Olhar Direto

Terça-feira, 04 de agosto de 2020

Notícias / Política MT

Deputado diz que professores estão "passando fome" e classifica Adin de Mendes no STF como vingança

Da Redação - Max Aguiar

01 Ago 2020 - 11:53

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Deputado diz que professores estão
A ação direta de inconstitucionalidade (Adin) impetrada pelo governador Mauro Mendes (DEM) junto ao Supremo Tribunal Federal (STF), alegando estar legalmente impossibilitado de efetuar o pagamento do chamado “auxílio emergencial” de R$ 1,1 mil, destinado aos professores interinos, tem gerado uma crise entre os deputados da Assembleia Legislativa, que aprovou o projeto, e entre os servidores que estão desde o mês de março sem receber. 

Leia mais:
Governo entra com ação no STF para suspender auxílio emergencial para professores interinos

A ação foi impetrada no dia 20 de julho e pede a suspensão da vigência da lei que criou o auxílio, promulgado pela Assembleia Legislativa no final de junho. O projeto, que forneceria um auxílio de R$ 1,1 mil aos servidores foi uma ação da própria bancada do governo. Em seguida, acabou sendo vetada pelo governador. 

Por conta disso, o deputado Lúdio Cabral (PT) teceu duros comentários ao plano de Mendes. Segundo o petista, o governador comete um desrespeito duplo ao impetrar uma ação como essa no STF. 

"Desrepeito duplo: primeiro contra a Assembleia e a própria bancada do governador que propôs esse substitutivo e desrespeito com os trabalhadores interinos que estão sendo humilhados que estão sendo submetidos a uma situação que compromete a um comportamento vingativo do governador. Tudo poderia ter sido evitado se em março o governador honrasse e assinasse o contrato dos interinos. Hoje os profissionais estão passando fome", disse Cabral.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Educação, professor Valdeir Pereira, disse que a situação também demostra insensibilidade do governo que está privando os profissionais de ter recursos durante o período de pandemia.

"Sem sombra de dúvida é uma retaliação a greve do ano passado. É uma vingança do governador Mauro Mendes que exerceram um direito legal, que o o direito a greve. Além disso ele quebrou várias regras, inclusive deixou de pagar a RGA e usa artimanhas para punir os trabalhadores. Estamos falando de um governo que na greve cortou salário e agora na pandemia permite que o cidadão passe até fome", disse o sindicalista. 

Atualmente são 10 mil professores desempregados e sem receber nenhum auxílio do governo. O Sintep avalia como uma situação dramática. Mas espera que o governador possa lembrar em retomar o contrato com esses interinos para que eles possam atuar durante a volta às aulas em forma on line. 

"Se o governador quisesse pagar, ele pagava. Ele economizou em conta de luz, água e materiais. Mas, ele economizou, está economizando e não quer flexibilizar. Prefere entrar com processo no STF para evitar ajudar uma categoria que deveria ser respeitada. Não temos uma política específica feita pelo governador", comentou o presidente do Sintep.  

11 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • AntiPT
    02 Ago 2020 às 07:51

    Os professores contratados podem estar passando necessidade, mas dinheiro para esses demagogos não é problema. Hoje eles estão milionários. O pior de tudo é um sindicato pelego sem nenhuma transparência e que jamais divulga para a categoria os salários pagos pelo sindicato aos membros da diretoria central. Foi por isso que tomei nojo de sindicato.

  • AntiPT
    01 Ago 2020 às 22:28

    Tudo isso é só demagogia e populismo barato. O que eles mais sabem fazer é explorar politicamente a pobreza e o sofrimento alheio para eles ficarem cada vez mais ricos.

  • Ozzy
    01 Ago 2020 às 22:09

    Falou o homem honesto que defende a gangue do PT, hilário

  • Mainardo Chimelesli
    01 Ago 2020 às 16:53

    Bla bla bla. Bem feito por fazerem greve ilegal .

  • Russo
    01 Ago 2020 às 16:03

    Aquela greve foi "justa"?

  • Eleitor
    01 Ago 2020 às 14:06

    Deputado todas as ações do governador contra os servidores desde o primeiro dia de gestão quando ele criticou o salario da mulher do cafezinho e do motorista sempre foram de vigança. Agora, o senhor deveria descobrir porque ele tem tanta raiva dos servidores públicos que infelizmente por ter sido enganados votaram em massa neste senhor.

  • DICK VIGARISTA
    01 Ago 2020 às 13:36

    EU SINCERAMENTE ACHO QUE ESSA CONTA OU MELHOR ESSES VALORES DOS PROFESSORES DEVE SER PAGO PELO PRESIDENTE DO SINDICATO E DESSES DEPUTADOS PETEBAS DO CARALHO,

  • Sol
    01 Ago 2020 às 13:30

    E estes profissionais que foram atribuídos p o inicio das aulas terão que investir p voltar trabalhar, pois ensino será remoto. Acho tem muito mais economia.

  • alexandre
    01 Ago 2020 às 13:01

    MM, ´só gosta dos servidores dos Poderes.. que ganham verbas indenizatorias..

  • Mariana
    01 Ago 2020 às 12:44

    Professor passando fome? Contrato não tem expectativas de ser contratado novamente. É só não ficar de braços cruzados e se reinventar. Ganhar sem trabalhar é fácil! Aff

Sitevip Internet