Olhar Direto

Sábado, 27 de fevereiro de 2021

Notícias / Política MT

“Pode ser uma continuidade, mas de uma gestão que está dando certo”, diz Russi sobre presidência na AL

Da Redação - Vinicius Mendes

23 Fev 2021 - 18:01

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

“Pode ser uma continuidade, mas de uma gestão que está dando certo”, diz Russi sobre presidência na AL
Foi registrada na tarde desta terça-feira (23) a chapa “Deputado Valdir Barranco”, que tem como candidato à presidência da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) o deputado Max Russi (PSB). O Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu a eleição que havia colocado o deputado Eduardo Botelho (DEM) na presidência. Botelho agora compõe a chapa de Max Russi como primeiro-secretário. A deputada Janaina Riva, que ocupava o cargo de primeira vice-presidente, concorre ao cargo de segunda-secretária na chapa de Russi. O deputado Silvio Favero (PSL), único outro parlamente que tentou montar chapa, acabou desistindo.
 
Leia mais:
“Eles podem se organizar e apenas mudar de cargo”, diz João Batista sobre decisão contra Botelho
 
“Conversamos com todos os deputados, conseguimos chegar numa composição muito boa para administrar a ALMT nos próximos dois anos [...] Nome da chapa é deputado Valdir Barranco, em homenagem ao Valdir, que é um grande companheiro, a gente tinha vontade que ele participasse da chapa, mas tivemos um parecer da procuradoria que isso não era possível, porque não tínhamos como saber a vontade dele, se apoiaria essa chapa ou não, então esse é um dos motivos. Também porque tem que ter a assinatura de todos os participantes da chapa, consentindo e apoiando a chapa, então não teve esta condição”, explicou Max Russi.
 
O candidato á presidência elogiou a gestão do deputado Eduardo Botelho, enaltecendo os resultados alcançados, e crê que o ex-presidente ainda vai contribuir nesta chapa. Apesar de querer deixar sua marca, Russi disse que irá continuar os trabalhos da gestão anterior.
 
“A forma como estamos gerindo a ALMT vamos continuar, da mesma forma e com apoio dos deputados, porque hoje temos feito uma economia muito grande dos recursos da ALMT porque tem apoio dos 23 deputados e da deputada Janaina”.
 
Com base em suas articulações, o deputado acredita que receberá pelo menos 20 votos. Ele disse que não conversou com o Palácio Paiaguás, mas que sua gestão irá ajudar o Governo de Mato Grosso.
 
“Nós não fizemos nenhuma conversa com o Palácio Paiaguás. O deputado Botelho teve alguma conversa, o deputado Dilmar, mas eu em nenhum momento tive alguma conversa, não fui procurado e não procurei, a gente articulou dentro da Assembleia, foi uma decisão que ninguém esperava, foi uma eleição rápida, mas é uma chapa que vai ajudar o Governo, como vai ajudar o Estado de Mato Grosso”.

A chapa registrada é formada por:

Max Russi - Presidência
Dilmar Dal Bosco (DEM), primeiro-vice-presidente
Eduardo Botelho (DEM), primeiro-secretário
Wilson Santos (PSDB), segundo-vice-presidente
Janaina Riva (MDB), segunda-secretária
Delegado Claudinei (PSL), terceiro-secretário
Allan Kardec (PDT), quarto-secretário.


Oposição sem força

O deputado Silvio Favero, único que se apresentou como oposição a esta chapa, acabou desistindo da candidatura. Ele afirmou que outros colegas, que inicialmente deram seus nomes para compor sua chapa, desistiram após sofrerem pressão.
 
“Infelizmente, tentei montar uma chapa de renovação, mas de novo não conseguimos. Volto a dizer, a democracia, de novo, não prevaleceu nesta Assembleia Legislativa [...] Como se é feita essa democracia quando você tem o poder na mão? Aqui ninguém é criança, ninguém aqui está de primeiro mandato, sabe como o sistema funciona [...] A chapa estava fechada, mas na hora da assinatura a pressão foi maior e romperam a corda. Não vou citar nomes porque eles pediram [...] eu vou cumprir minha palavra, eles não cumpriram, mas eu vou cumprir”, disse Favero.
 
Uma das críticas de Silvio Favero era de que a chapa de Max Russi não traria renovação à ALMT, já que é composta pelos mesmos parlamentares da chapa que foi destituída pelo STF. O deputado Max Russi disse que irá sim continuar a gestão que estava dando certo.
 
“Pode ser uma continuidade, mas de uma gestão que está dando certo, de algo que tem dado resultado, como eu falei, nós economizamos em dois anos mais de R$ 100 milhões e não deixamos faltar estrutura nenhuma aos nossos deputados e nem aos nossos servidores, [...] estamos procurando fazer avanços, e vamos fazer mais porque a administração é uma constante melhora, uma constante evolução e a gente precisa cada vez mais entregar resultados à população, tenho certeza de que esta é a vontade de todos os deputados e eu só vou ser o presidente que vai conduzir isso”.
 
Favero, no entanto, ainda acredita que, da forma como a chapa de Russi foi formada, ainda possa haver nova decisão do STF impedindo a eleição. Max Russi, porém, está confiante. Ele disse que não esperava concorrer à presidência neste momento, apesar de sonhar com o cargo.
 
“Sonho e vontade, todo mundo que é deputado tem esse desejo de poder presidir o parlamento, já fui presidente de Câmara, não esperava neste momento, tinha um projeto para mais a frente, mas foi antecipado e espero corresponder à expectativa de todos que confiaram voto em mim e também de todos os deputados que logo mais, se Deus permitir, darão a condição de eu ser presidente da Assembleia”.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet