Olhar Direto

Terça-feira, 29 de setembro de 2020

Notícias / Cidades

Fila de espera por leitos de UTI em MT é zerada e Cuiabá tem cerca de 50% de ocupação

Da Redação - Isabela Mercuri

14 Ago 2020 - 18:32

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Fila de espera por leitos de UTI em MT é zerada e Cuiabá tem cerca de 50% de ocupação
Após passar por momentos críticos, inclusive com pessoas morrendo por não ter acesso a leitos em Unidade de Terapia Intensiva (UTI), Cuiabá está com cerca de 50% de ocupação, e no estado de Mato Grosso não há mais fila de espera. Para o prefeito Emanuel Pinheiro, a implantação do Hospital de Referência para Covid-19 foi uma das ajudas para chegar nestes números.

Leia também:
MT registra 34 mortes em 24 horas e chega a 2336 óbitos e mais de 72 mil casos de Covid-19

O Hospital de Referência ‘nasceu’ após uma transformação do antigo Pronto Socorro. A partir do dia 20 de março deste ano, o hospital passou a atender apenas pacientes com Covid-19 confirmados ou com suspeita da doença. “Essa decisão foi para que as pessoas com outras enfermidades não corressem o risco de se infectar com a Covid no próprio hospital, uma vez que é uma doença altamente contagiosa”, explica o secretário municipal de Saúde, Luiz Antonio Pôssas de Carvalho.

Quando passou a funcionar como Hospital Referência, foram abertos na unidade 40 leitos de UTI adulto, 15 UTIs pediátricas e 170 leitos de enfermaria, todos exclusivos para pacientes de Covid-19.

Depois disso, a Prefeitura abriu mais 20 leitos de UTI adulto, no dia 13 de julho ,e no dia 17 de julho entregou mais 20 leitos de UTI adulto. Estes 40 leitos novos foram abertos graças à articulação do deputado Emanuel Pinheiro Neto, que conseguiu a doação de 40 respiradores com o Governo Federal. O Hospital de Referência passou a contar com 95 leitos de UTI apenas para pacientes com coronavírus ou com suspeita da doença.

De acordo com a assessoria, à época da abertura dos 40 leitos novos, Cuiabá passava por um colapso no atendimento, pois a quantidade de pacientes que precisavam de UTI era maior do que o número de leitos disponíveis. “Assim que recebemos os respiradores, fizemos uma força tarefa para abrirmos o mais rápido possível esses leitos, para tentarmos salvar essas vidas. Esses 40 leitos foram essenciais para zerar a fila de UTI da Covid-19 em Mato Grosso”, comentou o secretário Pôssas.

Para o prefeito Emanuel Pinheiro, ter transformado o antigo Pronto Socorro em Hospital Referência foi uma atitude certeira. “O plano que tínhamos elaborado para esse hospital era fechá-lo, fazer uma reforma total e abrirmos o Hospital da Famíla – HFAM. O que não imaginávamos é que aconteceria uma pandemia e teríamos que mudar os rumos do nosso planejamento. Graças a Deus, tivemos a oportunidade de usar essa estrutura, que já estava pronta, para receber os pacientes com Covid e pudemos deixar o Hospital Municipal de Cuiabá – HMC para as outras enfermidades. O momento mais difícil já passou, e hoje temos cerca de 50% dos leitos de UTI adultos ocupados, 33% das UTIs infantis e 28% das enfermarias. A nossa guerra não acabou, ainda estamos enfrentando a batalha, por isso a população deve continuar com todas as medidas de distanciamento social, higienização e evitar aglomerações para que as chances de serem contaminados diminua e para que consigamos acabar com essa pandemia o quanto antes”, disse Pinheiro.

Em todo o estado, a taxa de ocupação dos leitos de UTI é de 70,98%, e a dos leitos de enfermaria, de 31,56%. Sendo assim, há 129 leitos de UTI disponíveis, assim como 605 leitos de enfermaria. A taxa de ocupação na UTI pediátrica é de 24%.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet