Olhar Direto

Quarta-feira, 30 de setembro de 2020

Notícias / Cidades

Delegado busca imagem de atirador que matou empresário enganado em academia de Cuiabá

Da Redação - Max Aguiar

13 Ago 2020 - 18:05

Foto: Reprodução - Facebook

Empresário Toni da Silva Flor,

Empresário Toni da Silva Flor,

O delegado Marcel Oliveira, responsável pela investigação da morte do empresário Toni da Silva Flor, 38 anos, que teria sido assassinado por engano ao chegar em uma academia, em Cuiabá, na manhã de terça-feira (11), já requisitou as imagens do circuito de filmagens do comércio nas proximidades do local do crime, para tentar identificar o criminoso. 

Leia mais:
Morre empresário que foi confundido com PF e baleado na porta de academia

Marcel faz parte do quadro da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e assim que Toni teve a morte confirmada ele já começou a colher provas e ouvir testemunhas para poder dar encaminhamento no caso. 

Ao Olhar Direto, Oliveira contou que sua equipe esteve pela manhã na academia onde teria acontecido o crime. Porém, as imagens e monitoramento estão em péssimas condições. 

Com isso, um técnico será contratado para que possa tentar melhorar os detalhes da filmagem e assim tentar identificar o atirador, que teria assassinado Toni ao confundí-lo com um policial rodoviário federal. 

"Fomos lá logo pela manhã. As imagens são péssimas.Tudo muito embaçado. Movimentos sem detalhes preciso. Iremos com um técnico para tentar melhorar. Ainda não temos suspeitos, e nenhuma possibilidade está descartada, pois estamos ouvindo testemunhas!", disse o delegado à reportagem. 

Marcel Gomes ao confirmar que nenhuma tese está sendo descartada também investiga se o crime ocorreu porque o atirador, de fato, errou de vítima, ou se o alvo seria Toni, que estava em ascenção na sua empresa. 

O delegado também anteciou à imprensa que deverá ouvir a possível vítima, que até então seria identificado como Michel, que seria o nome que o atirador questionou antes de matar Toni. 

Toni morreu durante a noite de quarta-feira (12), no Hospital Municipal de Cuiabá. Ele chegou a receber transfusão de sangue, mas não resisitiu aos ferimentos. 

O crime

Conforme as informações do boletim de ocorrências, na terça-feira (11) Toni chegou a academia, desceu do seu carro e seguiu para dentro do estabelecimento. No meio do caminho, um homem, sentado em uma motocicleta e com a cabeça baixa, perguntou se ele era o “Michel policial federal”.
 
Antes que o empresário pudesse responder, o criminoso efetuou quatro disparos de arma de fogo. A vítima ainda conseguiu correr para dentro da academia e pedir ajuda a um professor que estava no interior do estabelecimento.
 
O empresário foi socorrido às pressas pelas testemunhas e encaminhado para o Hospital Municipal de Cuiabá (HMC), onde passou por cirurgia de emergência. Ao todo, foram confirmadas quatro perfurações.
 
Na academia, realmente existe um aluno chamado Michel, que é policial federal. O homem teria o mesmo veículo que o empresário, o que teria causado a confusão por parte do assassino. Todo o fato é investigado pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). 

Comentários no Facebook

Sitevip Internet