Olhar Direto

Quinta-feira, 04 de março de 2021

Notícias / Cidades

Jornalista cuiabano apresenta VLTs pelo Brasil em série de reportagem: veja como funciona o de Teresina

Da Redação - Vinicius Mendes

22 Jan 2021 - 16:22

Foto: Reprodução

Jornalista cuiabano apresenta VLTs pelo Brasil em série de reportagem: veja como funciona o de Teresina
O jornalista Alexandre Aprá, do Isso é Notícia, está viajando por algumas cidades do Brasil para conhecer e mostrar como funciona o sistema de Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) e o de Bus Rapid Transit (BRT) já instalados pelo país. A primeira cidade visitada foi Teresina, no Piauí, onde a tarifa do VLT é R$ 1. Em Cuiabá e Várzea Grande a tarifa seria de R$ 5,28.
 
Leia mais:
Governo enterra possibilidade de terminar VLT e anuncia troca pelo BRT
 
A série de reportagens é patrocinada pelo grupo GW 100, com o intuito de mostrar à população cuiabana como funciona o sistema VLT e BRT em outras cidades do país. O primeiro destino foi Teresina no Piauí, onde o modal do VLT é chamado de “metrô”.
 
O sistema possui 11 estações, com 13,5 quilômetros de extensão. O VLT é movido a diesel, diferente do que seria em Cuiabá-Várzea Grande, elétrico. Além disso, o modal tem capacidade de transportar 600 passageiros, em pé e sentados e tem tarifa de R$ 1, mais barato que a tarifa de ônibus da cidade, que é de R$ 4.
 
Em uma live transmitida no Facebook, o jornalista Alexandre Aprá percorreu um trecho do modal. Ele subiu na Estadão Shopping Cidade, ao lado do centro comercial, e seguiu até a Estação Frei Serafim, no Centro.
 
Aprá ainda conversou com Sérgio Ribeiro, chefe de gabinete da Companhia Metropolitana de Transporte Público (CMTP) de Teresina. Ribeiro disse que apesar de grande, e contar com uma grande equipe, o “metrô” é de fácil administração.
 
Teresina é uma cidade com população estimada de 868 075 habitantes, número semelhante à soma da população de Cuiabá (618.124) e Várzea Grande (287.526), que seria assistida pelo VLT.
 
“Vemos que o VLT passa por elevado, passa por debaixo de viaduto, em cima, tem um trecho que é mais afastado da cidade, que é em uma região de densidade populacional menor, e aqui estamos andando perto do Centro”, disse o jornalista.
 
Neste momento o “metrô” funciona obedecendo algumas regras de biossegurança, como distanciamento de assentos, obrigação de uso de máscara, etc. Ele faz o transporte de cerca de 15 mil usuários/dia.
 
O jornalista ainda seguirá para as cidades de Maceió (AL), onde conhecerá o Sistema de Trens Urbanos, Belo Horizonte (MG), onde andará no BRT, Rio de Janeiro, que conta com BRT e VLT, e Santos (SP), que possui um VLT que interliga a cidade litorânea ao município de São Vicente (SP).


 

Comentários no Facebook

Sitevip Internet