Olhar Direto

Domingo, 27 de setembro de 2020

Notícias / Política MT

Fórum Sindical nega 'regalias' e promete pressão para que reforma da Previdência seja reprovada

Da Redação - Max Aguiar

11 Ago 2020 - 17:07

Foto: Rogério Florentino - Olhar Direto

Fórum Sindical nega 'regalias' e promete pressão para que reforma da Previdência seja reprovada
A Proposta de Emenda Constitucional (PEC-06) que trata da Reforma da Previdência estadual deve entrar em pauta para a última votação nesta quarta-feira (12). Para o Fórum Sindical, o teor do projeto só abrange alguns setores do funcionalismo público. Os servidores rejeitam a tese de que têm "regalias" e prometem manifestação e pressão nos deputados pela reprovação da matéria.

Leia mais:
Emanuel promove reforma administrativa e recria Secretaria de Turismo; empresária assume Pasta

Na tarde desta terça-feira (11), o presidente do Fórum Sindical de Mato Grosso, Edmundo César, disse que amanhã, além de ter manifestação por parte dos servidores, haverá um pedido para que os deputados da oposição ao menos votem contra, para assim barrar a aprovação da PEC, que para eles é chamada da PEC da Vergonha. 

"Vamos fazer uma carreata antes da votação e depois tentar acompanhar essa votação. Precisamos de dez votos contrários para não deixar passar esse projeto. O governo diz que temos previlégios, e eu quero saber quais são? Porque nós estamos sendo é prejudicados com essa PEC que é uma verdadeira vergonha", disse Edmundo. 

Na coletiva, realizada no bairro Morada do Ouro, representantes de pelo menos sete sindicatos estavam presentes. Os reoresentantes da área militar não compareceram porque a maioria das pautas deles foi acata em emendas ao projeto. 

Edmundo Cesar ainda questiona o motivo de o governo jamais ter dialogado. "Nem o próprio MT-Prev não dialogou, muito menos o Executivo. E olha que temos na Seplag o secretário Basílio, que não conversa sobre isso. Não somos marioetes. Somos capacitados e trabalhadores e não somos mercadorias. Me falaram em regalias. Que regalias temos? Nosso servidor que está morrendo de Covid, que está combatendo o crime e que está apagando fogo. Tem que respeitar. No mínino se o governo tivesse vergnha na cara, eles falariam conosco", comentou o sindicalista. 

Edmundo ainda critica alguns deputados que não se posicionam. "Tem muita gente que nem sabe o que está fazendo lá. Eu me sinto envergonhado por ser representado por alguns deputados daquela Casa. Tem parlamentar lá que não sabe nem o que está votando. Quem dirá sabe discutir Previdência", concluiu o sindicalista. 

Votação

A reforma da Previdência, mesmo que atrasada, será colocada em votação final nesta quarta. Ela precisa de 15 votos para ser aprovada. Se a base opositora conseguir ter 10 votos contrários ao governo, logo a PEC é derrubada. 

A reforma trata de regras de transição para posentadoria, tempo de serviço e descontos previdenciários. A sessão desta quarta-feira (12) deve começar às 10h. 

Comentários no Facebook

Sitevip Internet