A VALORES ALTOS, PARA TER PRODUTOS DEPOIS VENDER A PRAZO E AINDA TER ALTA INADIMPLENCIA , ALVARÁ ,IPTU, TACIN, ICMS, CONFINS, PIS, IPVA, VALORES MUITOS ALTOS PARA SUSTENTAR ESSE SISTEMA FALIDO

  • PAGADOR DE IMPOSTOS SEM RETORNO
    16 Jul 2020 às 11:50

    MAS ESSES ÓRGÃO ARRECADADORES NEM ATENDIMENTO QUE PRESTA A QUEM PAGA IMPOSTOS TEM IMAGINA O RESTO, QUEM GERA EMPREGO NÃO TEM INCENTIVOS NESSE ESTADO , OS IMPOSTOS CONTINUAM ALTOS E VENCENDO E TUDO FECHADO ,COMO VAMOS PAGAR A PREOCUPAÇÃO CONTINUA OS DEPUTADOS TEM QUE APROVAR LEIS FAZER AS REFORMAS PARA DIMINUIR AS DESPESAS DO ESTADO E ASSIM OS IMPOSTOS AOS CONTRIBUINTES EXPLORADOS E MASSACRADOS PELO ESTADO ,ESTAMOS ESPERANDO

  • DO INTERIOR
    16 Jul 2020 às 11:29

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Cpa
    16 Jul 2020 às 10:10

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

Sitevip Internet