Olhar Direto

Notícias / Política MT

Após reunião com Lúdio, secretário paralisa fechamento de CEJAs e se compromete a discutir com Fórum

Da Redação - Isabela Mercuri

17 Nov 2020 - 12:05

Foto: Assessoria

Após reunião com Lúdio, secretário paralisa fechamento de CEJAs e se compromete a discutir com Fórum
O deputado Lúdio Cabral (PT) se reuniu na tarde desta segunda-feira (16) com o secretário de Estado de Educação, Alan Porto, para cobrar que a decisão de fechar os 21 Centros de Educação de Jovens e Adultos (CEJA) de Mato Grosso seja mais discutida. O secretário se comprometeu a paralisar o processo e apresentar um estudo em nova reunião, no próximo dia 27 de novembro.

Leia também:
Centros Educacionais de Jovens e Adultos do estado serão fechados e alunos redistribuídos em escolas de bairros

Lúdio agendou a reunião a pedido do Fórum de Educação de Jovens e Adultos, diante do anúncio de fechamento de unidades de CEJA pelo governo estadual e a mudança dos alunos para escolas regulares, sob o argumento de cortar gastos. “Essa visão do atual governo, de otimizar espaços para economizar com conta de luz e água, salários de professores e técnicos, é uma visão economicista que não leva em consideração o impacto dessas mudanças sobre a comunidade escolar. A identidade da EJA tem que estar acima de qualquer outro critério na tomada de decisão, e a decisão tem que ser tomada com participação dos CEJAS, com diálogo”, afirmou o deputado.

Depois da reunião, Alan Porto concordou em debater com o Fórum o projeto da Seduc para mudar o formato da EJA em Mato Grosso. Lúdio propôs que a Seduc não dê andamento a mudanças na EJA antes da apresentação do estudo e discussão com os professores, e o secretário se comprometeu a paralisar qualquer ação nesse intervalo.

Para a coordenadora do Fórum de EJA, Rosemary da Luz, é importante manter o formato dos CEJAs, com a identidade e o ambiente escolar, e qualquer decisão de mudança a ser tomada precisa passar antes por um processo de diálogo. A professora Ivana Bognar observou as dificuldades de integrar os alunos do EJA a escolas regulares. “Um idoso não vai frequentar a mesma escola que tem crianças”, disse.

“O CEJA, com aproveitamento de carga horária, é diferente do EJA ofertado em escolas regulares com matrícula anual. Precisamos trabalhar com o conceito de equidade”, disse o professor Claudio Scalon, destacando a diversidade existente no CEJA, que atende a parcelas vulneráveis da população. Na definição da professora Keila Alves, o CEJA é um local onde jovens e adultos vão buscar seus sonhos.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público (Sintep), Valdeir Pereira, afirmou que é preciso fortalecer a política que já vem sendo ofertada, e não fechar os CEJAs. O deputado estadual Henrique Lopes (PT) também afirmou a necessidade de diálogo e de a Seduc deixar claro qual é o projeto para a política de EJA em Mato Grosso.

Na última segunda-feira (16), a assessoria de imprensa da Seduc divulgou o fechamento dos 21 CEJAs, e afirmou que os alunos seriam remanejados para escolas regulares, onde teriam aulas no período noturno.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet