Olhar Direto

Segunda-feira, 26 de outubro de 2020

Notícias / Cidades

Fotógrafo flagra resgate emocionante de quati que tentava fugir das queimadas no Pantanal; assista

Da Redação - Fabiana Mendes

22 Set 2020 - 16:57

Foto: Caio Guatelli / Instagram

Fotógrafo flagra resgate emocionante de quati que tentava fugir das queimadas no Pantanal;  assista
Um emocionante vídeo produzido pelo fotógrafo independente Caio Guatelli e publicado em seu perfil do Instagram mostra o resgate de um quati que fugia do fogo no Pantanal mato-grossense. O biólogo voluntário Sérgio Freitas, mesmo sabendo que o animal tinha poucas chances de sobreviver aos ferimentos, tentou ajudá-lo até o fim.

Leia mais:
Força-tarefa resgata lontra com as patas queimadas no Pantanal; veja vídeos

O resgate foi realizado na última sexta-feira (18). Caio, que mora em São Paulo, esteve no Pantanal há cerca de um mês e meio, quando passou alguns dias na região do Sesc. Na época, era lançada a operação de combate aos incêndios. Contudo, os focos de calor aumentaram e diante da situação, ele decidiu voltar. Desta vez, para Porto Jofre, na Rodovia MT-060, conhecida como Transpantaneira.  

O fotógrafo fazia registros da Rodovia, quando ficou sabendo do foco de incêndio perto de uma pousada na região do km 20. “Eu fui para essa pousada. Lá encontrei os proprietários bastante abatidos com a situação. A propriedade estava cercada de focos de incêndios e eles dependem do turismo ecológico”, lembra.

“A pousada não tinha nenhum hóspede. Eles tinham dispensado os clientes e todos os apartamentos estavam ocupados por bombeiros militares e vários voluntários, entre eles os que realizaram o resgate do quati”, acrescenta.

Os voluntários viajaram até a região com dinheiro do próprio bolso para atuar voluntariamente no resgate de animais. “Eles foram até a região para ajudar o que eles acham mais importante, que é a sobrevivência do meio ambiente”, pontua Caio. 

No dia seguinte, o fotógrafo e os voluntários foram para dentro da floresta combater incêndios subterrâneos em turfa. “Em um momento desses que eles estavam buscando focos de incêndio, apareceu a uns 30 metros de distância esse bichinho. Ele apareceu mancando”, conta.

O quati estava bastante estressado e aparentava estar fugindo há muito tempo do fogo. “Quem estava mais perto do bichinho era o biólogo Sérgio Freitas. Ele conhece bastante a região, pois também trabalha como guia de observação de animais no Pantanal. O Sérgio se aproximou, pegou o bichinho na mão e saiu correndo pela floresta. Foi quando eu fiz o vídeo”.

“Ele saiu correndo pelo meio da mata até encontrar um amigo, outro biólogo chamado Rafael Santos, que também tem experiência com animais silvestres. Rafael ajudou ele a dar os primeiros socorros ao quati. Deram uma refrescada no bichinho que estava muito quente. Em seguida, levaram para uma caminhonete e depois para a pousada onde estavam hospedados”, detalha.


Crédito: Caio Guatelli. 

Apesar de todos os esforços, o quati não resistiu aos ferimentos. “Ele durou algumas horas, mas estava muito debilitado. Não sobreviveu”, lamentou o fotógrafo.

Veja abaixo o vídeo do resgate: 


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

No dia 18 de setembro de 2020, o biólogo @d.sergio.freitas trabalhava voluntariamente no combate ao fogo do Pantanal quando viu um quati em perigo. O animal, que tentava escapar do incêndio, corria pelo chão quente da floresta, muito debilitado. Mesmo sabendo que o animal tinha poucas chances de sobreviver, o biólogo tentou ajudá-lo até o fim. Emocionado, Sergio, que também é doutorando em ciências naturais, correu por entre as árvores carbonizadas com o animal no colo. No caminho, gritava ofegante por ajuda, até que, em outra parte da mata, encontrou os também biólogos @raphasantos_birding, @eduardopatrial, @leonardopatrial_bahiabirding e o escritor @tiberiope, todos voluntários na luta contra os incêndios no Pantanal. Os cinco homens viajaram até a região com o próprio dinheiro. Sem ganhar um tostão, decidiram que deveriam, eles próprios, lutar para tentar salvar um dos biomas mais ricos e frágeis do Brasil. Passam os dias em meio a um calor infernal, aguentando fumaça, seca e cenas tristes como a do quati. É de gente assim que nosso país — e o mundo — precisa. Já se foi o tempo em que a floresta valia menos que o gado, que a soja, que o minério. Chegou a hora de defender o que restou, dar um basta à política exploratória e chamar todos para a luta contra essa ideologia predatória que tomou conta do Brasil e de muitas partes do nosso planeta. #salveopantanal #pantanal #quati #coati @sandiskextremeteam

Uma publicação partilhada por Caio Guatelli (@caioguatelli) a

Comentários no Facebook

Sitevip Internet