Olhar Direto

Notícias / Meio Ambiente

Ativista animal, Luísa Mel acompanha situação do Pantanal mato-grossense

Da Redação - Fabiana Mendes

17 Set 2020 - 13:30

Foto: Izan Petterle / Instagram

Ativista animal, Luísa Mel acompanha situação do Pantanal mato-grossense
A ativista animal conhecida internacionalmente, Luísa Mel chegou nesta quarta-feira (16) ao Pantanal mato-grossense para acompanhar de perto a situação trágica que a região enfrenta. Nas redes sociais, postagens relatam que ela ficou visivelmente abalada ao se deparar com o sofrimento dos animais e do bioma.

Leia mais:
Manifestantes se reúnem em defesa do Pantanal no próximo domingo em Cuiabá

Nos stories do Instagram, ela lamenta o número de queimadas. “Olha isso. Eu que sou louca? Pelo amor de Deus, a gente está acabando com o planeta”, diz. Na ocasião, mostrou um cupinzeiro queimado e reclamou da dificuldade de conseguir levar água aos animais resgatados.

Nas redes sociais, a ativista divulga vídeos para sensibilizar as pessoas e conseguir ajuda para salvar os animais. Diversos voluntários atuam na região resgatando e oferecendo atendimento veterinário.

O Clube de Desbravadores Marechal Rondon, da Igreja Adventista do Porto, em Cuiabá, decidiu agir e arrecadou mais de 400 quilos de frutas e verduras para colaborar com a alimentação e minimizar o sofrimento dos animais silvestres.

Já Grupo de Apoio de Animais em Desastres também encontra dificuldades para conseguir água potável para os animais. Eles precisam de um caminhão-pipa ou de outra estrutura que suporte realizar esse serviço.

Luísa Mel também é apresentadora de televisão e ficou conhecida por atuar em programas especializado em animais. Ela possui o Instituto Luísa Mel, fundado em 2015 com objetivo de atuar no resgate de animais feridos ou em situação de risco, recuperação e adoção. Cerca de 300 cães e gatos são protegidos pela ativista e voluntários.

Protesto

Um protesto em defesa do Pantanal mato-grossense está sendo organizado para acontecer no próximo domingo (20), na Arena Pantanal, em Cuiabá. O número de focos de incêndios na região é o maior desde 1998, com 14.764 pontos de queimadas, segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) colhidos até segunda-feira (14).

O manifesto vista exigir “um plano de combate eficiente a estes incêndios e que o Patrimônio Ambiental e a População Local sejam protegidos”. Informações sobre o evento estão sendo compartilhadas no Facebook. Saiba mais aqui. Devido ao novo coronavírus, os organizadores do protesto pedem para que os manifestantes usem máscaras e que respeitem o distanciamento social. 

Comentários no Facebook

Sitevip Internet