Olhar Direto

Sábado, 28 de novembro de 2020

Notícias / Cidades

Mulher que denunciou estupro no HMC é transferida para Santa Casa

Da Redação - Fabiana Mendes/Isabela Mercuri

20 Out 2020 - 17:46

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Mulher que denunciou estupro no HMC é transferida para Santa Casa
A mulher que denunciou o estupro na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Municipal de Cuiabá (HMC), no último sábado (17), foi transferida para o Hospital Estadual Santa Casa. No local, ela recebe acompanhamento psicológico. As informações foram repassadas pela secretária de Saúde, Ozenira Félix, que acompanha a situação.

Leia mais:
Presidente diz que características não batem com enfermeiro acusado de estupro e cobra investigação

“A primeira providência já foi tomada, que foi reunir todos os servidores do setor, temos vários servidores. Em seguida, diante da situação, ela foi levada para a Santa Casa. Foi chamada também a Politec para fazer os exames porque nenhum dos servidores do plantão tiveram conhecimento ou observaram qualquer tipo de situação diferente. Ela havia colocado que seria um senhor negro de camiseta verde. Como a gente não teve nenhum tipo de indício, de achar pessoa nas câmeras [...] mas fizemos toda a questão, demos apoio psicológico para ela e vamos estar rigorosamente investigando e vendo o que aconteceu”, comentou nesta terça-feira (20).
 
A titular da Pasta disse que a Polícia Civil acompanha o caso e espera que tudo seja solucionado o mais rápido possível. Além disso, a segurança no HMC deve ser reforçada.
 
“Nossa intenção é [para que seja finalizado] o mais rápido possível e estamos reforçando também a segurança no HMC, apesar de que ele é [seguro]. Temos todos os cuidados possíveis. Para nós é imprescindível apurar o mais rápido possível. Não tem [seguranças] nos leitos, mas tem do lado de fora, até por uma questão de privacidade que a gente tem que analisar”, acrescentou.
 
O plantão da UTI é composto por cinco técnicos de enfermagem, um fisioterapeuta, dois enfermeiros, um médico e um supervisor que cuida de todas as UTIs. Após o episódio, todos os homens foram afastados de suas funções até que o inquérito seja concluído pela Delegacia Especializada de Defesa da Mulher. 

Comentários no Facebook

Sitevip Internet