Olhar Direto

Quinta-feira, 22 de outubro de 2020

Notícias / Política MT

OAB cobra explicações da AL sobre denúncia de uso da Defaz e Decor para perseguição contra Emanuel

Da Redação - Carlos Gustavo Dorileo

30 Set 2020 - 11:24

Foto: Rogério Florentino/OD

OAB cobra explicações da AL sobre denúncia de uso da Defaz e Decor para perseguição contra Emanuel
A Executiva Nacional do MDB solicitou à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) para que tome providências quanto à denúncia do candidato à reeleição e prefeito da Capital, Emanuel Pinheiro (MDB), sobre o possível uso da Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz) e da Delegacia de Combate a Corrupção (Decor) para tentar antingí-lo politicamente.
 
Leia também
Emanuel lamenta inércia da AL e leva denúncia contra Mendes a Brasília             
 

O presidente da OAB de Mato Grosso, Leonardo Campos, inclusive, afirmou que já tomou providências e solicitou via ofício informações sobre a denúncia do prefeito ao Ministério Público Estadual (MPE) e à Assembleia Legislativa.  
 
“Recebemos, por delegação da OAB Nacional, pedido do MDB Nacional para que os fatos denunciados pelo Prefeito Emanuel fossem acompanhados pela OAB/MT. Diante disso, solicitei informações da Assembleia Legislativa sobre às providências que ela tomou até o momento.  Da mesma maneira,  encaminhei todos os fatos narrados pelo prefeito [Emanuel Pinheiro] ao Ministério Público (MP) para que eles  possam tomar às providências cabíveis, sendo possível a instauração de uma investigação ou  uma oitivas dos dois delegados”, disse.
 
O prefeito Emanuel Pinheiro denunciou o caso há quase 10 meses no Legislativo Estadual, porém, até o momento, não recebeu nenhuma explicação sobre a grave denúncia.
 
“Recebi agora cedo à informação que o presidente do meu partido deputado federal, Baleia Rossi (MDB-SP) pediu ao conselho da OAB nacional, ao Felipe Santa Cruz, para que a OAB-MT tome providências sobre o assunto. Ela é a representante dos pilares dos direito e luta pelo cumprimento das leis. A ação do MDB foi rápida, e isso me conforta. Vou aguardar a resposta do MPE e da Al sobre o porquê não deram alguma resposta sobre o caso”, comentou o prefeito.
 
Na época, os delegados da Polícia Civil, Lindomar Tofoli e Anderson Veiga, foram convocados para prestarem esclarecimentos aos deputados. Eles foram transferidos da Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz) após denúncia.
 
O prefeito lamenta a morosidade do Legislativo e alerta sobre os burburinhos de que no período eleitoral poderá ocorrer o uso do aparelho estatal, atendendo ao pedido possivelmente a mando do governador Mauro Mendes (DEM).

“Continua os rumores que vão usar este ou aquele aparelho estatal para me atingir na campanha, o próprio governador fica dizendo que irá puxar orelha dos órgãos e instituições porque não está atingindo o prefeito da Capital. Isso não é normal. Imagine se for o cidadão comum ou até um jornalista, que esteja passando por isso, ninguém apurou a minha denúncia. Que proteção vou ter deste Estado?”, questionou.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet